Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/09/2018

Queridos filhos,

As Minhas palavras são simples, mas repletas de amor materno e de preocupação. Filhos MEUS, sobre vocês se alargam sempre mais as sombras das trevas e do engano, Eu os chamo em direção a luz e a verdade, Eu os chamo na direção de Meu Filho. Somente Ele pode converter o desespero e a dor em paz e serenidade, somente ELE pode dar esperança nas dores mais profundas. O MEU FILHO é a VIDA do mundo, e quanto mais O conhecerem, mais se aproximarão DELE e mais O amarão porque o MEU FILHO é AMOR e o AMOR muda tudo.

ELE torna maravilhoso também aquilo que sem amor pareça para vocês insignificante. Por isso novamente os digo que vocês devem amar muito se desejarem crescer espiritualmente. EU sei, apóstolos do MEU AMOR, que não sempre fácil, porém, filhos MEUS, também as estradas dolorosas são caminhos que levam ao crescimento espiritual, à fé e ao MEU FILHO.

Filhos MEUS, rezem, pensem em MEU FILHO durante todos os momentos do dia, elevem as suas almas até ELE e EU recolherei as suas orações como flores do jardim mais belo e as darei de presente ao MEU FILHO.

Sejam realmente apóstolos do MEU AMOR, deem a todos o AMOR de MEU FILHO, sejam jardins com as flores mais belas.

Com a oração ajudem os seu sacerdotes para que possam ser pais espirituais cheios de amor para todos os homens.

Obrigada.

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Arrependei-vos!

Evangelho do dia 22/02/2015 - Marcos 1,12-15

Naquele tempo, o Espírito levou Jesus para o deserto. E ele ficou no deserto durante quarenta dias, e aí foi tentado por Satanás. Vivia entre animais selvagens, e os anjos o serviam. Depois que João Batista foi preso, Jesus foi para a Galiléia, pregando o Evangelho de Deus e dizendo:"O tempo já se completou e o Reino de Deus está próximo. Convertei-vos e crede no Evangelho!"
 
Palavra da salvação. 

Glória a vós, Senhor!


Comentário do Evangelho

Curioso como a expressão “Reino dos Céus”, que aparece na pregação de João Batista e reaparece na de Jesus Cristo, tem sido associada a tanta coisa diferente. Quando se fala nesse Reino, alguns pensam na Igreja aqui na terra, dominante e gloriosa; outros imaginam um planeta pós-revolução, onde os tiranos já foram eliminados e o povo divide pacificamente suas colheitas. É raro, porém, que esse Reino seja associado a... conversão!
 
No entanto, a associação estava clara nas duas pregações acima citadas: o Reino está próximo, então... arrependei-vos! Entre os que perceberam esta ligação, está Cesário de Arles [470-543 d.C.]:
 
“O Reino dos céus é Cristo que – temos certeza disso – conhece os atos bons e maus e julga todos os motivos de nossos atos. Também precisamos antecipar-nos a Deus, confessando nossas faltas, e reprimir todos os desregramentos da alma antes do julgamento. Nós nos expomos ao perigo se não sabemos qual é o tratamento a seguir para a cura do pecado. Devemos arrepender-nos antes de tudo porque sabemos que prestaremos conta das razões de nossos erros.
 
Vejam, irmãos bem-amados, como é grande a bondade de Deus para conosco, tão grande que ele quer perdoar o pecado de quem se reconhece culpado e o repara antes do juízo. Ele, o justo Juiz, sempre faz preceder o julgamento por uma advertência, para jamais ter de exercer uma justiça severa. Se Deus quer tirar de nós um rio de lágrimas, não é sem motivo, irmãos bem-amados, mas para que possamos recuperar pelo arrependimento aquilo que havíamos perdido por negligência.
 
Nosso Deus sabe que o homem não tem sempre uma vontade reta, e que ele pode muitas vezes pecar em sua carne ou cometer desvios de linguagem. E também nos ensinou o caminho do arrependimento, pelo qual podemos reparar os prejuízos que causamos e corrigir-nos de nossas faltas. Para estarmos seguros de obter-lhe o perdão, jamais devemos cessar de lamentar nossos pecados.
 
Por mais fragilizada que esteja a natureza humana, em razão de tantas feridas, ninguém deve desesperar, pois o Senhor é de uma generosidade tão grande, que ele distribui sem reserva os dons de sua misericórdia sobre todos que já estão sem forças.
 
Que ninguém os desvie, meus bem-amados, pois a pior espécie de pecado consiste em não perceber os próprios pecados. Enquanto todos os que reconhecem suas faltas podem reconciliar-se com Deus ao se arrependerem, nenhum pecado merece mais a nossa piedade que aquele que acredita nada ter a se reprovar.”
 
Uma lição simples e clara. Como disse o sambista, “perdão foi feito pra gente pedir”. Só o orgulhoso se condena...
 

Orai sem cessar:“No teu grande amor, cancela o meu pecado!” (Sl 50,3)
Texto de Antônio Carlos Santini, da Com. Católica Nova Aliança.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...