Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/08/2018

“Queridos filhos,

Com amor materno os convido a abrirem os seus corações à paz, a abrirem os seus corações ao MEU FILHO, a cantar em seus corações o amor ao MEU FILHO, porque somente através deste amor chega a paz da alma.

Filhos MEUS, EU sei que vocês tem a bondade, sei que vocês tem o amor, o amor misericordioso. Mas, muitos dos MEUS filhos ainda tem os corações fechados, pensam que podem agir sem colocar os seus pensamentos ao PAI CELESTIAL que ilumina, diante do MEU FILHO que está sempre e novamente com vocês na EUCARISTIA e que deseja ouvi-los.

Filhos Meus, porque não falam para eles ? A vida de cada um de vocês é importante e preciosa porque é um dom do PAI CELESTIAL para a ETERNIDADE, por isso nunca se esqueçam de agradecê-LO e falar com ELE.

Eu sei, filhos MEUS, que para vocês é desconhecido aquilo que virá depois, porém quando chegar o “depois” de vocês, terão todas as respostas. O MEU amor materno deseja que vocês estejam prontos.

Filhos MEUS, com a vida de vocês coloquem sentimentos bons nos corações das pessoas que vocês encontrarem, sentimentos de paz, de bondade, de amor e de perdão. Através da oração escutem o que lhes diz o MEU FILHO e assim o façam.

Novamente os convido a rezarem pelos seus sacerdotes, por aqueles a quem o MEU FILHO chamou; lembrem-se que eles tem necessidade de orações e de amor.

Obrigada.”

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

As escapadinhas noturnas do Santo Padre

Francisco, assim como outros papas, sairia disfarçado do Vaticano à noite para ajudar os sem-teto.

Dom Konrad Krajewski é o atual arcebispo da Esmolaria Apostólica, o departamento da Cúria Romana instituído pelo papa Gregório X no século XIII para administrar a assistência do Santo Padre às pessoas pobres. Em dezembro de 2013, durante uma entrevista, dom Konrad afirmou que, quando conversava com o papa Francisco sobre suas visitas noturnas aos desabrigados de Roma, era frequente o “risco” de que o papa decidisse ir junto com ele. Um dos jornalistas perguntou se Francisco já tinha ido alguma vez. Dom Konrad apenas sorriu e disse: “Próxima pergunta, por favor”.

Há fatos que levam a supor que sim. Quando era cardeal de Buenos Aires, Jorge Bergoglio tinha o hábito de sair à noite para visitar os pobres e sem-teto, sentar-se com eles em plena rua, conversar e compartilhar comida. Era perfeitamente comum encontrá-lo também durante o dia usando o transporte público da capital argentina.

Além disso, o mesmo dom Konrad Krajewski relatou que, em certa ocasião, o papa Francisco lhe disse: “Você pode vender a sua mesa de trabalho. Você não precisa dela. O que você tem que fazer é sair do Vaticano. Não espere que as pessoas venham aqui bater à porta. Saia você e procure pelos pobres”.

Os rumores aumentaram depois que alguns guardas suíços confirmaram a história para o portal de notícias The Huffington Post. Segundo os guardas, o papa Francisco sairia do Vaticano na calada da noite, disfarçado de “um simples sacerdote”, para ir ao encontro de moradores de rua. O Vaticano nega as informações.

“ANTECEDENTES PONTIFÍCIOS”

Francisco não seria o primeiro pontífice a dar suas “escapadinhas ocultas”. Há relatos de que o papa João XIII gostava de caminhar por Roma sob a luz do luar e de que Pio XII se vestia de franciscano para ajudar a esconder os judeus perseguidos durante a Segunda Guerra Mundial.


João XXIII chegou a ficar “famoso” por abandonar os muros do Vaticano discretamente para visitar pessoas necessitadas durante a noite. Os romanos, com seu senso de humor peculiar, o chamavam de “São João Extramuros”, em referência à famosa basílica de São Paulo Extramuros (ou São Paulo Fora dos Muros). Aliás, o “Papa bom” saiu do Vaticano sozinho certa vez para visitar um amigo sacerdote que estava internado no Hospital Espírito Santo. Ao bater à porta, surgiu a madre superiora que, surpresa e emocionadíssima, disse: “Santo Padre! Eu sou a superiora do Espírito Santo”. E o papa lhe respondeu, com a simpatia que lhe garantiu o título de “papa mais engraçado da história”: “Mas que grande carreira a senhora fez, madre!”

Não sem falta de inspirações, o filme “As Sandálias do Pescador”, de 1968, mostra um papa interpretado por Antonhy Quinn que sai às ruas, disfarçado, na própria noite da sua eleição ao pontificado, para sentir-se em meio ao povo.

ALÔ, SANTO PADRE!

Pode ser que você não tenha a graça de topar com o papa Francisco dando uma voltinha pelas ruas da sua cidade às 10h30 de uma noite fria, nem na ótica em que você vai trocar seus óculos. Mas não é tão improvável que você ou algum conhecido receba alguma hora uma ligação telefônica dele…

Francisco é bem “chegado a um DDI” – e a lista de pessoas que já ouviram um “Alô, aqui é o papa” não é pequena. Alguns dos exemplos confirmados incluem uma mulher vítima de abuso, um seminarista com doença terminal, um jovem espanhol vítima de pedofilia, a mãe de um mergulhador falecido num acidente, outra mãe que perdeu o filho em um incêndio, um padre no Iraque, um padre brasileiro, um estudante italiano e até um suboficial da Força Aérea argentina que estava na… Antártida!

Vários deles lhe bateram o telefone na cara e obrigaram o papa a telefonar de volta, dizendo logo que não era trote. Por via das dúvidas, se acontecer com você, pense duas vezes antes de desligar.


Sábado, 12/09/2015 - Fonte: Aleteia / Postado por: Paulo Alves 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...