Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/09/2017

Queridos filhos !

Quem melhor do que EU poderia falar para vocês do Amor e da existência do MEU FILHO ?

Vivi com ELE, EU sofri com ele, vivendo a vida terrena, EU provei da dor porque era MÃE.

MEU FILHO amou com pensamentos e obras o PAI CELESTIAL, o DEUS VERDADEIRO, e como ME dizia veio para redimi-los. EU escondi a minha dor com o amor. Vocês, filhos MEUS, tem numerosas perguntas, não compreendem a dor, não compreendem que através do Amor de Deus devem aceitar a dor e suportá-la. Todas as pessoas provam-na em maior ou menor medida, mas com a paz na alma e em estado de graça a esperança existe.

Este é o MEU FILHO, DEUS, nascido de DEUS. As SUAS PALAVRAS são sementes de Vida Eterna e semeadas nas boas almas produzem muitos frutos.

MEU FILHO suportou a dor porque tomou para si os pecados de vocês.

Por isso vocês, filhos MEUS, Apóstolos do MEU Amor, vocês que sofrem, saibam que as suas dores se tornarão luz e glória.

Filhos MEUS, enquanto vocês suportam a dor o CÉU entra em vocês, e em todos em torno de vocês é dado um pouco de Céu e muita esperança !

Obrigada !

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Em poucos dias será anunciada a canonização dos pais de Santa Teresinha do Menino Jesus

No sábado, 27 de junho, o Papa Francisco realizará um consistório público para a canonização de quatro beatos, entre eles estão os pais de Santa Teresinha: Louis Martin e Marie Zélie Guerin.

Os outros dois beatos são: um sacerdote italiano e fundador do Instituto das Filhas do Oratório, Pe. Vincenzo Grossi, cujo milagre foi a cura de uma mulher, que ocorreu há 25 anos, na localidade de Pizzighettone, onde nasceu o presbítero.

A outra beata que será canonizada é Maria da Imaculada Conceição, religiosa, superiora geral da Congregação das Irmãs da Companhia da Cruz.

O milagre dos pais da Santa Teresa

O milagre que elevará aos altares Louis Martin (nascido em Burdeos, França, em 22 de agosto de 
1823, e falecido em Arnières, no dia 29 de julho de 1894) e Marie Zélie Guérin (nascida em San Saint-Denis-Sarthon, em 23 de dezembro de 1831, e falecida em Alençon, no dia 28 de agosto de 1877) tem como protagonista uma menina chamada Carmen, nascida em Valência (Espanha), no dia da Festa de Santa Teresa D’Ávila, quatro dias depois da beatificação do casal na França.

Durante a gravidez, a mãe da menina teve sérios problemas. Depois de receber muitos cuidados, Carmen nasceu com apenas seis meses de gestação e com complicações graves.

As primeiras palavras da parteira foram: “ ‘Deverão estar preparados para que aconteça o pior’. Pois o bebê nasceu com uma hemorragia ventricular de quarto grau (sangramento severo no cérebro). 

Começou com uma hemorragia cerebral, mas depois passou para seus pulmões, para o coração…”, recordam os pais.

Carmen não reagia diante dos tratamentos médicos, por isso, temiam sua morte. Entretanto, como a menina nasceu no dia de Santa Teresa D’Ávila, o pai decidiu pedir a intercessão de Santa Teresa pela saúde da sua filha.

Visitou um dos conventos das Carmelitas Descalças, localizado perto da cidade. Através de um intercomunicador, contou-lhes a situação do bebê e pediu que rezassem pela menina. No domingo seguinte, retornou ao convento à Missa, acompanhado pela sua esposa, pediram novamente às religiosas suas orações. Dias mais tarde, souberam que o estado de saúde da menina havia piorado e sugeriram pedir a intercessão de Louis e Zélie, pais de Santa Teresinha.

As Carmelitas pensaram que possivelmente o milagre seria obrado, como aconteceu com uma criança em Milão (Itália), que foi curada milagrosamente e, graças a esse acontecimento, o casal foi beatificado.

Finalmente, Carmen foi curada de maneira milagrosa e os diferentes médicos admitiram: “Algo extraordinário aconteceu com esta menina”.

Da mesma maneira, aqui no Brasil, na Arquidiocese do Rio de Janeiro, foi aberto oficialmente o processo de beatificação do casal Zélia Pedreira Abreu Magalhães e Jerônimo de Castro Abreu Magalhães, em janeiro de 2014.


Dom Roberto Lopes, responsável pela Causa dos Santos na Arquidiocese local, declarou sobre eles: “Mostram que é possível viver a santidade no matrimônio, gerar filhos santos. O grande papel deste casal foi mostrar a beleza da família. Eles viveram os verdadeiros valores evangélicos e foram grandes catequistas e adoradores do Santíssimo Sacramento”.


Quarta,17/06/2015 - Fonte: ACI digital / Postado por Paulo Alves
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...