Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/07/2017

“Queridos filhos, os agradeço porque responderam ao Meu chamado e porque se reuniram em torno de Mim, em torno da Sua Mãe Celestial. Eu sei que pensam em Mim com amor e esperança. Eu sinto o amor de cada um de vocês, como também a sede do Meu Amadíssimo Filho, que por meio do Seu Amor Misericordioso, sempre e novamente Me envia até vocês. Ele que era homem e Deus Uno e Trino. Ele que por causa de vocês sofreu com o corpo e com a alma. Ele que se fez pão para dar pão às suas almas, para poder salvá-las.

Meus filhos, os ensino como serem dignos do Seu Amor, para poderem dirigir os seus pensamentos a Ele, para poderem viver o Meu Filho. Apóstolos do Meu Amor, os envolvo com o Meu Manto porque como Mãe desejo salvá-los.

Os peço: rezem pelo mundo inteiro. O Meu Coração sofre. Os pecados se multiplicam, são muitos. Mas com a ajuda de vocês, vocês que são humildes, cheios de amor, escondidos e santos, o Meu Coração triunfará. Amem o Meu Filho acima de tudo, e o mundo inteiro por meio Dele.

Não esqueçam nunca que cada irmão seu leva em si algo de precioso: a alma. Por isso, Meus filhos, amem a todos aqueles que não conhecem o Meu Filho, para que por meio da oração e do amor que vem da oração, eles possam tornarem-se melhores, a fim de que a bondade neles possa vencer, para poder salvarem as almas e terem a Vida Eterna.

Meus Apóstolos, Meus filhos, o Meu Filho pediu que amassem uns aos outros; que isto esteja escrito em seus corações e com a oração comecem a viver este amor.

Obrigada.

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Declaração forte do Papa Francisco: “parte dos matrimônios sacramentais é nula”

Ao prometerem fidelidade para sempre, muitos esposos "têm a boa vontade, mas não têm a consciência".


Ao abrir o Congresso Diocesano de Roma sobre a família, na basílica de São João de Latrão, o Papa Francisco respondeu espontaneamente às perguntas de um sacerdotes e de dois catequistas presentes. 

Os temas abordados nas duas primeiras questões foram os efeitos do individualismo no seio da família e na pastoral familiar e o perigo de uma “dupla moral” nas paróquias, caindo-se ou em excessos de rigor ou na leniência.

A terceira questão tratou da crise do matrimônio – e foi transformada na mais recente “polêmica” midiática em torno a declarações do Santo Padre.

Francisco afirmou que “uma grande maioria de nossos matrimônios sacramentais é nula“. O motivo desta nulidade? Os esposos prometem fidelidade para a vida inteira, mas, na realidade, “não sabem o que dizem, porque têm outra cultura. Dizem, e têm a boa vontade, mas não têm a consciência”.

O problema está, segundo o papa, na preparação para o matrimônio: “não se sabe o que é o sacramento, a beleza do sacramento; não se sabe que ele é indissolúvel, não se sabe que ele é para a vida inteira“.

Francisco destacou ainda a importância da paciência na pastoral matrimonial, evocando o “apostolado da escuta, do ouvir, do acompanhar“, e aproveitou para renovar um conselho que já tinha dado em ocasiões anteriores aos casais: “Nunca terminem o dia sem fazer as pazes“.

A POLÊMICA

Setores da mídia divulgaram que as palavras do papa teriam causado “controvérsias entre os mais conservadores” e destacaram que, na transcrição oficial do discurso de Francisco, a frase “uma grande maioria de nossos matrimônios sacramentais é nula” foi substituída por outra: “uma parte de nossos matrimônios sacramentais é nula“.

OS ESCLARECIMENTOS

A pedido do próprio Santo Padre, o porta-voz da Santa Sé, pe. Federico Lombardi, esclareceu a declaração sobre os matrimônios nulos. Lombardi explicou:

Depois da terceira pergunta, feita por um leigo, o papa, na resposta dada de maneira improvisada sobre a cultura do provisório, disse verbalmente: ‘Por isso, uma grande maioria de nossos matrimônios sacramentais é nula’, enquanto o texto da Sala de Imprensa de hoje diz que ‘uma parte de nossos matrimônios sacramentais é nula’. Por que ocorreu esta mudança? Será que é uma manipulação do que o papa disse? A resposta é que, quando o papa fala ‘de maneira improvisada’, espontaneamente, o texto transcrito sempre precisa passar por uma revisão do responsável pelo cuidado dos textos do papa, para verificar a linguagem ou eventuais inexatidões ou pontos específicos que seria oportuno precisar. Quando são tocados temas de uma certa relevância, o texto revisado é sempre submetido ao próprio papa. Foi o que aconteceu neste caso. Portanto, o texto publicado foi aprovado expressamente pelo papa“.

O FATO

Embora sempre haja quem prefira polemizar quanto à forma, o que de fato exige atenção, como sempre, é o conteúdo para o qual o Santo Padre nos alerta: o fato real da inconsciência de muitos casais a respeito da profundidade do próprio compromisso matrimonial indissolúvel.


Segunda, 20/06/2016 - Aleteia
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...