Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/09/2018

Queridos filhos,

As Minhas palavras são simples, mas repletas de amor materno e de preocupação. Filhos MEUS, sobre vocês se alargam sempre mais as sombras das trevas e do engano, Eu os chamo em direção a luz e a verdade, Eu os chamo na direção de Meu Filho. Somente Ele pode converter o desespero e a dor em paz e serenidade, somente ELE pode dar esperança nas dores mais profundas. O MEU FILHO é a VIDA do mundo, e quanto mais O conhecerem, mais se aproximarão DELE e mais O amarão porque o MEU FILHO é AMOR e o AMOR muda tudo.

ELE torna maravilhoso também aquilo que sem amor pareça para vocês insignificante. Por isso novamente os digo que vocês devem amar muito se desejarem crescer espiritualmente. EU sei, apóstolos do MEU AMOR, que não sempre fácil, porém, filhos MEUS, também as estradas dolorosas são caminhos que levam ao crescimento espiritual, à fé e ao MEU FILHO.

Filhos MEUS, rezem, pensem em MEU FILHO durante todos os momentos do dia, elevem as suas almas até ELE e EU recolherei as suas orações como flores do jardim mais belo e as darei de presente ao MEU FILHO.

Sejam realmente apóstolos do MEU AMOR, deem a todos o AMOR de MEU FILHO, sejam jardins com as flores mais belas.

Com a oração ajudem os seu sacerdotes para que possam ser pais espirituais cheios de amor para todos os homens.

Obrigada.

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

EVANGELHO DO DIA 17/03/2018 – João 12, 20-33

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João

Naquele tempo, alguns gregos que tinha vindo a Jerusalém para adorar nos dias da festa, foram ter com Filipe, de Betsaida da Galileia, e fizeram-lhe este pedido: «Senhor, nós queríamos ver Jesus». Filipe foi dizê-lo a André; e então André e Filipe foram dizê-lo a Jesus. Jesus respondeu-lhes: «Chegou a hora em que o Filho do homem vai ser glorificado. Em verdade, em verdade vos digo: Se o grão de trigo, lançado à terra, não morrer, fica só; mas se morrer, dará muito fruto. Quem ama a sua vida, perdê-la-á, e quem despreza a sua vida neste mundo conservá-la-á para a vida eterna. Se alguém Me quiser servir, que Me siga, e onde Eu estiver, ali estará também o meu servo. E se alguém Me servir, meu Pai o honrará. Agora a minha alma está perturbada. E que hei-de dizer? Pai, salva-Me desta hora? Mas por causa disto é que Eu cheguei a esta hora. Pai, glorifica o teu nome».

Veio então do Céu uma voz que dizia: «Já O glorifiquei e tornarei a glorificá-l’O». A multidão que estava presente e ouvira dizia ter sido um trovão. Outros afirmavam: «Foi um Anjo que Lhe falou». Disse Jesus: «Não foi por minha causa que esta voz se fez ouvir; foi por vossa causa. Chegou a hora em que este mundo vai ser julgado. Chegou a hora em que vai ser expulso o príncipe deste mundo. E quando Eu for elevado da terra, atrairei todos a mim». Falava deste modo, para indicar de que morte ia morrer.


Palavra da Salvação.
Gloria a vos Senhor!

COMENTÁRIO DO EVANGELHO

Ao meditarmos hoje um pouco sobre a passagem do Evangelho que acabamos de ouvir, vamos pensar que primeiro que o evangelista que o escreveu é o discípulo querido de Jesus, o seu predileto (Jo 21,7), aquele que Jesus amava, o que durante a última ceia se inclinara sobre o Seu peito (Jo 21,30). Assim o atesta a passagem do seu evangelho no versículo 24 do capítulo 21. São João escreve o seu evangelho, já velhinho, cerca de 60 anos após a Morte-Ressurreição de Jesus Cristo, isto é, por volta do ano 90, quase de certeza, em Éfeso, hoje Turquia.
O seu evangelho tem um caráter transcendente, teológico, sacramental, por um lado. Por outro, o pormenor detalhado dos usos e costumes palestinos, fazem-nos ter a certeza de ter sido uma testemunha ocular a escrevê-lo.
As suas narrações são muito vivas, adquirem sempre um certo dinamismo. Através do diálogo, ele quer que nós entremos na cena e descubramos um Jesus que está vivo. Por detrás das realidades que João nos apresenta há sempre algo de mais importante a descobrir – o Mistério. Ele convida-nos a ir “esgravatando” para o ir fazendo surgir.
A cena narrada no Evangelho de hoje, não aparece em qualquer dos evangelhos sinópticos. É exclusiva de João. Ela tem um alcance profético. É já uma insinuação da Paixão-glorificadora do Senhor. Os gentios – os gregos – que sobem a Jerusalém para adorar a Deus, tem um valor significativo: anunciam a conversão das nações e preparar-nos já o anúncio de Jesus “Eu uma vez elevado da Terra, atrairei todos a Mim”. Anunciava já a Sua morte. A “Hora de Jesus” que nas Bodas de Caná ainda não chegara, vai-se manifestando progressivamente ao longo do evangelho de João. Será, ao mesmo tempo, de Paixão e de Glorificação. O grão de trigo que apodrece na terra e adquire uma vida nova, tem o simbolismo da morte-ressurreição.
Morte-Ressurreição de Jesus que, ao morrer por nós, nos dá a Salvação e a Vida.
Morte do homem para o pecado que, ao morrer para este, liberto das garras do mal, é já semente de ressurreição. Adquire o estatuto do “Homem-Novo” que, com uma nova força e dinamismo, vai ajudando a construir, já neste mundo, uma nova terra, a caminho dos “Céus e da Nova Terra prometida”.
A humanidade de Jesus está, nesta passagem do evangelho joaninho, muito viva – “A minha alma está perturbada e que direi eu? Pai, salva-Me desta hora?…”
Como homem igual a nós, ao ver aproximar-se a morte, Ele perturba-se… tem medo. Mas logo a confiança total: Pai glorifica o Teu nome. Acima de tudo a vontade do Pai, a Sua glória.
Que o Senhor Jesus nos ajude a procurarmos sempre e em tudo a vontade de Deus, nosso Pai e a Sua glória.


UNIDOS PELA PALAVRA DE DEUS
PROPOSTA PARA
ESCUTAR, PARTILHAR, VIVER E ANUNCIAR A PALAVRA NAS COMUNIDADES DEHONIANAS
Grupo Dinamizador:
P. Joaquim Garrido, P. Manuel Barbosa, P. José Ornelas Carvalho
Província Portuguesa dos Sacerdotes do Coração de Jesus (Dehonianos)
Rua Cidade de Tete, 10 – 1800-129 LISBOA – Portugal
Tel. 218540900 – Fax: 218540909
portugal@dehonianos.org – www.dehonianos.pt
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...