Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/09/2017

Queridos filhos !

Quem melhor do que EU poderia falar para vocês do Amor e da existência do MEU FILHO ?

Vivi com ELE, EU sofri com ele, vivendo a vida terrena, EU provei da dor porque era MÃE.

MEU FILHO amou com pensamentos e obras o PAI CELESTIAL, o DEUS VERDADEIRO, e como ME dizia veio para redimi-los. EU escondi a minha dor com o amor. Vocês, filhos MEUS, tem numerosas perguntas, não compreendem a dor, não compreendem que através do Amor de Deus devem aceitar a dor e suportá-la. Todas as pessoas provam-na em maior ou menor medida, mas com a paz na alma e em estado de graça a esperança existe.

Este é o MEU FILHO, DEUS, nascido de DEUS. As SUAS PALAVRAS são sementes de Vida Eterna e semeadas nas boas almas produzem muitos frutos.

MEU FILHO suportou a dor porque tomou para si os pecados de vocês.

Por isso vocês, filhos MEUS, Apóstolos do MEU Amor, vocês que sofrem, saibam que as suas dores se tornarão luz e glória.

Filhos MEUS, enquanto vocês suportam a dor o CÉU entra em vocês, e em todos em torno de vocês é dado um pouco de Céu e muita esperança !

Obrigada !

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Como fazer que o amor seja mais que um “conto de fadas”

Nos contos de princesas e de castelos encantados parece estar o segredo da felicidade. Ainda que muitas pessoas opinem o contrário, sim, os príncipes e princesas existem. Não são aqueles seres perfeitos, sem defeito algum na vida ou situações para melhorar, e sim aqueles que trazem sonhos e ideais à nossa vida.

Quando nos apaixonamos, vivemos uma espécie de conto de fadas, um sonho do qual não queremos despertar. Mas, se nos esforçamos para manter a chama desse amor acesa, mesmo perdendo um pouco de sua intensidade, ela continuará brilhando.

O encontro maravilhoso de duas pessoas que se apaixonam pode ser o começo de uma vida transcendente, na qual um busca fazer o outro feliz, e a base da sua relação é e sempre será a sinceridade, aliada ao respeito.

Um relacionamento cresce e se fortalece quando está fundamentado nos valores, quando se busca o bem do outro sem esperar nada em troca; é a alegria de ver o ser amado feliz.

Para manter a chama do amor viva, que tal sair da rotina? Surpreenda seu amado com um jantar romântico, flores, chocolate etc.; faça a pessoa se sentir amada, especial, única, merecedora do seu sorriso.

A felicidade tão desejada é construída entre os dois, não em um mundo de perfeição, mas na realidade da vida cotidiana, em meio a problemas, correrias, longas horas de trabalho, estresses e todos os demais elementos que fazem parte da vida.

Aceitar-nos e aceitar o outro sem pretender mudá-lo é um dos elementos essenciais para construir uma união sólida. O amor é tão grande, que amamos apesar das coisas que precisam melhorar, porque somos seres que se aperfeiçoam, que se tornam mais pessoas na medida em que trabalham na própria superação.

Ao falar de aceitar, refiro-me a que às vezes pretendemos mudar absolutamente tudo do outro: sua forma de falar, vestir-se, opinar etc. E deixamos de lado sua essência, sua forma de ser, de pensar e de sentir.

Precisamos aprender a ser mais tolerantes diante de opiniões, pensamentos, e muitas vezes de culturas e costumes diferentes. Não podemos nos deixar levar por estereótipos ou modelos vistos em novelas e revistas.

O amor verdadeiro existe, mas precisa ser construído sobre a base do respeito, do compromisso, da amizade e da união para a vida inteira. Se o castelo do amor for construído sobre aspectos superficiais, facilmente cairá.

E quando o castelo do amor cai, com ele caem todos os que o habitavam, especialmente os filhos, parte fundamental do amor verdadeiro entre marido e mulher. Os filhos sofrem e são afetados significativamente, já que, além de observar discussões, desavenças, indiferenças e muitas vezes violência, vivem o conflito tão profundamente, que também acabam sendo muito afetados.

Além disso, os papeis de pai e mãe são a base e o exemplo na construção do seu próprio conto de príncipes e princesas, do amor, da união, do esforço e do sacrifício. Que concepção de amor os filhos terão quando forem adultos? O que vão querer para sua vida conjugal? Que aspectos os filhos imitarão dos seus pais em seus relacionamentos futuros?

Cada pessoa vive sua própria história de amor. É muito recomendável recordá-la de vez em quando. Certamente, esta primeira sensação que considerávamos já perdida pode voltar a estar presente em nossa vida.

Começar a recopilar os aspectos positivos é muito valioso, porque às vezes, com o passar dos anos, acabamos lembrando apenas das dificuldades e dos erros cometidos, mas não dos acertos e, por conseguinte, cultivamos ressentimentos, nostalgias, tristezas, que vão corroendo nosso interior e impedindo-nos de viver com a certeza de poder alcançar a felicidade. 



Domingo, 14/06/2015 - Fonte: Aleteia, LaFamilia.info / Postado por: Paulo Alves
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...