Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/09/2018

Queridos filhos,

As Minhas palavras são simples, mas repletas de amor materno e de preocupação. Filhos MEUS, sobre vocês se alargam sempre mais as sombras das trevas e do engano, Eu os chamo em direção a luz e a verdade, Eu os chamo na direção de Meu Filho. Somente Ele pode converter o desespero e a dor em paz e serenidade, somente ELE pode dar esperança nas dores mais profundas. O MEU FILHO é a VIDA do mundo, e quanto mais O conhecerem, mais se aproximarão DELE e mais O amarão porque o MEU FILHO é AMOR e o AMOR muda tudo.

ELE torna maravilhoso também aquilo que sem amor pareça para vocês insignificante. Por isso novamente os digo que vocês devem amar muito se desejarem crescer espiritualmente. EU sei, apóstolos do MEU AMOR, que não sempre fácil, porém, filhos MEUS, também as estradas dolorosas são caminhos que levam ao crescimento espiritual, à fé e ao MEU FILHO.

Filhos MEUS, rezem, pensem em MEU FILHO durante todos os momentos do dia, elevem as suas almas até ELE e EU recolherei as suas orações como flores do jardim mais belo e as darei de presente ao MEU FILHO.

Sejam realmente apóstolos do MEU AMOR, deem a todos o AMOR de MEU FILHO, sejam jardins com as flores mais belas.

Com a oração ajudem os seu sacerdotes para que possam ser pais espirituais cheios de amor para todos os homens.

Obrigada.

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Declaração forte do Papa Francisco: “parte dos matrimônios sacramentais é nula”

Ao prometerem fidelidade para sempre, muitos esposos "têm a boa vontade, mas não têm a consciência".


Ao abrir o Congresso Diocesano de Roma sobre a família, na basílica de São João de Latrão, o Papa Francisco respondeu espontaneamente às perguntas de um sacerdotes e de dois catequistas presentes. 

Os temas abordados nas duas primeiras questões foram os efeitos do individualismo no seio da família e na pastoral familiar e o perigo de uma “dupla moral” nas paróquias, caindo-se ou em excessos de rigor ou na leniência.

A terceira questão tratou da crise do matrimônio – e foi transformada na mais recente “polêmica” midiática em torno a declarações do Santo Padre.

Francisco afirmou que “uma grande maioria de nossos matrimônios sacramentais é nula“. O motivo desta nulidade? Os esposos prometem fidelidade para a vida inteira, mas, na realidade, “não sabem o que dizem, porque têm outra cultura. Dizem, e têm a boa vontade, mas não têm a consciência”.

O problema está, segundo o papa, na preparação para o matrimônio: “não se sabe o que é o sacramento, a beleza do sacramento; não se sabe que ele é indissolúvel, não se sabe que ele é para a vida inteira“.

Francisco destacou ainda a importância da paciência na pastoral matrimonial, evocando o “apostolado da escuta, do ouvir, do acompanhar“, e aproveitou para renovar um conselho que já tinha dado em ocasiões anteriores aos casais: “Nunca terminem o dia sem fazer as pazes“.

A POLÊMICA

Setores da mídia divulgaram que as palavras do papa teriam causado “controvérsias entre os mais conservadores” e destacaram que, na transcrição oficial do discurso de Francisco, a frase “uma grande maioria de nossos matrimônios sacramentais é nula” foi substituída por outra: “uma parte de nossos matrimônios sacramentais é nula“.

OS ESCLARECIMENTOS

A pedido do próprio Santo Padre, o porta-voz da Santa Sé, pe. Federico Lombardi, esclareceu a declaração sobre os matrimônios nulos. Lombardi explicou:

Depois da terceira pergunta, feita por um leigo, o papa, na resposta dada de maneira improvisada sobre a cultura do provisório, disse verbalmente: ‘Por isso, uma grande maioria de nossos matrimônios sacramentais é nula’, enquanto o texto da Sala de Imprensa de hoje diz que ‘uma parte de nossos matrimônios sacramentais é nula’. Por que ocorreu esta mudança? Será que é uma manipulação do que o papa disse? A resposta é que, quando o papa fala ‘de maneira improvisada’, espontaneamente, o texto transcrito sempre precisa passar por uma revisão do responsável pelo cuidado dos textos do papa, para verificar a linguagem ou eventuais inexatidões ou pontos específicos que seria oportuno precisar. Quando são tocados temas de uma certa relevância, o texto revisado é sempre submetido ao próprio papa. Foi o que aconteceu neste caso. Portanto, o texto publicado foi aprovado expressamente pelo papa“.

O FATO

Embora sempre haja quem prefira polemizar quanto à forma, o que de fato exige atenção, como sempre, é o conteúdo para o qual o Santo Padre nos alerta: o fato real da inconsciência de muitos casais a respeito da profundidade do próprio compromisso matrimonial indissolúvel.


Segunda, 20/06/2016 - Aleteia
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...