Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/11/2017

“Queridos filhos, olhando vocês em torno de Mim, em torno da sua Mãe, Eu estou vendo muitas almas puras, vejo muitos dos Meus filhos que estão procurando amor e consolação, mas ninguém está oferecendo isso a eles.

Também vejo aqueles que fazem o mal, porque não têm bons exemplos, não conheceram Meu Filho, aquele bem que é silencioso, que se difunde através das almas puras, que é a força que reforça o mundo.

Existem muitos pecados, mas também muito amor. o Meu Filho Me envia, como Mãe, a mesma igual para todos, para que Eu vos ensine o Amor, para que vocês compreendam que são irmãos.

Ele deseja vos ajudar. Apóstolos do Meu Amor, é suficiente o desejo vivo da fé e do Amor, o Meu Filho o aceitará.

Mas vocês têm que ser dignos, ter boa vontade e um coração aberto. O Meu Filho entra nos corações abertos. Eu, como Mãe, desejo que vocês conheçam o melhor possível o Meu Filho, Deus, nascido de Deus, para que vocês conheçam a grandeza do Seu Amor, o qual vocês tanto precisam.

Ele aceitou os seus pecados, conseguiu a Redenção para vocês, mas em troca procura que vocês amem-se uns aos outros. O Meu Filho é Amor. Ele ama todo ser humano, sem diferença, todas as pessoas de todos os povos e nações.

Se vocês, Meus Filhos, vivessem o Amor do Meu Filho, o Seu Reinado já estaria na Terra. Por isso, Apóstolos do Meu Amor, rezem, rezem para que o Meu Filho e Seu Amor estejam mais próximos de vocês, para que vocês sejam exemplos de Amor e possam ajudar àqueles que ainda não conhecem o Meu Filho.

Nunca esqueçam que o Meu Filho, Uno e Trino, Ama. Amem e rezem pelos seus sacerdotes. Obrigada.”

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Uma visita guiada de meia hora ao inferno

Conteúdo gráfico bélico não recomendado para menores de 18 anos nem para pessoas especialmente sensíveis.


O canal aDRI12345, no YouTube, é um dos muitos que reúnem vídeos brutais e estarrecedores da guerra tal como ela acontece em pleno furor da batalha, a partir dos olhos e das câmeras dos combatentes.

Na sua maioria, são vídeos explícitos que não recomendamos a menores de 18 anos nem a adultos particularmente sensíveis.

Então por que estamos publicando esta matéria e divulgando esse canal?

Porque, se os católicos pretendem mesmo falar (e apoiar) uma guerra, o mínimo necessário é que tenham noção ao menos básica do que é, de verdade, para um ser humano real e concreto, estar no meio de uma.

Estes vídeos não vão conseguir transmitir esta noção. Servem meramente como um longínquo apelo às nossas consciências a respeito do “para quê”, do propósito, do sentido. Embora contenham cenas terríveis, estes vídeos não chegam perto de representar o horror real de estar imerso no absurdo infernal de um combate de morte, um horror que penetra a mente, a alma e o corpo por todos os sentidos externos e internos: pelos olhos, que, mesmo ardendo e lacrimejando, são forçados a testemunhar as labaredas, a fumaça, os destroços dos edifícios, as ruas entupidas de entulho, os cadáveres apodrecendo ao léu, os rasgos visíveis das balas no ar, o sangue que jorra ou que já está seco, grudado a paredes e ao chão e às roupas e armas, o pavor nos outros olhos, o fanatismo nos outros olhos; pelos ouvidos, bombardeados implacavelmente por rajadas, saraivadas, explosões, gritos, berros, grunhidos, hinos, respirações ofegantes, vozes sobrepostas e confusas, rugidos, pranto, ódio… e pelo silêncio… pelos segundos ou átimos de segundo, insuportáveis e enlouquecedores, dos silêncios da guerra, carregados de tensão e terror; pelas narinas, envenenadas de pólvora, suor, poeira, fumaça, sangue, putrefação; pelo tato que mal sente nas mãos endurecidas de suor e poeira a aspereza de destroços, a própria pele ferida e rasgada, as cascas de sujeira e sangue grudadas na própria testa, o sangue e o suor dos corpos que se pressionam uns contra os outros nos bandos entrincheirados; pelo gosto amargo de saliva, sangue, fome, álcool, cigarro e drogas que transformam o absurdo em loucura furiosa e suicida; pela memória que evoca abraços paternos e beijos da esposa, olhares doces de bebês e olhos espantados de crianças, colo de mãe, risadas de amigos, traumas e ódios políticos e ideológicos, apelos e arengas de pregadores do inferno; pela imaginação, embriagada de ideias e teorias, ideais e ideologias, lógicas irracionais, promessas sedutoras e inverossímeis, utopias e planos incoerentes…

Não visite o canal nem veja o vídeo de amostra se achar desnecessário.

Oremos ao Deus da Paz, incansavelmente, suplicando que nos conceda a graça de acolher o Seu dom da paz. Integralmente.

Ele sempre faz a Sua parte.


VEJA O VÍDEO:




Domingo, 27/12/2015 - Aleteia / Postado por: Paulo Alves
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...