Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/07/2017

“Queridos filhos, os agradeço porque responderam ao Meu chamado e porque se reuniram em torno de Mim, em torno da Sua Mãe Celestial. Eu sei que pensam em Mim com amor e esperança. Eu sinto o amor de cada um de vocês, como também a sede do Meu Amadíssimo Filho, que por meio do Seu Amor Misericordioso, sempre e novamente Me envia até vocês. Ele que era homem e Deus Uno e Trino. Ele que por causa de vocês sofreu com o corpo e com a alma. Ele que se fez pão para dar pão às suas almas, para poder salvá-las.

Meus filhos, os ensino como serem dignos do Seu Amor, para poderem dirigir os seus pensamentos a Ele, para poderem viver o Meu Filho. Apóstolos do Meu Amor, os envolvo com o Meu Manto porque como Mãe desejo salvá-los.

Os peço: rezem pelo mundo inteiro. O Meu Coração sofre. Os pecados se multiplicam, são muitos. Mas com a ajuda de vocês, vocês que são humildes, cheios de amor, escondidos e santos, o Meu Coração triunfará. Amem o Meu Filho acima de tudo, e o mundo inteiro por meio Dele.

Não esqueçam nunca que cada irmão seu leva em si algo de precioso: a alma. Por isso, Meus filhos, amem a todos aqueles que não conhecem o Meu Filho, para que por meio da oração e do amor que vem da oração, eles possam tornarem-se melhores, a fim de que a bondade neles possa vencer, para poder salvarem as almas e terem a Vida Eterna.

Meus Apóstolos, Meus filhos, o Meu Filho pediu que amassem uns aos outros; que isto esteja escrito em seus corações e com a oração comecem a viver este amor.

Obrigada.

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Esta menina italiana poderia ser em breve a santa mais jovem da história da Igreja

Antonietta Meo nasceu em Roma no dia 15 de dezembro de 1930, e morreu aos seis anos de idade, em 3 de julho de 1937. Em breve ela poderia chegar a ser a santa confessora mais jovem canonizada pela Igreja Católica. Mas qual é a história de Antonietta?

Quando tinha apenas 5 anos de idade, Nennolina (como era chamada pela sua família) caiu e machucou o joelho. Ao ver que seu joelho não se curava, foi diagnosticada com osteosarcoma, uma forma agressiva de câncer nos ossos.

Sua perna precisou ser amputada e ela começou a usar uma perna artificial. Segundo seus biógrafos, a menina suportou tudo com uma alegria excepcional.


Além disso, Nennolina escreveu mais de cem cartas extraordinárias a Jesus e a Maria, o que a fez ganhar fama de mística entre os teólogos católicos, devido ao conteúdo das cartas.

Escritas durante seus últimos meses de vida, as cartas mostram uma compreensão dos mistérios da fé e das ações espirituais que vai muito além da capacidade de qualquer criança da sua idade.

Algumas das cartas se dirigiam a Jesus (“Querido Menino Jesus, Tu és santo, Tu és bom. Ajuda-me, dá-me a tua graça e devolve a minha perna. Mas se não é isso que queres, que se faça a tua vontade”), outras descrevem visões celestiais.

Nennolina insistiu em escrever uma última carta a Jesus alguns dias antes de sua morte. Nela, pediu a Jesus que cuidasse de todos aqueles a quem amava, e pediu fortaleza para suportar a dor pela qual estava passando.

A carta ficou inconclusa, interrompida pela doença da menina. As últimas palavras que ela escreveu foram: “Tua menina te manda muitos beijos”.

Pouco depois, disse à sua mãe que estava prestes a morrer: “Daqui a algumas horas eu vou morrer, mas não vou sofrer mais, e você não precisa chorar. Eu deveria viver alguns dias a mais, mas Santa Terezinha do Menino Jesus me disse: ‘É suficiente'”.

Após a morte da menina, sua mãe teve uma visão de Nennolina na glória, garantindo-lhe que já estava no céu.


As relíquias de Antonietta Meo se encontram atualmente na Basílica da Santa Cruz, em Roma, onde foi batizada e passou grande parte do seu tempo rezando e meditando.


Segunda, 06/06/2016 - Daniel R. Esparza / Aleteia
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...