Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/09/2018

Queridos filhos,

As Minhas palavras são simples, mas repletas de amor materno e de preocupação. Filhos MEUS, sobre vocês se alargam sempre mais as sombras das trevas e do engano, Eu os chamo em direção a luz e a verdade, Eu os chamo na direção de Meu Filho. Somente Ele pode converter o desespero e a dor em paz e serenidade, somente ELE pode dar esperança nas dores mais profundas. O MEU FILHO é a VIDA do mundo, e quanto mais O conhecerem, mais se aproximarão DELE e mais O amarão porque o MEU FILHO é AMOR e o AMOR muda tudo.

ELE torna maravilhoso também aquilo que sem amor pareça para vocês insignificante. Por isso novamente os digo que vocês devem amar muito se desejarem crescer espiritualmente. EU sei, apóstolos do MEU AMOR, que não sempre fácil, porém, filhos MEUS, também as estradas dolorosas são caminhos que levam ao crescimento espiritual, à fé e ao MEU FILHO.

Filhos MEUS, rezem, pensem em MEU FILHO durante todos os momentos do dia, elevem as suas almas até ELE e EU recolherei as suas orações como flores do jardim mais belo e as darei de presente ao MEU FILHO.

Sejam realmente apóstolos do MEU AMOR, deem a todos o AMOR de MEU FILHO, sejam jardins com as flores mais belas.

Com a oração ajudem os seu sacerdotes para que possam ser pais espirituais cheios de amor para todos os homens.

Obrigada.

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

A atleta olímpica que abandonou os Jogos no Rio para salvar seu cavalo

A amazona olímpica Adelinde Cornelissen prova que algumas coisas são mais importantes do que ganhar uma medalha de ouro.


A amozona Adelinde Cornelissen ama adestrar, mas ela ama também o seu cavalo, Parzival, o animal amigo que a levou ao auge. No Rio de Janeiro, a atleta holandesa, de 37 anos, colocou a saúde do cavalo acima de ganhar outra medalha, e retirou-se das Olimpíadas.

O querido companheiro de Cornelissen estava fraco demais para competir depois de se recuperar do que os veterinários acreditavam que era uma picada de algum tipo de inseto ou aranha. Mesmo depois do inchaço e da febre do cavalo ter diminuído, Cornelissen sabia que Parzival não estava bem o suficiente para realizar o seu melhor, e poderia sofrer mais com o esforço físico. Pouco depois de entrar na arena, Cornelissen retirou-se com uma saudação a fim de dar a Parzival o que ele merecia.

Cornelissen postou a história comovente no Facebook, bem como atualizações para os fãs para mostrar como Parzival tem se recuperado desde a doença.

Cornelissen, que ganhou medalhas olímpicas de prata e bronze, além do Mundial e medalhas de ouro na Europa, pode ter outra chance nos Jogos Olímpicos, mas provavelmente não com Parzival. Como a CNN apontou, aos 19 anos, é improvável que o cavalo consiga competir novamente. Segundo a revista Equus, o cavalo médio vive entre 18 e 22, mas pode viver até 40 anos. Mas não importa o quanto ele viva, é claro que com uma amiga e colega de trabalho como Cornelissen, seus anos serão felizes.

*Christine Stoddard é escritora e vive no Brooklyn. Escreve para Marie Claire, Bustle, Cosmopolitan, Teen Vogue, The Huffington Post, Catholic News Service, entre outros. Ela também é editora fundadora da revista literária Quail Bell.


Texto Original: http://forher.aleteia.org/articles/dressage-olympian-adelinde-cornelissen-quit-rio-to-save-horse-parzival/


Quarta,17/08/2016 - Aleteia
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...