Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/04/2019

“Queridos filhos, como MÃE que conhece os SEUS filhos, sei vocês desejam o MEU FILHO. EU sei que vocês desejam a VERDADE, a PAZ, aquilo que é puro e não é falso.

Por isto EU, como MÃE, através do AMOR DE DEUS, me dirijo a vocês e os convido, a fim de que, rezando com o coração puro e aberto, conheçam por vocês mesmos o MEU FILHO, o SEU AMOR, o SEU CORAÇÃO MISERICORDIOSO.

O MEU FILHO via a beleza em todas as coisas.

ELE procura o BEM, até mesmo naquilo que é pequeno e escondido, em todas as almas, para perdoar o mal.

Por isto, filhos MEUS, apóstolos do MEU AMOR, os convido a adorá-LO, a agradecê-LO continuamente e a serem dignos para ELE. Porque ELE disse para vocês PALAVRAS DIVINAS, as PALAVRAS DE DEUS, as PALAVRAS que são para todos e para sempre.

Por isto, filhos MEUS, vivam a serenidade, a alegria e o amor recíproco.

Isto é o que é necessário para vocês no mundo de hoje: assim serão apóstolos do MEU AMOR, assim vocês testemunharão o MEU FILHO de maneira justa.

Obrigada.”

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Papa reza em silêncio em Auschwitz pelas vítimas do extermínio nazista

O papa Francisco prestou uma emocionada homenagem às vítimas do nazismo com uma visita nesta sexta-feira ao campo de concentração de Auschwitz, na Polônia, onde percorreu em silêncio o local onde mais de um milhão de pessoas, em sua imensa maioria judeus, foram assassinadas.

Durante a visita de quase duas horas, o Papa não pronunciou discursos. Ele se encontrou com dez sobreviventes destes campos e 25 “Justos das Nações”, as pessoas que salvaram judeus.

Trata-se do terceiro pontífice que visita Auschwitz depois do polonês João Paulo II em 1979 e do alemão Bento XVI em 2006.

Francisco chegou de helicóptero a Auschwitz procedente da Cracóvia, cidade onde pernoita desde que chegou na quarta-feira à Polônia para uma visita de cinco dias.

O Papa argentino entrou a pé e atravessou sozinho e em silêncio a placa da entrada, tristemente famosa pelo lema “Arbeit macht frei” (O trabalho liberta), com o qual os nazistas recebiam os deportados.

Entre os presentes figurava o violinista Henela Niwiska, de 101 anos, sobrevivente do extermínio.

Francisco rezou na cela subterrânea onde morreu o santo polonês Maximiliano Kolbe, franciscano como ele, e assinou posteriormente o livro de homenagem. Seriam suas únicas palavras no campo, informou o porta-voz papal.

O pontífice latino-americano também visitou o campo de extermínio de Birkenau-Auschwitz II, onde a maior parte das vítimas morreu em quatro fornos crematórios e onde as mulheres estavam localizadas.


Com um canto em hebraico e polonês foi concluída a visita, com duração de duas horas e que contou com a participação de uma delegação da comunidade judaica polonesa de 30 pessoas, assim como com a primeira-ministra polonesa Beata Szydlo.


Sexta, 29/07/2016 - Agências de Notícias / Aleteia
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...