Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/09/2017

Queridos filhos !

Quem melhor do que EU poderia falar para vocês do Amor e da existência do MEU FILHO ?

Vivi com ELE, EU sofri com ele, vivendo a vida terrena, EU provei da dor porque era MÃE.

MEU FILHO amou com pensamentos e obras o PAI CELESTIAL, o DEUS VERDADEIRO, e como ME dizia veio para redimi-los. EU escondi a minha dor com o amor. Vocês, filhos MEUS, tem numerosas perguntas, não compreendem a dor, não compreendem que através do Amor de Deus devem aceitar a dor e suportá-la. Todas as pessoas provam-na em maior ou menor medida, mas com a paz na alma e em estado de graça a esperança existe.

Este é o MEU FILHO, DEUS, nascido de DEUS. As SUAS PALAVRAS são sementes de Vida Eterna e semeadas nas boas almas produzem muitos frutos.

MEU FILHO suportou a dor porque tomou para si os pecados de vocês.

Por isso vocês, filhos MEUS, Apóstolos do MEU Amor, vocês que sofrem, saibam que as suas dores se tornarão luz e glória.

Filhos MEUS, enquanto vocês suportam a dor o CÉU entra em vocês, e em todos em torno de vocês é dado um pouco de Céu e muita esperança !

Obrigada !

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

National Geographic: a Virgem Maria é “a mulher mais poderosa do mundo”

Nossa Senhora. Santa Mãe. Virgem Maria. Rainha da Paz. Theotokos. Serva do Senhor. Mãe Maria. Estes são somente alguns dos títulos usados para descrever a jovem a quem o anjo apareceu há dois mil anos, com a mensagem de que ela conceberia e criaria o Salvador do Mundo.

Maria tem muito poucas palavras registradas no Novo Testamento, mas sua devoção mundial se estende através do tempo, culturas e inclusive religiões.


Em um artigo da edição do dia 8 de novembro da revista National Geographic, intitulado “Como a Virgem Maria se transformou na Mulher mais poderosa do Mundo”, Maureen Orth explora o fenômeno mundial da devoção à Mãe de Deus, antes da veiculação do especial do dia 13 de dezembro do canal National Geographic, “O Culto de Maria”.

Em seu artigo, Orth falou com estudiosos e peritos marianos e inclusive foi a peregrinações em alguns lugares de aparições marianas, para saber mais sobre “a mulher mais poderosa”.

 “Vemos que a relação de Maria conosco não é qualquer relação, esta é sagrada”, disse Maria Enriqueta García, que fez sua dissertação de teologia sagrada no Instituto Internacional de Investigação Mariana na Universidade de Dayton (Estados Unidos).

A ideia de Maria como uma intercessora ante Deus vem da escritura na passagem das Bodas de Caná, quando Jesus realiza seu primeiro milagre, depois de sua mãe lhe indicar “não têm vinho”, para em seguida instruir os serventes “fazei o que Ele vos disser”.

“Desde então, nenhuma outra mulher foi tão exaltada como Maria”, escreveu Orth. “Como um símbolo universal de amor maternal, assim como de sofrimento e sacrifício, Maria normalmente é a pedra angular de nosso desejo de significado, um vínculo mais acessível dos ensinamentos sobrenaturais formais da Igreja. Seu manto oferece tanto segurança como proteção”.

Para seu artigo, Orth acompanhou os peregrinos ao redor do mundo, visitou alguns lugares onde ocorreram aparições marianas como Lourdes (França), Kibeho (Ruanda), Cidade do México e inclusive Medjugorje (Bósnia e Herzegovina), onde se diz que houve aparições embora o Vaticano ainda não tenha se pronunciado a respeito.

Em Kibeho, encontrou-se com Anathalie Mukamazimpaka, uma das jovens a quem a Virgem Maria apareceu de 1981 até 1983 com a mensagem de arrependimento e profetizou os eventos do genocídio de Ruanda, em 1994.

“A primeira vez que apareceu”, recordou Anathalie, “estava rezando o Rosário e ela me chamou pelo meu nome. Ela nunca me disse por que me escolheu. Disse que ela aparece a que ela quiser, quando e onde desejar”, contou.

“Ela nos pediu somente para amá-la tanto como ela nos ama”, assinalou.

Maria ajudou inclusive a dar identidade a uma nação, assinalou Orth, no caso de Nossa Senhora de Guadalupe com o México.

“Qualquer um que testemunhe o grande amor e devoção que os peregrinos demonstram por sua amada Mãe, nos dias da Festa de Nossa Senhora de Guadalupe, poderá perceber que a Virgem Maria está profundamente enraizada nos corações e almas mexicanas”, assinalou Orth enquanto acompanhava os peregrinos na Cidade do México, onde se conserva intacto o manto de São Juan Diego que leva a imagem milagrosa da Virgem do Guadalupe.

Assim como o Natal, os muçulmanos têm grande apreço pela Santa Maria, disse Orth, indicando que seu nome aparece mais vezes no Corão que no Novo Testamento.

“Deste modo, a Virgem Maria não é absolutamente distante para os muçulmanos”, disse o Pe. Johann Roten, diretor de investigação e projetos especiais na livraria Mariana da Universidade de Dayton.

No Egito, Orth falou com muçulmanos que foram atraídos a Igrejas devido à sua devoção à Maria.


“Sua história nos diz muitas coisas”, disse uma jovem muçulmana que rezava nos subúrbios da Igreja de Abu Serga, na Páscoa. “Ela é capaz de enfrentar muitas dificuldades em sua vida devido à sua fé, sua fé em Deus”, adicionou.


Quinta, 12/11/2015 - ACI digital / Postado por: Paulo Alves
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...