Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/09/2018

Queridos filhos,

As Minhas palavras são simples, mas repletas de amor materno e de preocupação. Filhos MEUS, sobre vocês se alargam sempre mais as sombras das trevas e do engano, Eu os chamo em direção a luz e a verdade, Eu os chamo na direção de Meu Filho. Somente Ele pode converter o desespero e a dor em paz e serenidade, somente ELE pode dar esperança nas dores mais profundas. O MEU FILHO é a VIDA do mundo, e quanto mais O conhecerem, mais se aproximarão DELE e mais O amarão porque o MEU FILHO é AMOR e o AMOR muda tudo.

ELE torna maravilhoso também aquilo que sem amor pareça para vocês insignificante. Por isso novamente os digo que vocês devem amar muito se desejarem crescer espiritualmente. EU sei, apóstolos do MEU AMOR, que não sempre fácil, porém, filhos MEUS, também as estradas dolorosas são caminhos que levam ao crescimento espiritual, à fé e ao MEU FILHO.

Filhos MEUS, rezem, pensem em MEU FILHO durante todos os momentos do dia, elevem as suas almas até ELE e EU recolherei as suas orações como flores do jardim mais belo e as darei de presente ao MEU FILHO.

Sejam realmente apóstolos do MEU AMOR, deem a todos o AMOR de MEU FILHO, sejam jardins com as flores mais belas.

Com a oração ajudem os seu sacerdotes para que possam ser pais espirituais cheios de amor para todos os homens.

Obrigada.

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Igreja celebra hoje Santa Maria Madalena

Nesta quarta-feira, 22 de julho, a Igreja celebra uma das santas de maior devoção de sua história, Santa Maria Madalena, conhecida como a primeira testemunha da ressurreição. Conheça um pouco mais da sua vida.

Os Evangelhos falam da presença de Maria Madalena, a pecadora (Lc 7, 37-50); Maria Madalena foi uma das mulheres que seguiam o Senhor (Jo 20, 10-18) e Maria de Bethânia, a irmã de Lázaro (Lc 10, 38-42). A liturgia romana identifica as três mulheres com o nome de Maria Madalena, assim como a antiga tradição ocidental da época de São Gregório Magno.

O nome Maria Madalena é derivado de Magdala, uma população situada às margens do mar da Galileia, perto de Tiberíades, lugar no qual o Senhor encontrou pela primeira vez aquela mulher. São Lucas a menciona como uma pecadora (embora não afirma que tenha sido uma prostituta, como se supõe normalmente). Cristo jantava na casa de um fariseu, a pecadora se apresentou e neste momento se jogou no chão, frente ao Senhor, pôs-se a chorar e lhe enxugou os pés com seus cabelos. Depois lhe ungiu com perfume que levava em um copo de alabastro.

O fariseu interpretou o silêncio de Cristo como uma espécie de aprovação do pecado e murmurou em seu coração. Jesus lhe recriminou por seus pensamentos. Perguntou-lhe em forma de parábola qual dos dois devedores deve um maior agradecimento ao seu credor: aquele que é perdoado por uma dívida maior, ou o que é perdoado por uma soma menor. No capítulo seguinte, São Lucas, fala das viagens de Cristo pela Galileia, diz que lhe acompanhavam os apóstolos e que lhe serviam várias mulheres.

Entre elas figurava Maria Madalena, da qual tinha arrojado "sete demônios". Também recorda Maria Madalena por outros episódios. Na hora mais escura da vida de Cristo, Maria Madalena contemplava a cruz desde uma certa distância. Acompanhada pela “outra Maria", descobriu que alguém tinha movido a pesada pedra do sepulcro do Senhor. Foi ela a primeira pessoa que viu, saudou e reconheceu Cristo ressuscitado.


Maria Madalena, a contemplativa, foi a primeira testemunha da ressurreição do Senhor, sem a qual seria vã nossa esperança. O Filho de Deus quis manifestar a glória de sua ressurreição àquela mulher manchada pelo pecado e santificada pela penitência. A tradição oriental afirma que depois de Pentecostes, foi morar em Éfeso com a Virgem Maria e São João e morreu nesta cidade. Mas, segundo a tradição francesa adotada pelo Martirológico Romano e muito difundida no ocidente, Maria Madalena foi junto a Lázaro e Marta a evangelizar a Provenza e passou durante seus trinta anos de vida nos Alpes Marítimos, na caverna da Sainte Baume. Pouco antes da sua morte foi transladada milagrosamente à capela de São Maximino, onde recebeu os últimos sacramentos e foi enterrada pelo santo.


Quarta, 22/07/2015 - Fonte: ACI digital / Postado por: Paulo Alves
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...