Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/04/2018

“Queridos filhos,

Através do Grande Amor do PAI CELESTIAL, EU estou com vocês como sua MÃE e vocês estão comigo como MEUS filhos, como Apóstolos do Meu Amor que sem cessar, reúnem-se em torno de MIM.

Filhos MEUS, vocês são aqueles que, como a oração, devem abandonar-se totalmente ao MEU FILHO, a fim de que não sejam mais vocês a viverem, mas o MEU FILHO em vocês; de modo que todos aqueles que não O conheçam, O vejam em vocês e desejem conhecê-lo.

Rezem para que eles vejam em vocês uma humildade decidida e bondade, disponibilidade a servir os outros; que vejam que vocês vivem a sua vocação no mundo com o coração, em comunhão com o MEU FILHO. Que eles vejam em vocês mansidão, ternura e amor ao MEU FILHO, como também aos seus irmãos e irmãs. Apóstolos do MEU AMOR, vocês devem rezar muito e purificar os seus corações de odo que sejam vocês os primeiros a caminhar no caminho do MEU FILHO de modo que sejam vocês os justos unidos pela JUSTIÇA do MEU FILHO.

Filhos MEUS, como MEUS Apóstolos vocês devem estar unidos na comunhão que flui do MEU FILHO, a fim de que os MEUS filhos que não conhecem o MEU FILHO reconheçam uma comunhão de amor e desejem caminhar no caminho da vida, no caminho da unidade com o MEU FILHO.

Obrigada.”

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

7 conselhos práticos para recuperar a paz do coração

Com estas dicas simples, você poderá reconquistar a paz sem obsessões, com um realismo saudável e confiando na oração.


  1. Programar e planejar o futuro sem transformá-lo em obsessão.
  Uma das coisas que mais nos afeta é a angústia ou a preocupação com o futuro que nos “rouba” o momento presente. O que vai acontecer amanhã? É preciso ocupar-se, mas não se preocupar. É preciso planejar, mas sem nos tornarmos obcecados pelo futuro. Dyer escreveu: “Todas as nossas neuroses são o resultado de não viver o presente.” E Jesus Cristo disse: “Não se preocupem com o amanhã, pois o amanhã trará suas próprias preocupações. Basta a cada dia o seu cuidado.” (Matheus 6,34)
  1. Trabalhar por um ideal com a aceitação serena da realidade
Temos que trabalhar por um objetivo, pela excelência, pelo melhor, mas sem que a realidade nos decepcione. Recordemos a oração da serenidade: “Senhor, concedei-me a serenidade necessária para aceitar as coisas que não posso mudar; Coragem para mudar aquelas que posso e Sabedoria para reconhecer a diferença entre elas”. Também podemos nos valer destas palavras: “Se não houver frutosvaleu a beleza das floresse não houver floresvaleu a sombra das folhas; se não houver folhas, valeu a intenção da semente.”
  1. Desistir de sempre ter razão
Uma das coisas que mais nos divide são as intermináveis discussões político-ideológicas. Chegamos a perder valiosas relações familiares e de amizade por discussões em que queremos impor “nossa razão”, nossa verdade. É preferível ter paz e dormir tranquilo a ter razão sempre ou impor nosso ponto de vista.
  1. Aprender a dizer Não
“Dizei somente: Sim, se é sim; não, se é não. Tudo o que passa além disto vem do Maligno” (Matheus 5,37). Dizer sim, não porque você quer e pode fazer o que lhe pedem, mas por satisfazer a vontade de alguém por medo de perder a sua amizade e o seu amor é não só um atentado contra si mesmo, como também um gerador de estresse e incômodo que desgasta qualquer um. Conheça seus limites, aja dentro deles e respeite-os. O que muito abraça pouco aperta.
  1. Não transformar nada nem ninguém em uma obsessão
Nem para o bem, nem para o mal. A obsessão tira a paz e faz perder o prazer de tudo. Outro sinônimo de obsessão pode ser codependência, adição, vício. Por trás de todo o sofrimento, há um vício. Quando você solta os vícios surgem a liberdade e a paz.  
  1. Dar menos espaço para a “informação” e mais espaço para a formação, diversão e as relações interpessoais
“Os olhos não se cansam de ver, nem os ouvidos se cansam de ouvir” (Eclesiastes, 1,8). Estamos sobrecarregados de informação, disparou-se uma espécie de vontade extrema de estarmos informados de tudo através do jornal, do rádio, da televisão, dos celulares, da internet (Twitter, Facebook).  E esse excesso de informação tirou tempo e espaço destinados à formação, à diversão saudável, à espiritualidade, aos momentos com os amigos e a família. E isso tem-nos roubado a paz. É preciso retomar espaços para as artes, para a cultura em geral e, sobretudo, para os encontros. Uma pessoa virtual jamais substituirá o olhar e o abraço de uma pessoa real.
  1. Orar
“Alegrai-vos sempre no Senhor. Repito: alegrai-vos! Seja conhecida de todos os homens a vossa bondade. O Senhor está próximo. Não vos inquieteis com nada! Em todas as circunstâncias apresentai a Deus as vossas preocupações, mediante a oração, as súplicas e a ação de graças.  E a paz de Deus, que excede toda a inteligência, haverá de guardar vossos corações e vossos pensamentos, em Cristo Jesus.” (Filipenses 4, 4-7)

Fazei me mim um instrumento de Vossa Paz
(Oração associada a São Francisco de Assis)


Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz.
Onde houver ódio, que eu leve o amor;
Onde houver ofensa, que eu leve o perdão;
Onde houver discórdia, que eu leve a união;
Onde houver dúvida, que eu leve a fé;
Onde houver erro, que eu leve a verdade;
Onde houver desespero, que eu leve a esperança;
Onde houver tristeza, que eu leve a alegria;
Onde houver trevas, que eu leve a luz.

Ó Mestre, Fazei que eu procure mais
Consolar, que ser consolado;
compreender, que ser compreendido;
amar, que ser amado.
Pois é dando que se recebe,
é perdoando que se é perdoado,
e é morrendo que se vive para a vida eterna.



Padre Jesús Genaro Pérez
Originalmente publicado por pildorasdefe.net


Terça, 27/12/2016 - aleteia
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...