Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/12/2017

“Queridos filhos, Me dirijo a vocês como sua Mãe, a Mãe dos justos, a Mãe daqueles que amam e sofrem, a Mãe dos santos.

Filhos Meus, também vocês podem ser santos: depende de vocês. Santos são aqueles que amam imensamente o Pai Celestial, aqueles que O amam acima de tudo.

Por isso, filhos Meus, procurem ser sempre melhores. Se procuraram ser bons, podem ser santos, também se não pensam isto de vocês. Se vocês pensam ser bons, não são humildes e a soberba os distancia da santidade.

Neste mundo inquieto, cheio de ameaças, as suas mãos, apóstolos do Meu amor, devem estar estendidas em oração e em misericórdia. Para mim, filhos Meus, presenteiem o Rosário, as rosas que tanto amo!

As Minhas rosas são as suas orações feitas com o coração e não somente recitadas com os lábios. As minhas rosas são as suas obras de oração, de fé e de amor.

Quando era pequeno, Meu Filho me dizia que os Meus filhos seriam numerosos e que me trariam muitas rosas.

Eu não compreendia, agora sei que vocês são aqueles filhos, que trazem rosas quando amam o Meu Filho acima de tudo, quando rezam com o coração, que ajudam os mais pobres. Estas são as Minhas rosas!

Esta é a fé, que faz que tudo na vida se faça por amor; que não conhece a soberba; que perdoa sempre prontamente, sem nunca julgar e procurando sempre compreender o próprio irmão.

Por isso, apóstolos do Meu amor, rezem por aqueles que não sabem amar, por aqueles que não os amam, por aqueles que os fizeram mal, por aqueles que não conheceram o Amor de Meu Filho. Filhos Meus, os peço isto para que lembrem que rezar significa amar e perdoar. Obrigada !”

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Sua idade mental coincide com sua idade física?

Siga estas 3 dicas e deixe de ser o idoso que, na realidade, você não é...!


O conceito de ’envelhecer’ vem mudando nas últimas décadas. Hoje em dia, é comum vermos pessoas de 70, 80 anos participando de maratonas, pedalando ou em pleno auge trabalhando nas empresas. O conceito de vovô aposentado de bengala parado em casa muitas vezes não coincide com essa nova imagem das pessoas ativas em plena terceira idade. Mas, claro, o contrário também acontece: volta e meia nos deparamos com velhos de 30 e poucos anos.

Publicamos esta reflexão, justamente de um homem de 30 anos, que tem o propósito de mostrar a realidade para aquelas pessoas que, apesar de terem pouca idade, sentem que são mais velhas do que indica a carteira de identidade.

«Desde os 15 anos, comecei a envelhecer demais. Bem, pelo menos que eu me lembre. O que quero dizer é que comecei a sentir os problemas de saúde típicos das pessoas mais velhas: meu intestino não funcionava direito, não conseguia controlar o peso, tinha uma tosse permanente.

É curioso como um adolescente pode se sentir com a idade dos seus avós. Com o passar do tempo, outros problemas surgiram. Eu estava convencido de que minha memória era péssima em todos os sentidos, e que em pouco tempo estaria sofrendo de Alzheimer. Talvez fosse hipocondríaco e paranoico. Tinha certeza de que os cabelos brancos chegariam antes dos 20 e que meu cabelo iria cair antes que eu chegasse aos 30.

Meu pensamento era obcecado pela questão da idade e da saúde, e isso automaticamente se refletia no meu comportamento, mentalidade e em minha capacidade de sonhar e traçar metas.

Quando decidi virar a página e criar um novo ’eu’ de acordo com a minha idade? Ao completar 30 anos. Talvez aquele pequeno amadurecimento me tenha feito ver que aqueles problemas de saúde que me faziam sentir velho eram totalmente de minha responsabilidade e que ainda estava em tempo de eliminá-los da minha vida, para começar a me sentir jovem.

Foi quando eu descobri três conselhos que sugiro a você seguir para evitar sensações negativas sobre si mesmo e viver a vida plenamente, sendo coerente com sua idade:

1. Se tiver alguma doença, faça sua parte para melhorar. É sério!

Aos 15 eu soube que sofria do intestino. Numa consulta médica, descobri que para cuidar das irritações no intestino, as orientações iam de evitar ao máximo o estresse a fazer exercícios diários, além de não consumir alimentos que poderiam ser prejudiciais, como alface e Coca-Cola. O que eu fiz durante os 15 anos seguintes? Pouco exercício, tive crises histéricas constantes e nada de dieta. A Coca-Cola era minha bebida favorita, e frango com alface era algo que adorava. Ok, pode parecer estranho, mas eu adorava. E o que consegui tapando os olhos para meu problema? Só piorar, nada de melhora. Acho que agora você entende sobre o que estou falando.

2. Controlar seu peso não é questão de vaidade

Os estereótipos de beleza não devem ser a principal motivação para que você controle seu peso, seu principal estímulo deve ser sua própria saúde. Durante boa parte da vida, sofri por ser o gordinho da escola, da universidade, de casa e de todo grupo social do qual fazia parte, pois todos logo viam minhas bochechas rechonchudas e olhos expressivos. Eu fazia dietas fracassadas e, todas as manhãs, me forçava para levantar e fazer exercícios, mas quando fazia isso me sentia obrigado, cansado e desanimado. Logo, eu estava comendo sem pensar e deixando de lado os exercícios, sem me importar com a aparência. «Se gostarem de mim, irão gostar do jeito que eu sou», repetia para mim mesmo.

Veja como a motivação influencia. Jamais me concentrei no que é realmente importante: minha saúde! Pensava só no que os outros diriam sobre minha aparência, por isso nunca tinha sucesso. Se você faz exercícios, seu corpo começa a funcionar como um relógio, qualquer problema de saúde que tiver irá diminuir, ou até desaparecer. Se isso não o motiva, nada mais motivará.

3. Para ter boa memória, é preciso exercitá-la!

Assim como o seu corpo precisa se oxigenar com exercícios, o mesmo acontece com a sua mente. Por anos, reclamei da minha péssima memória. Em cada prova na escola, precisava decorar as lições como um papagaio, prestava o exame e ia ’bem’, mas poucas horas depois, não havia mais nada na minha cabeça. Ou seja, a típica memória curta.

Então, entendi que, para manter uma informação na mente, tinha de levar meu cérebro para a academia. Assim como dedico 1 hora do meu dia aos exercícios físicos, dedico no mínimo o mesmo tempo para ler um pouco de tudo: livros dos quais eu gosto e outros de que não gosto tanto, jornais e revistas. Em um piscar de olhos, minha memória se fortaleceu e passei a guardar mais informações. 

Quero dizer, essa história de Alzheimer precoce era só parte das minhas invenções e resultado da minha indisciplina.

Se você fizer a sua parte, asseguro que deixará de ser esse idoso ou idosa que na realidade você não é, e poderá traçar as metas que sempre quis alcançar, mas que a sua idade mental jamais permitiria que você alcançasse.


Sexta, 03/06/2016 - via Incrível.club / Aleteia
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...