Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/02/2018

Queridos filhos !

Vocês a quem o MEU FILHO ama, vocês a quem EU amo imensamente com o MEU AMOR MATERNO, não permitam que o egoísmo e o amar muito a si mesmo reinem no mundo. Não permitam que o amor e a bondade fiquem escondidos. Vocês que são amados, vocês que conheceram o AMOR do MEU FILHO, lembrem-se que ser amado significa amar. Filhos MEUS, tenham fé: quando vocês tem fé, vocês são felizes e difundem a paz. As suas almas exultam de alegria. Nestas almas está o MEU FILHO: quando se doam pela fé, quando se doam pelo amor, quando fazem o bem ao próximo, o MEU FILHO sorri em suas almas. Apóstolos do MEU AMOR, ME dirijo a vocês como MÃE, os reúno em torno de MIM porque desejo conduzí-los no caminho do AMOR e da FÉ, no caminho que leva até a LUZ DO MUNDO. EU estou aqui pelo AMOR e pela FÈ; porque desejo abençoá-los, porque EU desejo, com a MINHA BENÇÂO MATERNA, dar a vocês força e esperança no seu caminho. Porque a estrada que conduz ao MEU FILHO não é fácil, é cheia de renúncias, de dar-se, do sacrifício, do perdão e muito, muito amor mas este caminho conduz à paz e à alegria. Filhos MEUS, não acreditem nas vozes falsas que falam de coisas falsas e de luzes falsas: vocês, filhos MEUS, voltem para a SAGRADA ESCRITURA. Com imenso amor EU os vejo e, PELA GRAÇA DE DEUS, EU ME MANIFESTO A VOCÊS. Filhos Meus, caminham COMIGO. Que as almas de vocês exultem de alegria.

Obrigada.

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Testemunho: Quando protestante, eu odiava os católicos e a Virgem Maria

 Perguntei-lhe o que era aquilo, e ele com muita simplicidade respondeu-me que era a medalha milagrosa e nela tinha o retrato de Nossa Senhora. Perguntei-lhe se achava aquilo certo. Seus olhos brilharam...

Eu Odiava Nossa Senhora, e foi justamente ela, que Intercedeu pela Minha Conversão a Verdadeira Igreja do Filho dela.

Quando eu era protestante, tinha um verdadeiro ódio a Virgem Maria e aos católicos, não podia ver um padre ou uma freira, via neles falsos profetas, e achava que a Virgem Maria conduzia os católicos para o inferno. Também foi isso que me ensinaram desde pequeno. Um dia em um ponto de ônibus, na praça Deodoro, aqui em Maceió, encontrei um rapaz, com uma medalha pregada por um broche no bolso da camisa, fui a ele cheio de ironia, no intuito de combater o que pensava eu, ser uma idolatria, e conduzi-lo à minha igreja(...).


Comecei a observar os católicos praticantes e cada vez mais sentia-me confuso. Como em minha conversa com Antônio Marcos, o rapaz do Lar Santo Antônio, ele convidou-me a ir passar um final de semana no orfanato, fiquei de férias do trabalho, combinei com minha esposa, e fui passar dois dias em Quebrangulo, afim de arejar a cabeça e ver se encontrava resposta às minhas dúvidas. Lá procurei o meu amigo, mas todos também eram meus amigos e não deixaram eu ir para o hotel, e em lugar de dois dias passei quinze dias.

Passei a conviver com aquelas crianças e jovens e com eles aprendi a viver o mandamento de Jesus, o "amai-vos uns aos outros", a amar a Virgem Maria. A presença de Maria e de Jesus entre eles é muito forte Ali ninguém fala mal de ninguém, rezam muito. Com eles aprendi a crer e amar Jesus na Hóstia. Trabalham, estudam brincam, e a paz e alegria que existe naquela comunidade é diferente e contagiante.

Encontrei respostas para minhas dúvidas não com palavras, mas com o exemplo de vida e vidas de crianças e jovens. Ali tornei-me católico aos pés da Virgem. Fui orientado a procurar aqui em Maceió um frade capuchinho, chamado Frei Fulgêncio e tê-lo como meu orientador espiritual. Saí de um pedaço do céu e fui enviado a um santo. Fiquei encantado com a humildade daquele servo de Deus. Comecei a fazer parte da Renovação Carismática, o grupo de oração que faço parte é dirigido por Frei Fulgêncio, e os irmãos vivem como os cristãos primitivos.

Quando os irmãos protestantes souberam que tinha me tornado católico e minha esposa também, começaram a nos perseguir, foi aí então que eu vi o erro que vivi mergulhado durante tanto tempo. Hoje graças a Deus, eu e minha família estamos vivendo uma experiência nunca vivida com tanta felicidade. Hoje eu posso dizer que meu Jesus, o meu Salvador não é uma ideologia, pois uma ideologia não tem mãe (esta frase eu aprendi com meus amiguinhos do orfanato).

Mas um ser divino que é Deus e Homem e tem uma Mãe, e por isso somos irmãos e precisamos andar muito unidos. Ainda preciso aprender muita coisa da religião católica, estou aprendendo sobre os sacramentos, e estou me preparando para receber a primeira Eucaristia e o sacramento da Confirmação. Neste final de semana fui a Quebrangulo, e lá aprendi a rezar o terço contemplando os mistérios da nossa Redenção, como junto aos meus amiguinhos fui esclarecido que o terço é uma oração Bíblica que nos leva ao seio da Santíssima Trindade, e por isso é uma oração que muito agrada a Maria. Deles ganhei um terço e já estou rezando-o, graças a Deus e a Maria.


Para terminar, se esse meu testemunho for publicado, eu peço a todos que lerem que nunca deixem esta Igreja Católica por nenhuma outra, pois só ela é uma em Cristo, e é a única que Cristo se faz presente pela Eucaristia, e a única que como Deus, honra a Virgem Maria e a tem como Mãe...


Segunda, 04/01/2016 - Vocacionados Menores, Frei Miltom / Postado por: Paulo Alves
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...