Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/12/2017

“Queridos filhos, Me dirijo a vocês como sua Mãe, a Mãe dos justos, a Mãe daqueles que amam e sofrem, a Mãe dos santos.

Filhos Meus, também vocês podem ser santos: depende de vocês. Santos são aqueles que amam imensamente o Pai Celestial, aqueles que O amam acima de tudo.

Por isso, filhos Meus, procurem ser sempre melhores. Se procuraram ser bons, podem ser santos, também se não pensam isto de vocês. Se vocês pensam ser bons, não são humildes e a soberba os distancia da santidade.

Neste mundo inquieto, cheio de ameaças, as suas mãos, apóstolos do Meu amor, devem estar estendidas em oração e em misericórdia. Para mim, filhos Meus, presenteiem o Rosário, as rosas que tanto amo!

As Minhas rosas são as suas orações feitas com o coração e não somente recitadas com os lábios. As minhas rosas são as suas obras de oração, de fé e de amor.

Quando era pequeno, Meu Filho me dizia que os Meus filhos seriam numerosos e que me trariam muitas rosas.

Eu não compreendia, agora sei que vocês são aqueles filhos, que trazem rosas quando amam o Meu Filho acima de tudo, quando rezam com o coração, que ajudam os mais pobres. Estas são as Minhas rosas!

Esta é a fé, que faz que tudo na vida se faça por amor; que não conhece a soberba; que perdoa sempre prontamente, sem nunca julgar e procurando sempre compreender o próprio irmão.

Por isso, apóstolos do Meu amor, rezem por aqueles que não sabem amar, por aqueles que não os amam, por aqueles que os fizeram mal, por aqueles que não conheceram o Amor de Meu Filho. Filhos Meus, os peço isto para que lembrem que rezar significa amar e perdoar. Obrigada !”

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

O melhor negócio da sua vida é salvar a sua alma

Nós nos apegamos tanto às coisas materiais, ao que é passageiro, que nos esquecemos de alimentar nossa alma, que é eterna

Lourdes, 18 de fevereiro de 1858. A Santíssima Virgem Maria aparece a uma jovem de 14 anos. É uma menina pobre e simples. A Virgem, entre outras coisas, lhe diz:

 “Eu te prometo que serás muito feliz, não neste mundo, mas no outro”.

Mas o que significam essas palavras tão fortes. Eu costumo pensar nelas com frequência.

Como você sabe, eu adoro ler livros sobre as vidas dos santos. Também gosto muito dos seus escritos, porque me ensinam o caminho que eles percorreram para a santidade, seus temores, inquietudes e o tipo de vida que levaram.

Todos, sem exceção, tiveram que passar por grandes e dolorosas provas. Desde a incompreensão, as chacotas e até as dores físicas. No entanto, nunca perderam a humildade nem a alegria de espírito. É algo que sempre me chamou a atenção.

A confiança plena e absoluta que eles tinham em Deus também me intriga. Eles se entregaram ao Pai, aceitando sua vontade a todo instante.

Temos os melhores exemplos nas figuras dos grandes santos, como o Padre Pio e São Francisco de Assis.

O que os motivava? Como conseguiam conservar a alegria? Por que perseveraram na fé?

Sabemos que eles eram pessoas de oração. Passavam longas jornadas rezando, na presença de Deus. Mas havia algo mais. O quê?

Hoje à tarde, fui à Missa na Igreja de Lourdes, no Panamá. Estava pensando nestas coisas, refletindo, tentando compreender. Você sabe o quanto sou teimoso e que geralmente entendo pouco das coisas. Já ia começar a Eucaristia e logo percebi que eu tinha a solução para a minha inquietude. Tudo estava tão claro, e eu não via. Encontrei a resposta nas palavras da Virgem, dirigidas à Santa Bernardete:

“Eu te prometo que serás muito feliz, não neste mundo, mas no outro”.

Aí, eu pensei:

 “Nossa pátria é o céu. A vida atual é uma viagem longa e cansativa. Mas o Paraíso nos espera”.
Nós nos apegamos tanto às coisas materiais, ao que é passageiro, que nos esquecemos de alimentar nossa alma, que é eterna.

E, justamente na Missa, esse tema foi debatido. Como passamos nossa vida sofrendo por ter mais, buscando uma riqueza que, no final, não poderemos levar conosco!

Voltando aos santos: o que dava esperança e alegria a eles? Eles não se apegaram a coisas materiais, mas, sim, às espirituais. Eles queriam, a todo instante, cumprir a santa vontade de Deus. E, sobretudo….

…Tinham os olhares voltados para o céu.

Quando desanimavam por causa das grandes provas que deveriam passar, pensavam no amor infinito de Deus para recuperar o bom ânimo. Pensavam também nas maravilhas que poderiam encontrar no Paraíso, vivendo eternamente na doce presença do Pai.

Pense: “tudo neste mundo é passageiro”. Tudo passará. Você pode fazer grandes negócios, mas, no fim, você não leva nada, com exceção de suas boas obras.

Não me lembro onde li estas sábias palavras: “o melhor negócio de sua vida é salvar a sua alma e ganhar almas para Cristo”. Elas são muito certas. E me levam a refletir sobre o que estou fazendo com a minha vida. Também me fazem recordar aquela linda canção que cantávamos para as crianças:

“Nós estamos aqui neste mundo,
Este mundo que teu amor nos deu;
Mas a meta não está nesta terra:
É um céu que está além.

SOMOS OS PEREGRINOS,
QUE VAMOS ATÉ O CÉU,
A FÉ NOS ILUMINA:
NOSSO DESTINO NÃO ESTÁ AQUI.
A META ESTÁ NO ETERNO,

NOSSA PÁTRIA É O CÉU.” 


Segunda, 25/09/2017 - Claudio de Castro / Aleteia
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...