Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/11/2017

“Queridos filhos, olhando vocês em torno de Mim, em torno da sua Mãe, Eu estou vendo muitas almas puras, vejo muitos dos Meus filhos que estão procurando amor e consolação, mas ninguém está oferecendo isso a eles.

Também vejo aqueles que fazem o mal, porque não têm bons exemplos, não conheceram Meu Filho, aquele bem que é silencioso, que se difunde através das almas puras, que é a força que reforça o mundo.

Existem muitos pecados, mas também muito amor. o Meu Filho Me envia, como Mãe, a mesma igual para todos, para que Eu vos ensine o Amor, para que vocês compreendam que são irmãos.

Ele deseja vos ajudar. Apóstolos do Meu Amor, é suficiente o desejo vivo da fé e do Amor, o Meu Filho o aceitará.

Mas vocês têm que ser dignos, ter boa vontade e um coração aberto. O Meu Filho entra nos corações abertos. Eu, como Mãe, desejo que vocês conheçam o melhor possível o Meu Filho, Deus, nascido de Deus, para que vocês conheçam a grandeza do Seu Amor, o qual vocês tanto precisam.

Ele aceitou os seus pecados, conseguiu a Redenção para vocês, mas em troca procura que vocês amem-se uns aos outros. O Meu Filho é Amor. Ele ama todo ser humano, sem diferença, todas as pessoas de todos os povos e nações.

Se vocês, Meus Filhos, vivessem o Amor do Meu Filho, o Seu Reinado já estaria na Terra. Por isso, Apóstolos do Meu Amor, rezem, rezem para que o Meu Filho e Seu Amor estejam mais próximos de vocês, para que vocês sejam exemplos de Amor e possam ajudar àqueles que ainda não conhecem o Meu Filho.

Nunca esqueçam que o Meu Filho, Uno e Trino, Ama. Amem e rezem pelos seus sacerdotes. Obrigada.”

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Prefeitos do mundo debaterão mudanças climáticas no Vaticano

Prefeitos de 60 grandes cidades de todo o mundo foram convidados a participar, no Vaticano, de um evento inédito: um simpósio para compartilhar as melhores práticas de contraste às mudanças climáticas e à escravidão moderna.
Do Brasil, foram convidados prefeitos de sete cidades: São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte, Curitiba, Salvador e Goiânia.
Ao apresentar o evento aos jornalistas nesta quarta-feira (15/07), o Chanceler da Pontifícia Academia das Ciências Sociais, Dom Marcelo Sánchez Sorondo, promotor da iniciativa, explicou que a ideia nasceu dois anos atrás.

Conscientização

Naquela ocasião, o Papa e o Cardeal Vicent Nichols (Arcebispo de Westminster – Inglaterra) criaram o grupo de “Santa Marta”, que reúne os chefes de polícia e membros da Igreja para favorecer uma maior conscientização sobre os problemas que afligem os mais pobres. “Todavia, os próprios policiais fizeram notar que seus superiores não são os bispos, mas os governantes e, em muitos casos, justamente os prefeitos. Seguindo o conselho deles, tentamos reunir os prefeitos para encontrar juntos as melhores práticas a favor da contenção das mudanças climáticas e da eliminação das novas formas de escravidão”, afirmou o Chanceler.
Dom Sánchez Sorondo acrescentou que há uma clara ligação entre essas duas emergências: a crise do clima e a crise social, ambas de origem antrópica, como ressalta a Encíclica Laudato si. Embora os pobres e os excluídos incidam minimamente nas alterações climáticas e vivam muitas vezes nas periferias das cidades, são os mais expostos às consequências dessas alterações.

Emancipar

“A nossa intenção – declarou o Chanceler – é que os prefeitos se empenhem em favorecer a emancipação dos pobres e dos que vivem em condições de vulnerabilidade, que se empenhem em acabar com os abusos, a exploração, o tráfico de pessoas e toda forma de escravidão moderna.”
A Pontifícia Academia das Ciências Sociais pede ainda que os prefeitos se empenhem em desenvolver programas de reinserção e integração social das vítimas, em nível nacional e local, a fim de evitar a repatriação forçada. “Em síntese – concluiu Dom Sánchez Sorondo –, gostaríamos que as nossas cidades e nossos centros urbanos se tornassem sempre mais socialmente inclusivos, seguros, flexíveis e ecologicamente integrados.”
O evento se realizará nos dias 21 e 22 de julho, na Casina Pio IV, dentro do Vaticano, com a participação de prefeitos de cidades como Roma, Paris, Bogotá, Boston, Cidade do México, Oslo e Vancouver.

Voz brasileira

O Prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda, declarou: ”Nós vamos trazer ao Papa uma estratégia bem sucedida para superar a pobreza e promover a inclusão social e produtiva. Nós, prefeitos brasileiros, estamos promovendo microcrédito e empreendedorismo para gerar emprego e renda, garantindo dignidade aos pobres. Nós mostramos que somos capazes de implementar políticas públicas eficazes que sejam inclusivas e que têm resgatado milhões de brasileiros da pobreza extrema”.


Domingo, 19/07/2015 - Fonte: rs21 / Postado por: Paulo Alves
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...