Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/12/2017

“Queridos filhos, Me dirijo a vocês como sua Mãe, a Mãe dos justos, a Mãe daqueles que amam e sofrem, a Mãe dos santos.

Filhos Meus, também vocês podem ser santos: depende de vocês. Santos são aqueles que amam imensamente o Pai Celestial, aqueles que O amam acima de tudo.

Por isso, filhos Meus, procurem ser sempre melhores. Se procuraram ser bons, podem ser santos, também se não pensam isto de vocês. Se vocês pensam ser bons, não são humildes e a soberba os distancia da santidade.

Neste mundo inquieto, cheio de ameaças, as suas mãos, apóstolos do Meu amor, devem estar estendidas em oração e em misericórdia. Para mim, filhos Meus, presenteiem o Rosário, as rosas que tanto amo!

As Minhas rosas são as suas orações feitas com o coração e não somente recitadas com os lábios. As minhas rosas são as suas obras de oração, de fé e de amor.

Quando era pequeno, Meu Filho me dizia que os Meus filhos seriam numerosos e que me trariam muitas rosas.

Eu não compreendia, agora sei que vocês são aqueles filhos, que trazem rosas quando amam o Meu Filho acima de tudo, quando rezam com o coração, que ajudam os mais pobres. Estas são as Minhas rosas!

Esta é a fé, que faz que tudo na vida se faça por amor; que não conhece a soberba; que perdoa sempre prontamente, sem nunca julgar e procurando sempre compreender o próprio irmão.

Por isso, apóstolos do Meu amor, rezem por aqueles que não sabem amar, por aqueles que não os amam, por aqueles que os fizeram mal, por aqueles que não conheceram o Amor de Meu Filho. Filhos Meus, os peço isto para que lembrem que rezar significa amar e perdoar. Obrigada !”

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Que possamos formar uma grande unidade de oração pelo meu filho”, pede pai do menino de três anos que deseja ser Papa

“Eu quero ser Papa”, disse Rafael Freitas ao ver o Papa Francisco na TV, durante a Jornada Mundial da Juventude Rio2013. A criança, que atualmente tem 3 anos, se tornou conhecida recentemente, quando um vídeo dele “celebrando a missa” foi divulgado na Internet. Em 2014, os pais de Rafael,  Randersson e Patriana Freitas, receberam a notícia de que o filho estava com um câncer terminal, mas após quase um ano de tratamento, já é possível falar em cura.

“Estamos em uma semana crucial, onde serão feitos novos exames para definir o que ainda precisará ser feito. Talvez ele tenha que fazer um transplante de medula. Pedimos as orações dos bispos, padres, religiosos, leigos e das famílias. Rezem pelo Rafael. Que possamos formar uma grande corrente de oração. Sabemos que a cura do Rafael depende da mão de Deus e nós pedimos que esse milagre aconteça”, disse Randersson.

Desde março do ano passado, para tratar um Neuroblastoma,  ele começou a fazer quimioterapia no Hospital de Câncer Infanto Juvenil Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em Barretos (SP).

“Receber essa notícia foi o pior momento do tratamento. A neuroplastoma é uma doença que atinge nervos e ossos. A doença do Rafael foi classificada no nível 4, o mais grave. Os médicos não deram nenhuma esperança. Quando chegou, ele foi colocado no local para doentes terminais. Mas, pela graça de Deus, pudemos constatar alguns milagres e o quadro crítico foi se revertendo. Agora, na fase final do tratamento já começamos a pensar na cura”, afirmou.

A fé dos pais desenvolveu em Rafael o sentido religioso que ele demonstra desde muito cedo.

“O filho sempre quer ser o que o pai é. Nós somos ministros extraordinários da Sagrada Comunhão (Mesc) e buscamos participar diariamente da Sagrada Eucaristia. Rafael, com pouco mais de um ano, quando começou a dar os primeiros passos, em todas as missas que nós íamos, na hora da Consagração, quando o padre levantava o cálice, ele no banco também levantava o seu copinho de água e esticava a sua toalhinha de bebê”, contou.

Na Capela do hospital, onde participa da missa com seu pais, Rafael pediu uma patena para o Padre Sérgio Borges. A criança ganhou não só uma patena, mas também outros objetos litúrgicos, além de uma túnica e uma estola feitas exclusivamente para ele.

“O padre achou tão bonito o pedido dele e para incentivá-lo deu um conjunto de objetos litúrgicos que ainda não tinham sido utilizados em uma missa. No dia que ele ganhou esse presente ele celebrou umas ‘trezentas missas’, às 11horas da noite ele ainda estava celebrando. Foi o melhor presente, o olhar dele demonstrava o quanto ele estava feliz. Na pensão onde moram as pessoas que estão em tratamento no hospital, temos um lugar comum e ele chama todo mundo para participar da ‘missa’ celebrada por ele”, destacou o pai.


O Hospital do Câncer de Barretos sobrevive com doações. Informações: www.hcancerbarretos.com.br/hospital-de-cancer-infantil


Quarta, 11/02/2015 - ACI, Cláudia Brito de Albuquerque e Sá / Paulo Alves


VEJA O VÍDEO:



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...