Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/11/2017

“Queridos filhos, olhando vocês em torno de Mim, em torno da sua Mãe, Eu estou vendo muitas almas puras, vejo muitos dos Meus filhos que estão procurando amor e consolação, mas ninguém está oferecendo isso a eles.

Também vejo aqueles que fazem o mal, porque não têm bons exemplos, não conheceram Meu Filho, aquele bem que é silencioso, que se difunde através das almas puras, que é a força que reforça o mundo.

Existem muitos pecados, mas também muito amor. o Meu Filho Me envia, como Mãe, a mesma igual para todos, para que Eu vos ensine o Amor, para que vocês compreendam que são irmãos.

Ele deseja vos ajudar. Apóstolos do Meu Amor, é suficiente o desejo vivo da fé e do Amor, o Meu Filho o aceitará.

Mas vocês têm que ser dignos, ter boa vontade e um coração aberto. O Meu Filho entra nos corações abertos. Eu, como Mãe, desejo que vocês conheçam o melhor possível o Meu Filho, Deus, nascido de Deus, para que vocês conheçam a grandeza do Seu Amor, o qual vocês tanto precisam.

Ele aceitou os seus pecados, conseguiu a Redenção para vocês, mas em troca procura que vocês amem-se uns aos outros. O Meu Filho é Amor. Ele ama todo ser humano, sem diferença, todas as pessoas de todos os povos e nações.

Se vocês, Meus Filhos, vivessem o Amor do Meu Filho, o Seu Reinado já estaria na Terra. Por isso, Apóstolos do Meu Amor, rezem, rezem para que o Meu Filho e Seu Amor estejam mais próximos de vocês, para que vocês sejam exemplos de Amor e possam ajudar àqueles que ainda não conhecem o Meu Filho.

Nunca esqueçam que o Meu Filho, Uno e Trino, Ama. Amem e rezem pelos seus sacerdotes. Obrigada.”

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Limites: educamos ou censuramos nossos filhos?

Em entrevista o Dr. Enrique Orchansky, pediatra, doutor em Medicina e Cirurgia e docente da cátedra de Clínica Pediátrica da Universidade Nacional de Córdoba. Dessa vez, o médico falou sobre os limites e sobre quando e como colocá-los.

Segundo o Dr. Enrique, o que os pais mais perguntam ao pediatra é como começar a colocar limites. Atualmente, as crianças estão desafiando hierarquias e a relação pais-filhos se tornou mais horizontal.

"As crianças estão desafiando hierarquias porque os pais deixaram sua autoridade de lado. Os filhos falam com eles como com um amigo, com desafios e às vezes insolência", comentou o pediatra.

Nesta ruptura de autoridade, os pais se comportam como iguais com seus filhos, gerando que as crianças não reconheçam nem respeitem os limites impostos.

Depois dos 6 ou 7 anos de idade, o dilema é o que fazer com os limites que não foram colocados a tempo. É importante saber que pode haver uma volta aos limites, neste caso.

Segundo o médico, são os pais que devem voltar à postura de autoridade, impondo limites próprios, já que "os filhos aprendem daquilo que veem, e não só do que escutam. E o que estão vendo são pais sem limites".

Por isso, é importante educar com o exemplo, ter horários, formas e comportamentos que as crianças possam imitar e que não contradigam os limites ensinados aos filhos.

Uma questão importante ressaltada pelo pediatra é que os momentos de reencontro em família, descanso e desconexão das obrigações favorecem que a criança assimile limites. Os filhos precisam do olhar dos seus pais para sentir-se seguros, tranquilos e realizados como pessoas.

"O olhar dos pais é o grande ansiolítico que as farmácias não vendem; ele é distribuído nas famílias, mas está em falta", comentou o Dr. Enrique. A falta de atenção por parte dos pais gera birras e crianças mimadas. 



Sábado, 18/04/2015 - Rádio Maria / Aleteia / Paulo Alves
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...