Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/08/2018

“Queridos filhos,

Com amor materno os convido a abrirem os seus corações à paz, a abrirem os seus corações ao MEU FILHO, a cantar em seus corações o amor ao MEU FILHO, porque somente através deste amor chega a paz da alma.

Filhos MEUS, EU sei que vocês tem a bondade, sei que vocês tem o amor, o amor misericordioso. Mas, muitos dos MEUS filhos ainda tem os corações fechados, pensam que podem agir sem colocar os seus pensamentos ao PAI CELESTIAL que ilumina, diante do MEU FILHO que está sempre e novamente com vocês na EUCARISTIA e que deseja ouvi-los.

Filhos Meus, porque não falam para eles ? A vida de cada um de vocês é importante e preciosa porque é um dom do PAI CELESTIAL para a ETERNIDADE, por isso nunca se esqueçam de agradecê-LO e falar com ELE.

Eu sei, filhos MEUS, que para vocês é desconhecido aquilo que virá depois, porém quando chegar o “depois” de vocês, terão todas as respostas. O MEU amor materno deseja que vocês estejam prontos.

Filhos MEUS, com a vida de vocês coloquem sentimentos bons nos corações das pessoas que vocês encontrarem, sentimentos de paz, de bondade, de amor e de perdão. Através da oração escutem o que lhes diz o MEU FILHO e assim o façam.

Novamente os convido a rezarem pelos seus sacerdotes, por aqueles a quem o MEU FILHO chamou; lembrem-se que eles tem necessidade de orações e de amor.

Obrigada.”

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Bispo norte-americano dá quatro dicas para que padres e diáconos não façam "homilias chatas"

Através de uma carta com conselhos práticos dirigida aos sacerdotes e diáconos, o Arcebispo de Detroit (Estados Unidos), Dom Allen H. Vigneron, descreveu os tipos de pessoas que assistem a Missa e qual é a melhor maneira de pregar para eles.
 
1. O primeiro conselho que o Prelado dá em sua carta “O Pregador – Servo da Palavra de Deus” é a necessidade de recordar que "a chave não é oferecer comentários, mas ajudar que essas pessoas que estão nos bancos entendam o que acontece no texto e desta maneira compreendam o que está acontecendo agora e respondam com sua fé".
 
2. Em vez de permitir que as leituras fiquem no nível da teoria, o Prelado indicou que os pregadores devem aplicá-las a uma "situação concreta" da comunidade e oferecer sugestões para que os fiéis possam colocá-las em prática. Para isto é necessária uma preparação adequada e antecipada da homilia.
 
3. Tristemente, lamentou Dom Vigneron, muitas pessoas nos bancos ouviram a frase "Deus te ama", mas não a interiorizaram. "As últimas estatísticas revelam que muitos católicos nem sequer acreditam na possibilidade de ter uma amizade com Deus, por isso sem dúvida não sabem que são amados infinita e apaixonadamente por Aquele que tudo criou", explicou.
 
"E este amor, o conhecimento deste amor, o encontro com este amor, é o que transforma a vida; é o que nos leva a responder ao seguimento Daquele que entregou sua vida por nós".
 
Dom Vigneron explicou que assim como o aço deve ser esquentado antes que possa ser moldado ou dobrado, o coração humano deve ser esquentado pelo amor de Deus com o fim de superar o medo e ser moldado pela verdade do Evangelho. Sem um encontro com o amor de Cristo, "a fé simplesmente se vê como um conjunto de normas e regulamentos".
 
4. Em última instância, refletiu o Prelado, os sacerdotes e diáconos fomentam um encontro com Deus quando pregam um Cristo crucificado: "a Cruz é a maior prova de amor nunca antes vista. Por isso, ajudem-lhes a entender, compreender que Deus não nos diz somente que nos ama, mas também nos demonstra isso", ressaltou.
 
O Arcebispo de Detroit explicou, logo, como são alguns dos tipos de pessoas que participam da Missa: "Muitas pessoas foram ‘sacramentadas’ mas nunca evangelizadas", sustentou Dom Vigneron. Embora se encontraram com Cristo através dos sacramentos, tinham pouco conhecimento destes, portanto, "sabiam coisas de Deus, mas não O conheciam".
 
"Infelizmente, devemos admitir nossa parte de responsabilidade nisto", continuou o Arcebispo, que afirmou que pregar o Evangelho a este grupo de pessoas, que pode ser uma maioria durante uma Missa dominical, parece quando "tentamos plantar sementes no cimento: nada crescerá".
 
Portanto, o Prelado enfatizou que a chave está em uma evangelização que promova um encontro com Cristo.
 
Outro grupo de pessoas presentes na Missa são os "ateus práticos", explicou Dom Vigneron. Estas pessoas não rejeitam diretamente a Deus, mas separam sua fé da sua vida cotidiana e passam a maior parte de tempo em um "mundo do consumo secular", isto é, vivem como se Deus não existisse ou como se não tivesse significado em suas vidas.
 
Além disso, continuou o Prelado, atualmente muitas pessoas se consideram espirituais. Têm grande fome de "uma paz interior que lhes ajude de algum jeito a obter seus projetos na vida". Outras pessoas vêm à Missa com ideias adquiridas pelos meios de comunicação, o entretenimento e o mundo acadêmico, que lhes dizem que a fé é incompatível com a razão.
 
Também estão presentes os "que parecem mortos", ou seja, que chegam tarde e vão embora cedo da Missa, que não prestam atenção, não participam e parecem não querer estar ali, assim como "o chateado e desinteressado", aqueles que somente viram uma versão "reduzida" de Cristo e do Evangelho.
 

Mas no fundo, disse Dom Vigneron, todos aqueles que participam da Missa querem a mesma coisa: um encontro com Cristo, e esta é responsabilidade do sacerdote: ajudar neste encontro através da sua pregação.


Segunda, 20/07/2015 - Fonte: ACI digital / Postado por: Paulo Alves
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...