Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/09/2017

Queridos filhos !

Quem melhor do que EU poderia falar para vocês do Amor e da existência do MEU FILHO ?

Vivi com ELE, EU sofri com ele, vivendo a vida terrena, EU provei da dor porque era MÃE.

MEU FILHO amou com pensamentos e obras o PAI CELESTIAL, o DEUS VERDADEIRO, e como ME dizia veio para redimi-los. EU escondi a minha dor com o amor. Vocês, filhos MEUS, tem numerosas perguntas, não compreendem a dor, não compreendem que através do Amor de Deus devem aceitar a dor e suportá-la. Todas as pessoas provam-na em maior ou menor medida, mas com a paz na alma e em estado de graça a esperança existe.

Este é o MEU FILHO, DEUS, nascido de DEUS. As SUAS PALAVRAS são sementes de Vida Eterna e semeadas nas boas almas produzem muitos frutos.

MEU FILHO suportou a dor porque tomou para si os pecados de vocês.

Por isso vocês, filhos MEUS, Apóstolos do MEU Amor, vocês que sofrem, saibam que as suas dores se tornarão luz e glória.

Filhos MEUS, enquanto vocês suportam a dor o CÉU entra em vocês, e em todos em torno de vocês é dado um pouco de Céu e muita esperança !

Obrigada !

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Depois de ter que nadar para sobreviver, refugiada consegue superar expectativas durante Olimpíadas

Há um ano, Yusra nadava para salvar 18 refugiados, que assim como ela, tentavam escapar da Síria.


Com apenas 18 anos, Yusra Mardini tem feito história e das marcantes. Ela não chegou perto de uma semifinal olímpica, já que fez 1:09.21 ao competir nos 100m borboleta, contudo, isso não foi nem de longe uma decepção para ela na tarde do sábado passado. Seu tempo foi o suficiente para ela vencer sua bateria, a primeira das disputas, mostrando que o impossível pode acontecer diante dos olhos do mundo.

Há um ano, Yusra nadava para salvar 18 refugiados, que assim como ela, tentavam escapar da Síria. Em entrevista ela deixa a realidade muito clara, “Sem nadar eu nunca estaria viva agora”, afirmou. Em 2015, ela e sua irmã decidiram que iriam viver longe da guerra que assolava a Síria e, assim como muitos, pegaram um barco para chegar à Europa. No meio da viagem o motor do bote- que tinha o triplo da capacidade segura para navegar- parou de funcionar e elas pensaram que iriam morrer junto das outras 18 pessoas que estavam na embarcação.

Foi então que Yusra e mais três pessoas pularam nas águas gélidas do mar Egeu e puxaram nadando o barco até uma ilha na Grécia. “Eu queria mostrar ao mundo inteiro que depois da dor, depois da tempestade, vem a calmaria”, disse logo depois de vencer sua bateria nas Olimpíadas no Rio Janeiro.




A VISA fez um vídeo (em inglês) sobre a história dessa heroína chamado “The Swim”, confira abaixo:



Quarta, 10/08/2016 - Best of Web / Aleteia
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...