Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/08/2018

“Queridos filhos,

Com amor materno os convido a abrirem os seus corações à paz, a abrirem os seus corações ao MEU FILHO, a cantar em seus corações o amor ao MEU FILHO, porque somente através deste amor chega a paz da alma.

Filhos MEUS, EU sei que vocês tem a bondade, sei que vocês tem o amor, o amor misericordioso. Mas, muitos dos MEUS filhos ainda tem os corações fechados, pensam que podem agir sem colocar os seus pensamentos ao PAI CELESTIAL que ilumina, diante do MEU FILHO que está sempre e novamente com vocês na EUCARISTIA e que deseja ouvi-los.

Filhos Meus, porque não falam para eles ? A vida de cada um de vocês é importante e preciosa porque é um dom do PAI CELESTIAL para a ETERNIDADE, por isso nunca se esqueçam de agradecê-LO e falar com ELE.

Eu sei, filhos MEUS, que para vocês é desconhecido aquilo que virá depois, porém quando chegar o “depois” de vocês, terão todas as respostas. O MEU amor materno deseja que vocês estejam prontos.

Filhos MEUS, com a vida de vocês coloquem sentimentos bons nos corações das pessoas que vocês encontrarem, sentimentos de paz, de bondade, de amor e de perdão. Através da oração escutem o que lhes diz o MEU FILHO e assim o façam.

Novamente os convido a rezarem pelos seus sacerdotes, por aqueles a quem o MEU FILHO chamou; lembrem-se que eles tem necessidade de orações e de amor.

Obrigada.”

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Então Lula não era o Messias? Nem Dilma? Nem Aécio? Nem Marina?

O programa Roda Viva, da TV Cultura, entrevistou na última segunda-feira, 28 de setembro, dois autores de um dos mais “célebres” pedidos de impeachment da presidente Dilma Rousseff: o jurista Hélio Bicudo, um dos fundadores do próprio Partido dos Trabalhadores (PT), e a doutora Janaína Paschoal, professora de Direito na Universidade de São Paulo (USP). Hélio Bicudo e Janaína Paschoal criticaram duramente o PT, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e também a oposição, a quem Bicudo classificou de “bastante covarde”.

Bicudo afirmou que Lula enriqueceu de forma ilícita, usando a presidência da República em proveito próprio. “O Lula se corrompeu e corrompe a sociedade brasileira como ela é hoje através da sua atuação como presidente da República”. Para ele, o PT “vestiu-se de uma vestimenta de que o partido era o salvador da pátria”. O próprio Bicudo disse que “foi nessa”, mas “quando eu percebi que não era, eu saí do PT”. Ele deixou o partido em 2005, com o escândalo do mensalão.

Sua maior decepção dentro do PT foi o suposto enriquecimento ilícito do ex-presidente Lula. “O que mais me impressionou foi o enriquecimento ilícito do Lula. Ninguém fala nisso, mas eu conheci o Lula numa casa de 40 metros quadrados. Hoje, o Lula é uma das grandes fortunas do país. Ele e os seus filhos”. Quando conheceu o Lula candidato ao governo de São Paulo, “era um panorama completamente diferente do que se vê hoje no Lula quando ele fala. Ele falava para obter o poder e usar o poder em benefício próprio e dos seus, da sua família, e todo mundo sabe disso. Quem é que está atrás disso? Quem quer que isso venha à tona. É preciso ver o que essas pessoas fizeram para ter isso”. Para Hélio Bicudo, “Lula é o dono do PT”. O partido “contaminou as instituições do Brasil de ponta a ponta”, diz ele, que também critica a oposição por ser “bastante covarde” no tocante ao pedido de impeachment da presidente Dilma.

Janaína também considera a oposição “frustrante”: “É frustrante quando nós ouvimos os principais representantes, os porta-vozes, digamos assim, da oposição, fazendo a defesa do governo. Veja, ninguém está pedindo pra acusar, até porque ninguém é obrigado a concordar com o nosso ponto de vista. Eventualmente, o ex-presidente Fernando Henrique tem elementos pra entender que não é oportuno, que não seria adequado. E nós temos que respeitar a opinião dele”. Bicudo agrega: “Mas ele que guarde a opinião para ele. 

Porque ele está querendo amealhar vozes contrárias [ao impeachment]. Olha o governador de São Paulo, por exemplo, [dizendo] que ‘não é momento para o impeachment’. Como é que ele sabe que não é o momento? Ele quer empurrar o pedido pra trás, não pra frente”.
Hélio Bicudo criticou ainda Rui Falcão, presidente do PT, como “autoritário, que se sente dono do partido. Como você pode conciliar o sistema democrático com esse tipo de partido? Não existe. Esse é um partido da autoridade, autoritário”.

Janaína Paschoal foi enfática: “Eles [o PT] reverenciam ditaduras. E isso reiteradamente”. Eles têm razão quando criticam a ditadura militar, observa Janaína, mas “as ditaduras da América Latina dos dias de hoje são protegidas, são reverenciadas, os ditadores vêm aqui e são tratados como chefes de Estado, como quaisquer outros (…) O autoritarismo também está aí”.

Para a professora de Direito, essa conivência reflete o sentimento de que “tudo é deles. Quando eles reverenciam estas ditaduras, quando a financiam, eles estão mostrando que tudo é deles. A Petrobras é deles, o dinheiro público é deles. Lidam como se fosse deles e não do povo”.


O programa Roda Viva, da TV Cultura, entrevistou na última segunda-feira, 28 de setembro, dois autores de um dos mais “célebres” pedidos de impeachment da presidente Dilma Rousseff: o jurista Hélio Bicudo, um dos fundadores do próprio Partido dos Trabalhadores (PT), e a doutora Janaína Paschoal, professora de Direito na Universidade de São Paulo (USP). Hélio Bicudo e Janaína Paschoal criticaram duramente o PT, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e também a oposição, a quem Bicudo classificou de “bastante covarde”.

Bicudo afirmou que Lula enriqueceu de forma ilícita, usando a presidência da República em proveito próprio. “O Lula se corrompeu e corrompe a sociedade brasileira como ela é hoje através da sua atuação como presidente da República”. Para ele, o PT “vestiu-se de uma vestimenta de que o partido era o salvador da pátria”. O próprio Bicudo disse que “foi nessa”, mas “quando eu percebi que não era, eu saí do PT”. Ele deixou o partido em 2005, com o escândalo do mensalão.

Sua maior decepção dentro do PT foi o suposto enriquecimento ilícito do ex-presidente Lula. “O que mais me impressionou foi o enriquecimento ilícito do Lula. Ninguém fala nisso, mas eu conheci o Lula numa casa de 40 metros quadrados. Hoje, o Lula é uma das grandes fortunas do país. Ele e os seus filhos”. Quando conheceu o Lula candidato ao governo de São Paulo, “era um panorama completamente diferente do que se vê hoje no Lula quando ele fala. Ele falava para obter o poder e usar o poder em benefício próprio e dos seus, da sua família, e todo mundo sabe disso. Quem é que está atrás disso? Quem quer que isso venha à tona. É preciso ver o que essas pessoas fizeram para ter isso”. Para Hélio Bicudo, “Lula é o dono do PT”. O partido “contaminou as instituições do Brasil de ponta a ponta”, diz ele, que também critica a oposição por ser “bastante covarde” no tocante ao pedido de impeachment da presidente Dilma.

Janaína também considera a oposição “frustrante”: “É frustrante quando nós ouvimos os principais representantes, os porta-vozes, digamos assim, da oposição, fazendo a defesa do governo. Veja, ninguém está pedindo pra acusar, até porque ninguém é obrigado a concordar com o nosso ponto de vista. Eventualmente, o ex-presidente Fernando Henrique tem elementos pra entender que não é oportuno, que não seria adequado. E nós temos que respeitar a opinião dele”. Bicudo agrega: “Mas ele que guarde a opinião para ele. Porque ele está querendo amealhar vozes contrárias [ao impeachment]. Olha o governador de São Paulo, por exemplo, [dizendo] que ‘não é momento para o impeachment’. Como é que ele sabe que não é o momento? Ele quer empurrar o pedido pra trás, não pra frente”.

Hélio Bicudo criticou ainda Rui Falcão, presidente do PT, como “autoritário, que se sente dono do partido. Como você pode conciliar o sistema democrático com esse tipo de partido? Não existe. Esse é um partido da autoridade, autoritário”.

Janaína Paschoal foi enfática: “Eles [o PT] reverenciam ditaduras. E isso reiteradamente”. Eles têm razão quando criticam a ditadura militar, observa Janaína, mas “as ditaduras da América Latina dos dias de hoje são protegidas, são reverenciadas, os ditadores vêm aqui e são tratados como chefes de Estado, como quaisquer outros (…) O autoritarismo também está aí”.

Para a professora de Direito, essa conivência reflete o sentimento de que “tudo é deles. Quando eles reverenciam estas ditaduras, quando a financiam, eles estão mostrando que tudo é deles. A Petrobras é deles, o dinheiro público é deles. Lidam como se fosse deles e não do povo”.


A entrevista completa você confere neste vídeo:



Por que o blog está publicando isto?

Porque nós, católicos, embora “cidadãos do céu” e apenas “peregrinos” nesta terra, não temos direito algum a ser alienados e indiferentes à realidade política do país em que vivemos. A realidade política do nosso país põe em risco a nossa dignidade de filhos de Deus. Não podemos ser seus cúmplices.

Além do dever cristão de defender a verdade e o bem, temos a obrigação de recordar que endeusar quem quer que seja é heresia. E tanto há católicos endeusando Lula e Dilma quanto Aécio ou Marina. 

Eles não são deuses. Eles não são o Messias. Eles não são os salvadores da pátria.


Se queremos que a nossa pátria cuide melhor dos nossos filhos, é hora de acordarmos para esta obviedade e pararmos de adorar bezerros de ouro – pastem eles no partido que seja.


Quinta, 01/10/2015 - Fonte: Aleteia Team / Postado por: Paulo alves
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...