Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/07/2017

“Queridos filhos, os agradeço porque responderam ao Meu chamado e porque se reuniram em torno de Mim, em torno da Sua Mãe Celestial. Eu sei que pensam em Mim com amor e esperança. Eu sinto o amor de cada um de vocês, como também a sede do Meu Amadíssimo Filho, que por meio do Seu Amor Misericordioso, sempre e novamente Me envia até vocês. Ele que era homem e Deus Uno e Trino. Ele que por causa de vocês sofreu com o corpo e com a alma. Ele que se fez pão para dar pão às suas almas, para poder salvá-las.

Meus filhos, os ensino como serem dignos do Seu Amor, para poderem dirigir os seus pensamentos a Ele, para poderem viver o Meu Filho. Apóstolos do Meu Amor, os envolvo com o Meu Manto porque como Mãe desejo salvá-los.

Os peço: rezem pelo mundo inteiro. O Meu Coração sofre. Os pecados se multiplicam, são muitos. Mas com a ajuda de vocês, vocês que são humildes, cheios de amor, escondidos e santos, o Meu Coração triunfará. Amem o Meu Filho acima de tudo, e o mundo inteiro por meio Dele.

Não esqueçam nunca que cada irmão seu leva em si algo de precioso: a alma. Por isso, Meus filhos, amem a todos aqueles que não conhecem o Meu Filho, para que por meio da oração e do amor que vem da oração, eles possam tornarem-se melhores, a fim de que a bondade neles possa vencer, para poder salvarem as almas e terem a Vida Eterna.

Meus Apóstolos, Meus filhos, o Meu Filho pediu que amassem uns aos outros; que isto esteja escrito em seus corações e com a oração comecem a viver este amor.

Obrigada.

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

EVANGELHO DO DIA 11/06/2017 – São João 3, 16-18

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João

Deus amou tanto o mundo que entregou o seu Filho Unigênito, para que todo o homem que acredita n’Ele não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus não enviou o seu Filho ao mundo para condenar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por Ele. Quem não acredita n’Ele já está condenado, porque não acreditou no nome do Filho Unigênito de Deus.


Palavra da salvação.
Gloria a vós Senhor!


COMENTÁRIO DO EVANGELHO

 Reflexão:

Toda a liturgia é uma Ação de Graças ao Pai pelo Filho no Espírito Santo. Por isso, celebrar a Santíssima Trindade é fazer apenas aquilo que a Igreja faz continuamente. Todavia, se nas outras celebrações do ano fazemos memória de ações concretas de Deus, a Encarnação no Natal, a Ressurreição na Páscoa, o dom do Espírito no Pentecostes, nesta solenidade festejamos Deus em si mesmo, Deus naquilo que Ele é, no Seu mistério: Comunhão infinita de Pessoas numa unidade indivisível.

A liturgia sempre nos faz penetrar no mistério de Deus. É uma experiência que fazemos. Vislumbramos as maravilhas de Deus e sentimos as maravilhas que Ele faz por nós. Hoje, entretanto, celebrando a Santíssima Trindade, nós somos colocados frente a frente com Deus. E mais: com sua vida íntima. Mas, é sua própria bondade que nos revela sua intimidade.

A Santíssima Trindade é imensa, inesgotável e sentimos não poder compreender a sua totalidade, que para nós se configura como mistério. Pai e Filho e Espírito Santo. Três pessoas em um só Deus que vivem e sobrevivem desde antes de todos os séculos e para sempre. Este é o mistério inesgotável: três pessoas em um só Deus, as quais não tiveram começo e não têm fim. Suprema independência, vida sem tempo e sem antecedentes. Antes da humanidade, desde sempre antes da humanidade, prescindindo dela. Deus é completo em si mesmo. É plenamente livre, livre diante de suas obras sem depender delas. Portanto Deus é o Tudo e a fonte de tudo.

Dentro de si mesmo Deus quis compartilhar-se. Quis ser Pai e o Pai dá vida ao Filho; o Filho aceita esta vida sem separar-se do Pai. Entretanto flui um amor perfeito entre o Pai e o Filho e Deus quis personificar-se neste amor. Surge a terceira pessoa, o Espírito Santo que não se separa do Pai gerador e do Filho gerado. Perfeita participação e perfeita comunhão de amor. É só isto que sabemos; o resto é mistério. Mas, a realidade parcial de Deus nos foi revelada para que possamos imitá-lo naquilo que, para nós, é vital. Deus cria o universo, põe, na terra, o homem e a mulher feitos à sua imagem, transmitindo-lhes sua vida e dando-lhes tudo o que precisam para terem vida em plenitude.

De repente surge o mal que, com todo o seu cortejo de mistérios, entra no coração do homem e da mulher. Mas, para Deus nada era desconhecido. No entanto, o mal torna o ser humano, um ser decaído e traz ao homem o que há de pior em sua existência: o rompimento da comunhão primordial de amor com Deus e com seus semelhantes. Isto resulta numa catástrofe: nascem solidão e possibilidade de condenação. Porém, está presente o Senhor e Criador, a nos dar sua mão firme para uma libertação através de seus profetas. E na plenitude dos tempos manda-nos o Filho. Após ter cumprido sua missão, o Filho volta para o Pai. Vem, pois, o Espírito Santo que vive sempre connosco e nos defende do mal. Mas, apesar disto a humanidade continua decaída necessitando continuamente superar e abandonar o mal.

Também por este motivo, Jesus institui o sacerdócio ministerial. Ele é composto de homens escolhidos, impelidos pelo Espírito a dedicarem-se mais efetivamente à salvação e a trabalharem para levar a Boa Nova da salvação de Jesus. O sacerdote é «alter Christus» que conduz homens e mulheres ao próprio Cristo, fortalecendo neles a vocação primordial do amor e da vida em plenitude. Participando desta eucaristia, pedimos ao Espírito de Deus que toque forte o coração de outros jovens, para que eles, respondendo a este apelo de amor, não tenham medo de dizer sim.


UNIDOS PELA PALAVRA DE DEUS Proposta para ESCUTAR, PARTILHAR, VIVER E ANUNCIAR A PALAVRA NAS COMUNIDADES DEHONIANAS Grupo Dinamizador: P. Joaquim Garrido, P. Manuel Barbosa, P. José Ornelas Carvalho Província Portuguesa dos Sacerdotes do Coração de Jesus (Dehonianos)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...