Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/09/2018

Queridos filhos,

As Minhas palavras são simples, mas repletas de amor materno e de preocupação. Filhos MEUS, sobre vocês se alargam sempre mais as sombras das trevas e do engano, Eu os chamo em direção a luz e a verdade, Eu os chamo na direção de Meu Filho. Somente Ele pode converter o desespero e a dor em paz e serenidade, somente ELE pode dar esperança nas dores mais profundas. O MEU FILHO é a VIDA do mundo, e quanto mais O conhecerem, mais se aproximarão DELE e mais O amarão porque o MEU FILHO é AMOR e o AMOR muda tudo.

ELE torna maravilhoso também aquilo que sem amor pareça para vocês insignificante. Por isso novamente os digo que vocês devem amar muito se desejarem crescer espiritualmente. EU sei, apóstolos do MEU AMOR, que não sempre fácil, porém, filhos MEUS, também as estradas dolorosas são caminhos que levam ao crescimento espiritual, à fé e ao MEU FILHO.

Filhos MEUS, rezem, pensem em MEU FILHO durante todos os momentos do dia, elevem as suas almas até ELE e EU recolherei as suas orações como flores do jardim mais belo e as darei de presente ao MEU FILHO.

Sejam realmente apóstolos do MEU AMOR, deem a todos o AMOR de MEU FILHO, sejam jardins com as flores mais belas.

Com a oração ajudem os seu sacerdotes para que possam ser pais espirituais cheios de amor para todos os homens.

Obrigada.

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Cientista descobre o primeiro gene que causa a esclerose múltipla

A descoberta, considerada impensável há alguns anos, foi possível graças ao sequenciamento de DNA.


Quando Carles Vilariño-Güell começou a trabalhar com o pesquisador Dessa Sadovnik na hipótese de que a esclerose múltipla (uma doença autoimune que afeta mais de dois milhões de pessoas) poderia ter uma causa genética, a comunidade científica acolheu sua hipótese com desprezo.

Anos mais tarde, graças à tecnologia de sequenciamento de DNA em massa, aplicada a mais de treze mil amostras, Vilariño-Güell e Sadovnik encontraram o que buscavam: um gene que provoca o aparecimento da esclerose múltipla. Sua hipótese estava correta.

Vilariño-Güell, cientista da Universidade de Columbia, disse: “temos a evidência clara e irrefutável de que variáveis familiares também existem no caso da esclerose múltipla”.

Espera-se que isto dê um novo impulso à pesquisa genética desta doença que, diferentemente do Parkinson ou do Alzheimer, até agora não tinha sido vinculada a variáveis hereditárias.


Sexta, 24/06/2016 - Daniel R. Esparza / Aleteia
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...