Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/09/2018

Queridos filhos,

As Minhas palavras são simples, mas repletas de amor materno e de preocupação. Filhos MEUS, sobre vocês se alargam sempre mais as sombras das trevas e do engano, Eu os chamo em direção a luz e a verdade, Eu os chamo na direção de Meu Filho. Somente Ele pode converter o desespero e a dor em paz e serenidade, somente ELE pode dar esperança nas dores mais profundas. O MEU FILHO é a VIDA do mundo, e quanto mais O conhecerem, mais se aproximarão DELE e mais O amarão porque o MEU FILHO é AMOR e o AMOR muda tudo.

ELE torna maravilhoso também aquilo que sem amor pareça para vocês insignificante. Por isso novamente os digo que vocês devem amar muito se desejarem crescer espiritualmente. EU sei, apóstolos do MEU AMOR, que não sempre fácil, porém, filhos MEUS, também as estradas dolorosas são caminhos que levam ao crescimento espiritual, à fé e ao MEU FILHO.

Filhos MEUS, rezem, pensem em MEU FILHO durante todos os momentos do dia, elevem as suas almas até ELE e EU recolherei as suas orações como flores do jardim mais belo e as darei de presente ao MEU FILHO.

Sejam realmente apóstolos do MEU AMOR, deem a todos o AMOR de MEU FILHO, sejam jardins com as flores mais belas.

Com a oração ajudem os seu sacerdotes para que possam ser pais espirituais cheios de amor para todos os homens.

Obrigada.

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Esta menina italiana poderia ser em breve a santa mais jovem da história da Igreja

Antonietta Meo nasceu em Roma no dia 15 de dezembro de 1930, e morreu aos seis anos de idade, em 3 de julho de 1937. Em breve ela poderia chegar a ser a santa confessora mais jovem canonizada pela Igreja Católica. Mas qual é a história de Antonietta?

Quando tinha apenas 5 anos de idade, Nennolina (como era chamada pela sua família) caiu e machucou o joelho. Ao ver que seu joelho não se curava, foi diagnosticada com osteosarcoma, uma forma agressiva de câncer nos ossos.

Sua perna precisou ser amputada e ela começou a usar uma perna artificial. Segundo seus biógrafos, a menina suportou tudo com uma alegria excepcional.


Além disso, Nennolina escreveu mais de cem cartas extraordinárias a Jesus e a Maria, o que a fez ganhar fama de mística entre os teólogos católicos, devido ao conteúdo das cartas.

Escritas durante seus últimos meses de vida, as cartas mostram uma compreensão dos mistérios da fé e das ações espirituais que vai muito além da capacidade de qualquer criança da sua idade.

Algumas das cartas se dirigiam a Jesus (“Querido Menino Jesus, Tu és santo, Tu és bom. Ajuda-me, dá-me a tua graça e devolve a minha perna. Mas se não é isso que queres, que se faça a tua vontade”), outras descrevem visões celestiais.

Nennolina insistiu em escrever uma última carta a Jesus alguns dias antes de sua morte. Nela, pediu a Jesus que cuidasse de todos aqueles a quem amava, e pediu fortaleza para suportar a dor pela qual estava passando.

A carta ficou inconclusa, interrompida pela doença da menina. As últimas palavras que ela escreveu foram: “Tua menina te manda muitos beijos”.

Pouco depois, disse à sua mãe que estava prestes a morrer: “Daqui a algumas horas eu vou morrer, mas não vou sofrer mais, e você não precisa chorar. Eu deveria viver alguns dias a mais, mas Santa Terezinha do Menino Jesus me disse: ‘É suficiente'”.

Após a morte da menina, sua mãe teve uma visão de Nennolina na glória, garantindo-lhe que já estava no céu.


As relíquias de Antonietta Meo se encontram atualmente na Basílica da Santa Cruz, em Roma, onde foi batizada e passou grande parte do seu tempo rezando e meditando.


Segunda, 06/06/2016 - Daniel R. Esparza / Aleteia
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...