Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/11/2017

“Queridos filhos, olhando vocês em torno de Mim, em torno da sua Mãe, Eu estou vendo muitas almas puras, vejo muitos dos Meus filhos que estão procurando amor e consolação, mas ninguém está oferecendo isso a eles.

Também vejo aqueles que fazem o mal, porque não têm bons exemplos, não conheceram Meu Filho, aquele bem que é silencioso, que se difunde através das almas puras, que é a força que reforça o mundo.

Existem muitos pecados, mas também muito amor. o Meu Filho Me envia, como Mãe, a mesma igual para todos, para que Eu vos ensine o Amor, para que vocês compreendam que são irmãos.

Ele deseja vos ajudar. Apóstolos do Meu Amor, é suficiente o desejo vivo da fé e do Amor, o Meu Filho o aceitará.

Mas vocês têm que ser dignos, ter boa vontade e um coração aberto. O Meu Filho entra nos corações abertos. Eu, como Mãe, desejo que vocês conheçam o melhor possível o Meu Filho, Deus, nascido de Deus, para que vocês conheçam a grandeza do Seu Amor, o qual vocês tanto precisam.

Ele aceitou os seus pecados, conseguiu a Redenção para vocês, mas em troca procura que vocês amem-se uns aos outros. O Meu Filho é Amor. Ele ama todo ser humano, sem diferença, todas as pessoas de todos os povos e nações.

Se vocês, Meus Filhos, vivessem o Amor do Meu Filho, o Seu Reinado já estaria na Terra. Por isso, Apóstolos do Meu Amor, rezem, rezem para que o Meu Filho e Seu Amor estejam mais próximos de vocês, para que vocês sejam exemplos de Amor e possam ajudar àqueles que ainda não conhecem o Meu Filho.

Nunca esqueçam que o Meu Filho, Uno e Trino, Ama. Amem e rezem pelos seus sacerdotes. Obrigada.”

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Depois da consagração da missa, quando devemos ficar em pé?

Saiba o momento liturgicamente correto para levantar-se e conheça o seu sentido.


Os fiéis ficam de joelhos durante a consagração. Mas a consagração não é somente o momento em que o padre, impondo as mãos, diz: “Santificai, pois, estas oferendas, derramando sobre elas o vosso Espírito…”, mas inclui também as palavras de Jesus na Última Ceia: “Tomai e comei…”, “Tomai e bebei…”.

Quando o sacerdote pronuncia estas palavras, o pão e o vinho, em sentido estrito, se transformam no Corpo e Sangue de Cristo. E a consagração termina com as palavras do padre: ” Eis o mistério da fé!”.

Quando o padre diz isso, o povo responde: “Anunciamos, Senhor, a vossa morte, e proclamamos a vossa Ressurreição. Vinde, Senhor Jesus!” ou “Todas as vezes que comemos deste pão e bebemos deste cálice, anunciamos, Senhor, a vossa morte, enquanto esperamos a vossa vinda!”, dependendo da oração eucarística utilizada.

É exatamente após esta frase da assembleia que as pessoas se levantam e permanecem em pé, não antes dela.

Depois disso, a oração eucarística segue seu curso normal. Mais ainda: segundo a Instrução Geral do Missal Romano, há lugares em que os fiéis permanecem ajoelhados desde o final do “Santo” até a conclusão da Oração Eucarística e antes da comunhão, quando o padre diz “Eis o Cordeiro de Deus…”. Este costume é louvável e pode ser respeitado (IGMR, 43).

Portanto, quem quiser permanecer de joelhos em todo este período pode fazê-lo, ou seja, desde quando termina a aclamação do “Santo, santo, santo…” até o Pai-Nosso.

Mas para que aplicar estes gestos e posturas durante a missa?

A Instrução responde de maneira clara: “Os gestos e posições do corpo tanto do sacerdote, do diácono e dos ministros, como do povo devem contribuir para que toda a celebração resplandeça pelo decoro e nobre simplicidade, se compreenda a verdadeira e plena significação de suas diversas partes e se favoreça a participação de todos”.


Sábado, 24/10/2015 - Aleteia, Pe. Henry Vargas / Postado por: Paulo Alves
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...