Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/12/2017

“Queridos filhos, Me dirijo a vocês como sua Mãe, a Mãe dos justos, a Mãe daqueles que amam e sofrem, a Mãe dos santos.

Filhos Meus, também vocês podem ser santos: depende de vocês. Santos são aqueles que amam imensamente o Pai Celestial, aqueles que O amam acima de tudo.

Por isso, filhos Meus, procurem ser sempre melhores. Se procuraram ser bons, podem ser santos, também se não pensam isto de vocês. Se vocês pensam ser bons, não são humildes e a soberba os distancia da santidade.

Neste mundo inquieto, cheio de ameaças, as suas mãos, apóstolos do Meu amor, devem estar estendidas em oração e em misericórdia. Para mim, filhos Meus, presenteiem o Rosário, as rosas que tanto amo!

As Minhas rosas são as suas orações feitas com o coração e não somente recitadas com os lábios. As minhas rosas são as suas obras de oração, de fé e de amor.

Quando era pequeno, Meu Filho me dizia que os Meus filhos seriam numerosos e que me trariam muitas rosas.

Eu não compreendia, agora sei que vocês são aqueles filhos, que trazem rosas quando amam o Meu Filho acima de tudo, quando rezam com o coração, que ajudam os mais pobres. Estas são as Minhas rosas!

Esta é a fé, que faz que tudo na vida se faça por amor; que não conhece a soberba; que perdoa sempre prontamente, sem nunca julgar e procurando sempre compreender o próprio irmão.

Por isso, apóstolos do Meu amor, rezem por aqueles que não sabem amar, por aqueles que não os amam, por aqueles que os fizeram mal, por aqueles que não conheceram o Amor de Meu Filho. Filhos Meus, os peço isto para que lembrem que rezar significa amar e perdoar. Obrigada !”

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

EVANGELHO DO DIA 03/12/2017 – Marcos 13,33-37

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Marcos

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: “Acautelai-vos e vigiai, porque não sabeis quando chegará o momento. Será como um homem que partiu de viagem: ao deixar a sua casa, deu plenos poderes aos seus servos, atribuindo a cada um a sua tarefa, e mandou ao porteiro que vigiasse. Vigiai, portanto, visto que não sabeis quando virá o dono da casa: se à tarde, se à meia-noite, se ao cantar do galo, se de manhãzinha; não se dê o caso que, vindo inesperadamente, vos encontre a dormir. O que vos digo a vós, digo-o a todos: Vigiai!”


Palavra da Salvação.
Gloria a vós Senhor!


COMENTÁRIO DO EVANGELHO

Meus irmãos,
Inicia-se hoje um novo ano litúrgico com o tempo do Advento.

Jesus Cristo diz-nos “Acautelai-vos, estai alerta pois não sabeis quando é o momento”.

Está em foco a vigilância, sobre a nossa forma de estar perante Deus e a oração, pois que esta se trata duma conversa e duma intimidade que se pretende, cada vez mais profunda com o Senhor. Estas duas maneiras de se encontrar com o Senhor têm em si uma esperança, uma atitude de acolhimento a Deus o que significa conversão – vivência da nossa condição de filhos de Deus ( Jesus veio tornar-se nosso irmão e fazer-nos filhos de Deus) – e uma projeção para o futuro absoluto, ou promessas de outra vida.

Cristo na sua parábola fala-nos dum homem que partiu, mas antes de ir, atribuiu a cada um dos criados uma missão e mandou ao porteiro que vigiasse pois não se sabia a hora da chegada do dono da casa.

Estão aqui também presentes as “vindas do Senhor”. Há duas bem visíveis: na primeira o Senhor “apareceu na terra e conviveu com os homens” e na última diz-nos que todo o homem verá a salvação através de Deus e contemplará Aquele que trespassaram (Jesus Cristo).

A intermédia é oculta. Tal como os criados da parábola viviam como se o seu dono estivesse presente, pois não lhe conheciam, nem o dia, nem a hora da sua chegada e estavam a desempenhar uma missão.

No entanto estamos com o Senhor espiritualmente que nos manifesta o seu poder e a sua graça.

Estamos vigilantes, isto é, não adormecidos na missão que o Senhor nos atribuiu. “Vigiai e orai” repete o Senhor para que estejamos preparados a comparecer diante de Deus-Pai.

Assim este tempo de preparação para a celebração da vinda de Deus – Homem é também o primeiro e fundamental tempo de escolha. Escolha essa, que para todo o ser humano tem fase muito difíceis para que se mantenha fiel à escolha feita.

O tempo do Advento não é paragem, mas sim progresso, pois que deve haver da nossa parte uma vigilância atenta à missão que temos à nossa frente.

É bom interrogarmo-nos de como se concretiza a nossa própria vigilância. Em que altura a deixamos de lado? Ficai pois com este pensamento Pascal: “Consola-te (diz o Senhor) tu não me procurarias, se não Me tivesses já encontrado”.

Oremos e vigiemos as nossas faltas quotidianas vivendo em clima de conversão: pela alegria do Advento; pela Paz, dom de Deus; pela identificação da nossa vontade com a de Deus; pela necessidade da intensificação da nossa fé. Sempre reconfortados de que Jesus Cristo é o Bom Pastor, nosso Pai.

Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo.
Para sempre seja louvado!


UNIDOS PELA PALAVRA DE DEUS
PROPOSTA PARA
ESCUTAR, PARTILHAR, VIVER E ANUNCIAR A PALAVRA NAS COMUNIDADES DEHONIANAS
Grupo Dinamizador:
P. Joaquim Garrido, P. Manuel Barbosa, P. José Ornelas Carvalho
Província Portuguesa dos Sacerdotes do Coração de Jesus (Dehonianos)
Rua Cidade de Tete, 10 – 1800-129 LISBOA – Portugal
Tel. 218540900 – Fax: 218540909
portugal@dehonianos.org – www.dehonianos.pt
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...