Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/09/2018

Queridos filhos,

As Minhas palavras são simples, mas repletas de amor materno e de preocupação. Filhos MEUS, sobre vocês se alargam sempre mais as sombras das trevas e do engano, Eu os chamo em direção a luz e a verdade, Eu os chamo na direção de Meu Filho. Somente Ele pode converter o desespero e a dor em paz e serenidade, somente ELE pode dar esperança nas dores mais profundas. O MEU FILHO é a VIDA do mundo, e quanto mais O conhecerem, mais se aproximarão DELE e mais O amarão porque o MEU FILHO é AMOR e o AMOR muda tudo.

ELE torna maravilhoso também aquilo que sem amor pareça para vocês insignificante. Por isso novamente os digo que vocês devem amar muito se desejarem crescer espiritualmente. EU sei, apóstolos do MEU AMOR, que não sempre fácil, porém, filhos MEUS, também as estradas dolorosas são caminhos que levam ao crescimento espiritual, à fé e ao MEU FILHO.

Filhos MEUS, rezem, pensem em MEU FILHO durante todos os momentos do dia, elevem as suas almas até ELE e EU recolherei as suas orações como flores do jardim mais belo e as darei de presente ao MEU FILHO.

Sejam realmente apóstolos do MEU AMOR, deem a todos o AMOR de MEU FILHO, sejam jardins com as flores mais belas.

Com a oração ajudem os seu sacerdotes para que possam ser pais espirituais cheios de amor para todos os homens.

Obrigada.

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Em mensagem de Natal, papa pede paz e fim da guerra síria e do terrorismo

"É tempo de as armas se calarem definitivamente".


O papa Francisco lançou um apelo neste domingo (25) pelo fim da guerra na Síria e uma “nova página na história” entre Israel e Palestina, durante sua mensagem de Natal “Urbi et Orbi” (“À cidade e ao mundo”).

“É tempo de as armas se calarem definitivamente e da comunidade internacional se aplicar ativamente para alcançar uma solução negociada” na Síria, declarou na Praça São Pedro do Vaticano o chefe espiritual de 1,2 bilhão de católicos.

Neste país, onde o regime sírio apoiado pela Rússia acaba de recuperar o controle de Aleppo, “muito sangue foi derramado”, ressaltou o pontífice a respeito do conflito que já dura cinco anos. “Sobretudo na cidade de Aleppo, palco nas últimas semanas de uma das batalhas mais atrozes, é mais do que nunca urgente que a ajuda e reconforto sejam garantidas à população civil, no fim de suas forças, em respeito ao direito humanitário”.

A comunidade católica de Aleppo celebra neste domingo a primeira missa em cinco anos na Catedral Maronita de Santo Elias, na parte antiga da cidade. Um pequeno grupo de pessoas decidiu limpar o local e instalar um presépio. “Nós todos temos lembranças desta igreja, aqui celebramos nossas festas e alegrias. Queremos transformar os escombros em algo bonito”, disse um dos membros desse grupo, Bachir Badaoui.

Diante de dezenas de milhares de fiéis reunidos na Praça São Pedro, o papa argentino, que acaba de completar 80 anos, disse esperar “a paz” na Terra Santa. “Que israelenses e palestinos tenham coragem e a determinação de escrever uma nova página da história, onde o ódio e a vingança deem lugar à vontade de construir juntos um futuro de compreensão recíproca e de harmonia”, acrescentou.

Paz

O soberano pontífice também pediu uma “paz restaurada” no Iraque, Líbia e Iêmen, “onde as pessoas sofrem com a guerra e atos terroristas atrozes”.

“Paz aos homens e mulheres de diferentes regiões da África, especialmente na Nigéria, onde o terrorismo fundamentalista também explora crianças para perpetrar a morte e horror”, denunciou o pontífice argentino.

O papa também pediu “valentia” à “amada Venezuela”, país mergulhado em uma profunda crise política, para acabar “com as tensões atuais”. E na mesma mensagem, felicitou a Colômbia por “um novo e valente caminho de diálogo e reconciliação”, em referência as negociações de paz com a guerrilha.

Finalmente, Francisco desejou “paz” para todos aqueles que “perderam um ente querido devido a atos terroristas”, enquanto um atentado com caminhão fez 12 mortos em 19 de dezembro em um mercado de Natal em Berlim.

O autor do ataque, um tunisiano, foi morto pela polícia na sexta-feira em Milão, na Itália.

“A paz àqueles que perderam um ente querido devido a atos atrozes de terrorismo que semearam o medo e a morte no coração de tantos países e cidades”, disse o papa.

Moradores e turistas em Berlim acendem velas e depositam flores no local do ataque. Em Milão, a polícia ocupa a praça que abriga um pequeno mercado de Natal, cujo acesso está sendo protegido por blocos de concreto desde o ataque de Berlim.

Na noite de sábado, em sua homilia da noite de Natal, o papa Francisco criticou o materialismo daqueles que festejam o Natal pensando apenas nos presentes e chamou a todos a ter compaixão pelas crianças abandonadas. Esta cerimônia, na Basílica de São Pedro, foi realizada em meio a fortes, mas discretas, medidas de segurança.

Em Belém, lugar onde, segundo a tradição cristã, nasceu Jesus Cristo, cerca de 2.500 fiéis palestinos e estrangeiros lotaram a Basílica da Natividade para a missa do Galo à meia-noite.

O presidente Mahmud Abbas e outros dignitários palestinos estavam presentes.


Domingo, 25/12/2016 - Agências de Notícias / Aleteia
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...