Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/11/2017

“Queridos filhos, olhando vocês em torno de Mim, em torno da sua Mãe, Eu estou vendo muitas almas puras, vejo muitos dos Meus filhos que estão procurando amor e consolação, mas ninguém está oferecendo isso a eles.

Também vejo aqueles que fazem o mal, porque não têm bons exemplos, não conheceram Meu Filho, aquele bem que é silencioso, que se difunde através das almas puras, que é a força que reforça o mundo.

Existem muitos pecados, mas também muito amor. o Meu Filho Me envia, como Mãe, a mesma igual para todos, para que Eu vos ensine o Amor, para que vocês compreendam que são irmãos.

Ele deseja vos ajudar. Apóstolos do Meu Amor, é suficiente o desejo vivo da fé e do Amor, o Meu Filho o aceitará.

Mas vocês têm que ser dignos, ter boa vontade e um coração aberto. O Meu Filho entra nos corações abertos. Eu, como Mãe, desejo que vocês conheçam o melhor possível o Meu Filho, Deus, nascido de Deus, para que vocês conheçam a grandeza do Seu Amor, o qual vocês tanto precisam.

Ele aceitou os seus pecados, conseguiu a Redenção para vocês, mas em troca procura que vocês amem-se uns aos outros. O Meu Filho é Amor. Ele ama todo ser humano, sem diferença, todas as pessoas de todos os povos e nações.

Se vocês, Meus Filhos, vivessem o Amor do Meu Filho, o Seu Reinado já estaria na Terra. Por isso, Apóstolos do Meu Amor, rezem, rezem para que o Meu Filho e Seu Amor estejam mais próximos de vocês, para que vocês sejam exemplos de Amor e possam ajudar àqueles que ainda não conhecem o Meu Filho.

Nunca esqueçam que o Meu Filho, Uno e Trino, Ama. Amem e rezem pelos seus sacerdotes. Obrigada.”

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

O que significa dizer que o Papa é o "vigário de Cristo"?

VIGÁRIO
substantivo masculino
1. Aquele que substitui outro.
2. Religioso que, investido dos poderes de outro, exerce em seu nome suas funções.


O Concílio Vaticano II, na Lumen gentium, recorda que o Papa, "em virtude do seu cargo de vigário de Cristo e pastor de toda a Igreja, tem nela pleno, supremo e universal poder que pode sempre exercer livremente" (n. 22). Por isso, ele "é perpétuo e visível fundamento da unidade, não só dos bispos, mas também da multidão dos fiéis" (n. 23).

Portanto, o Papa é vigário de Cristo enquanto exerce sua autoridade sobre toda a Igreja. Seu ministério é somente uma das maneiras em que Cristo se torna presente em sua Igreja, a guia e a mantém unida. Jesus, por exemplo, está presente em sua Palavra, na assembleia que celebra a liturgia e, sobretudo, na Eucaristia.

O Papa e os bispos exercem sua autoridade em nome de Cristo, como seus vigários, ao serviço de toda a Igreja. Isso não significa que sejam imunes a fraquezas, erros, pecados.

A assistência do Espírito Santo é garantida quando administram os sacramentos, assim como para o Papa quando define uma doutrina em matéria de fé e de moral ex cathedra, ou seja, em virtude da sua suprema autoridade apostólica.

João Paulo II, ao responder a Vittorio Messori no livro "Cruzando o limiar da esperança", disse que a expressão "vigário de Cristo", mais que uma dignidade, "alude a um serviço: pretende sublinhar as tarefas do Papa na Igreja, seu ministério petrino, com a finalidade do bem da Igreja e dos fiéis.

São Gregório Magno entendeu muito bem isso: entre todas as atribuições relacionadas à função de Bispo de Roma, ele preferiu sempre a de Servum servorum Dei (Servo dos servos de Deus). 


Segunda, 29/06/2015 - Fonte: Aleteia, Antonio Rizzolo / Postado por: Paulo Alves
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...