Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/09/2017

Queridos filhos !

Quem melhor do que EU poderia falar para vocês do Amor e da existência do MEU FILHO ?

Vivi com ELE, EU sofri com ele, vivendo a vida terrena, EU provei da dor porque era MÃE.

MEU FILHO amou com pensamentos e obras o PAI CELESTIAL, o DEUS VERDADEIRO, e como ME dizia veio para redimi-los. EU escondi a minha dor com o amor. Vocês, filhos MEUS, tem numerosas perguntas, não compreendem a dor, não compreendem que através do Amor de Deus devem aceitar a dor e suportá-la. Todas as pessoas provam-na em maior ou menor medida, mas com a paz na alma e em estado de graça a esperança existe.

Este é o MEU FILHO, DEUS, nascido de DEUS. As SUAS PALAVRAS são sementes de Vida Eterna e semeadas nas boas almas produzem muitos frutos.

MEU FILHO suportou a dor porque tomou para si os pecados de vocês.

Por isso vocês, filhos MEUS, Apóstolos do MEU Amor, vocês que sofrem, saibam que as suas dores se tornarão luz e glória.

Filhos MEUS, enquanto vocês suportam a dor o CÉU entra em vocês, e em todos em torno de vocês é dado um pouco de Céu e muita esperança !

Obrigada !

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

A intolerância à religião e a resposta da cruz

Quando atacam a religião, é liberdade de expressão; quando a religião se defende, é intolerância.

Às vezes, acho os católicos muito fracos diante dos ataques à nossa fé. Confundimos o perdão com a omissão. Se nós, que dizemos ser cristãos, não valorizarmos e defendermos a nossa fé como fizeram os grandes santos, os ilustres doutores da Igreja e o próprio Senhor, que defendia a verdade ainda que essa defesa acarretasse a perda de seguidores, ninguém o fará por nós. Seremos extintos.

Perdoar não significa aceitar a ofensa. Quando Jesus perdoava, sempre dizia: "Vai e não peques mais". Perdoar não significa consentir: Jesus perdoava o pecador arrependido. Não costuma haver arrependimento nos agressores que fazem parte de movimentos ditos “liberais” e que, no entanto, são intolerantes a todo pensamento diferente do pensamento deles.

Aconteceu em torno ao caso do militante LGBT que desfilou fantasiado de Cristo Crucificado na última parada gay de São Paulo. Muitos tentaram justificar aquele ato com agressividade e até propuseram organizar um número maior de militantes para aparecerem crucificados na parada gay do Rio de Janeiro. Se a religião responde em sua própria defesa diante de quem profana os seus conteúdos mais sagrados, é logo tachada de “intolerante” e de “hipócrita”... pelos intolerantes que querem calá-la! Intolerância só gera mais intolerância. Mostra disto é a tragédia que aconteceu com a revista Charlie Hebdo, que recebeu em troca o que tanto promoveu: intolerância, levada ao extremo do terrorismo.

A banalização da sexualidade misturada com a profanação de objetos sagrados em nome da “tolerância”(?!) acaba produzindo mais homofobia e mais preconceito contra as pessoais homossexuais. A repulsa gerada por esse comportamento intolerante acaba sobrando para os homossexuais que nada têm a ver com essas atitudes agressivas: eles pagam o preço pelas atitudes irresponsáveis de uma minoria, que deseja a todo custo impor a todo o mundo as suas ideias ditas “tolerantes”(?!). O legítimo direito das pessoas homossexuais de ser respeitadas não pode confundir-se com o nada legítimo “direito” de querer que ninguém questione demonstrações públicas de sexo explícito, uso e comércio de drogas e outras manifestações de libertinagem e de promiscuidade que têm ocorrido nas paradas gays.


Segunda, 13/07/2015 - Fonte: Aleteia, Gilberto Brito Passos  / Postado por: Paulo Alves
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...