Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/09/2018

Queridos filhos,

As Minhas palavras são simples, mas repletas de amor materno e de preocupação. Filhos MEUS, sobre vocês se alargam sempre mais as sombras das trevas e do engano, Eu os chamo em direção a luz e a verdade, Eu os chamo na direção de Meu Filho. Somente Ele pode converter o desespero e a dor em paz e serenidade, somente ELE pode dar esperança nas dores mais profundas. O MEU FILHO é a VIDA do mundo, e quanto mais O conhecerem, mais se aproximarão DELE e mais O amarão porque o MEU FILHO é AMOR e o AMOR muda tudo.

ELE torna maravilhoso também aquilo que sem amor pareça para vocês insignificante. Por isso novamente os digo que vocês devem amar muito se desejarem crescer espiritualmente. EU sei, apóstolos do MEU AMOR, que não sempre fácil, porém, filhos MEUS, também as estradas dolorosas são caminhos que levam ao crescimento espiritual, à fé e ao MEU FILHO.

Filhos MEUS, rezem, pensem em MEU FILHO durante todos os momentos do dia, elevem as suas almas até ELE e EU recolherei as suas orações como flores do jardim mais belo e as darei de presente ao MEU FILHO.

Sejam realmente apóstolos do MEU AMOR, deem a todos o AMOR de MEU FILHO, sejam jardins com as flores mais belas.

Com a oração ajudem os seu sacerdotes para que possam ser pais espirituais cheios de amor para todos os homens.

Obrigada.

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

O Papa Francisco escreve para o time olímpico de atletas refugiados

"Possam expressar, através destes Jogos Olímpicos, um grito de fraternidade e de paz".


O Papa Francisco escreveu uma carta aos atletas olímpicos do chamado “Time dos Refugiados“.

Quero que recebam a minha saudação e os meus votos de sucesso nestas Olimpíadas. Que a coragem e a força que trazem dentro de si possam expressar, através destes Jogos Olímpicos, um grito de fraternidade e de paz“, diz a carta, publicada neste sábado pela Rádio Vaticano.

O Santo Padre manifestou o desejo de que, olhando para o exemplo dos esportistas refugiados, a humanidade consiga “compreender que a paz é possível” e que “com a guerra tudo se perde. Desejo que o seu testemunho faça bem a todos“.

A equipe de atletas refugiados é composta por 6 homens e 4 mulheres: são dois nadadores da Síria, dois judocas da República Democrática do Congo e seis corredores da Etiópia e do Sudão do Sul.

Todos eles tiveram de fugir da violência em seus países e buscar refúgio em outras nações. Na cerimônia de abertura dos Jogos no estádio do Maracanã, eles desfilaram com a bandeira olímpica, sob fortes aplausos dentro do estádio e intensas manifestações de apoio e solidariedade nas redes sociais.


Domingo, 07/08/2016 - Aleteia
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...