Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/12/2017

“Queridos filhos, Me dirijo a vocês como sua Mãe, a Mãe dos justos, a Mãe daqueles que amam e sofrem, a Mãe dos santos.

Filhos Meus, também vocês podem ser santos: depende de vocês. Santos são aqueles que amam imensamente o Pai Celestial, aqueles que O amam acima de tudo.

Por isso, filhos Meus, procurem ser sempre melhores. Se procuraram ser bons, podem ser santos, também se não pensam isto de vocês. Se vocês pensam ser bons, não são humildes e a soberba os distancia da santidade.

Neste mundo inquieto, cheio de ameaças, as suas mãos, apóstolos do Meu amor, devem estar estendidas em oração e em misericórdia. Para mim, filhos Meus, presenteiem o Rosário, as rosas que tanto amo!

As Minhas rosas são as suas orações feitas com o coração e não somente recitadas com os lábios. As minhas rosas são as suas obras de oração, de fé e de amor.

Quando era pequeno, Meu Filho me dizia que os Meus filhos seriam numerosos e que me trariam muitas rosas.

Eu não compreendia, agora sei que vocês são aqueles filhos, que trazem rosas quando amam o Meu Filho acima de tudo, quando rezam com o coração, que ajudam os mais pobres. Estas são as Minhas rosas!

Esta é a fé, que faz que tudo na vida se faça por amor; que não conhece a soberba; que perdoa sempre prontamente, sem nunca julgar e procurando sempre compreender o próprio irmão.

Por isso, apóstolos do Meu amor, rezem por aqueles que não sabem amar, por aqueles que não os amam, por aqueles que os fizeram mal, por aqueles que não conheceram o Amor de Meu Filho. Filhos Meus, os peço isto para que lembrem que rezar significa amar e perdoar. Obrigada !”

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Não ter trabalho é uma injustiça!

Na última parte da Audiência Geral desta quarta-feira antes da Semana Santa, o Papa Francisco reiterou que ter um emprego é uma questão de justiça.

Durante a sua saudação em italiano aos trabalhadores da província italiana de Vibo Valentia, o Santo Padre fez um apelo pela luta contra a injustiça neste momento em que estão vivendo uma “grave situação econômica”.

“Dirijo um cordial pedido para que não prevaleça a lógica do lucro, mas a da solidariedade e da justiça. Ao centro de todas as questões, especialmente aquela trabalhista, deve estar a pessoa e sua dignidade. E por isso ter trabalho é uma questão de justiça, é uma injustiça não poder ter trabalho!”, disse com força.

“Quando não se ganha o pão, perde-se a dignidade”, algo que “é o drama do nosso tempo, especialmente para os jovens que, sem trabalho, não têm perspectivas para o futuro e podem se transformar em presas fáceis para organizações criminosas”.

“Por favor, lutemos por isso: a justiça do trabalho. Devemos lutar por isso”, concluiu.



Quarta, 25/03/2015 - ACI, Alvaro de Juana / Paulo Alves
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...