Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/08/2018

“Queridos filhos,

Com amor materno os convido a abrirem os seus corações à paz, a abrirem os seus corações ao MEU FILHO, a cantar em seus corações o amor ao MEU FILHO, porque somente através deste amor chega a paz da alma.

Filhos MEUS, EU sei que vocês tem a bondade, sei que vocês tem o amor, o amor misericordioso. Mas, muitos dos MEUS filhos ainda tem os corações fechados, pensam que podem agir sem colocar os seus pensamentos ao PAI CELESTIAL que ilumina, diante do MEU FILHO que está sempre e novamente com vocês na EUCARISTIA e que deseja ouvi-los.

Filhos Meus, porque não falam para eles ? A vida de cada um de vocês é importante e preciosa porque é um dom do PAI CELESTIAL para a ETERNIDADE, por isso nunca se esqueçam de agradecê-LO e falar com ELE.

Eu sei, filhos MEUS, que para vocês é desconhecido aquilo que virá depois, porém quando chegar o “depois” de vocês, terão todas as respostas. O MEU amor materno deseja que vocês estejam prontos.

Filhos MEUS, com a vida de vocês coloquem sentimentos bons nos corações das pessoas que vocês encontrarem, sentimentos de paz, de bondade, de amor e de perdão. Através da oração escutem o que lhes diz o MEU FILHO e assim o façam.

Novamente os convido a rezarem pelos seus sacerdotes, por aqueles a quem o MEU FILHO chamou; lembrem-se que eles tem necessidade de orações e de amor.

Obrigada.”

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

A impactante carta de um padre a outro que abandonou o sacerdócio por uma mulher

"Não somos assistentes sociais, somos sacerdotes de Jesus Cristo! Existimos somente para mostrar o rosto Misericordioso de Deus aos homens e mulheres do mundo!"

Um sacerdote argentino enviou uma contundente mensagem a outro sacerdote, conhecido pelo seu trabalho social em favor dos pobres e dependentes químicos na Argentina, que deixou o seu ministério porque se apaixonou por uma mulher.

“Não se deixam os hábitos (isso é uma paródia dos filmes e das novelas). Não se penduram os hábitos, também não gosto daquilo de deixar o ministério”, começa o texto.


“Se abandonam, sim, abandonam, comunidades, pessoas, pessoas simples, humildes, pobres. Pessoas que acreditam em nós, pessoas que nos confiaram suas vidas, sua alma. Pessoas que talvez nós somos a única coisa que elas têm! Pessoas que viam e veem no sacerdote alguém mais do que um simples homem. Alguém que lhe mostra o rosto de Deus (com nossas próprias limitações, que são muitas, e isso é para que veja com mais clareza que quem age é Ele)”, continua.

Assim começa o texto escrito por Pe. Horacio Day em sua conta no Facebook, dirigido ao Pe. Michael Belmont, sacerdote norte-americano de 42 anos que exercia o seu ministério em “Campo Papa”, um dos bairros mais pobres e perigosos de Godoy Cruz ,na província argentina de Mendoza, e que depois de anunciar que deixaria o ministério sacerdotal, mudou-se com sua parceira a outra cidade.

Pe. Horacio, natural de Mendoza e residente em Roma, disse em sua mensagem a Belmont divulgada em 14 de outubro que “não importa nossas obras sociais, embora tenham muito mérito, não somos assistentes sociais, somos sacerdotes de Jesus Cristo! Existimos somente para mostrar o rosto Misericordioso de Deus aos homens e mulheres do mundo”.

“Eu estou encorajado de escrever aqui, porque disse isso mil vezes: ‘Não há nada mais bonito do que ser sacerdote!’. É uma graça enorme ter sido escolhido para isso! Nós não somos dignos disso, Ele nos escolheu! É algo que supera tudo! Se entendêssemos, morreríamos, como dizia o Santo Cura D’Ars”, manifestou.

Além disso, afirmou que nas Missas que celebra diariamente “peço ao Senhor que me conceda a graça de ser um sacerdote bom e fiel até a morte! E que me leve antes de abandoná-lo”.


Do mesmo modo, o sacerdote pediu às mulheres que “não se metam com os sacerdotes ou seminaristas! É horrível o dano que podem causar! É enorme o bem que deixarão de fazer por culpa tua! Não carreguem essa culpa!”.

“E não me venham com o argumento torpe de que a culpa é do celibato. Por acaso é certo que um marido abandone a sua esposa e filhos porque agora se ‘apaixonou’ por outra pessoa? Acaso nós, os padres, não amamos ? Acaso não somos amados? E o amor de tantas pessoas de nossas comunidades?”, expressou.

“Por acaso temos que abandonar nossas comunidades (que são pessoas concretas, rostos, nomes) para ‘amar e ser amados’ (como certa vez disse alguém, que prefiro esquecer)? Se for assim, não entendemos nada e somos os homens mais ignorantes do mundo”, prosseguiu.

Também incentivou aqueles que conheceram o Pe. Belmont e sofreram com “este abandono, esse golpe” a “não abaixar os braços! Que a tua fé em Deus, na Igreja, no sacerdócio não enfraqueça! Vamos! Não desviem o olhar dos olhos do Senhor Jesus! Ele nos sustenta! Esta obra é dele!”.


Terça, 24/10/2017 -  ACIprensa. Tradução: Front Católico / Aleteia
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...