Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/12/2017

“Queridos filhos, Me dirijo a vocês como sua Mãe, a Mãe dos justos, a Mãe daqueles que amam e sofrem, a Mãe dos santos.

Filhos Meus, também vocês podem ser santos: depende de vocês. Santos são aqueles que amam imensamente o Pai Celestial, aqueles que O amam acima de tudo.

Por isso, filhos Meus, procurem ser sempre melhores. Se procuraram ser bons, podem ser santos, também se não pensam isto de vocês. Se vocês pensam ser bons, não são humildes e a soberba os distancia da santidade.

Neste mundo inquieto, cheio de ameaças, as suas mãos, apóstolos do Meu amor, devem estar estendidas em oração e em misericórdia. Para mim, filhos Meus, presenteiem o Rosário, as rosas que tanto amo!

As Minhas rosas são as suas orações feitas com o coração e não somente recitadas com os lábios. As minhas rosas são as suas obras de oração, de fé e de amor.

Quando era pequeno, Meu Filho me dizia que os Meus filhos seriam numerosos e que me trariam muitas rosas.

Eu não compreendia, agora sei que vocês são aqueles filhos, que trazem rosas quando amam o Meu Filho acima de tudo, quando rezam com o coração, que ajudam os mais pobres. Estas são as Minhas rosas!

Esta é a fé, que faz que tudo na vida se faça por amor; que não conhece a soberba; que perdoa sempre prontamente, sem nunca julgar e procurando sempre compreender o próprio irmão.

Por isso, apóstolos do Meu amor, rezem por aqueles que não sabem amar, por aqueles que não os amam, por aqueles que os fizeram mal, por aqueles que não conheceram o Amor de Meu Filho. Filhos Meus, os peço isto para que lembrem que rezar significa amar e perdoar. Obrigada !”

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

O que Francisco disse sobre paternidade responsável e famílias numerosas

Durante o vôo de retorno das Filipinas a Roma, o Papa Francisco concedeu a habitual coletiva de imprensa a jornalistas de todo o mundo e foi consultado sobre a posição da Igreja sobre o número de filhos que deve ter uma família. Partes das respostas do Papa ganharam os titulares na mídia secular, e que não poucas vezes distorceu as palavras do Santo Padre. Eis o que o Papa Francisco realmente disse:

A pergunta-a, feita por um jornalista do grupo alemão, vinculava o dado de muitas crianças de rua nas Filipinas e altos níveis de pobreza:

“Santidade, você falou que há muitas crianças nas Filipinas, para sua alegria, que há muitos. Segundo as sondagens, a maioria da população filipina acredita que o aumento dos filipinos é uma das razões mais importantes da grande pobreza no país. Em média, uma mulher filipina dá à luz três criançcas durante sua vida, e a posição católica em relação à contracepção parece ser umas das questões pelas quais muita gente nas Filipinas está em desacordo com a Igreja. O que pensa sobre isto?”

A resposta do Papa foi a seguinte:

“Penso que o número de três (crianças) por família que você mencionou é o que os peritos dizem que é importante para manter a população. Três por casal. Quando isto diminui, ocorre o outro extremo, como está acontecendo na Itália. Escutei, não sei se é verdade, que em 2024 não haverá dinheiro para pagar os aposentados (devido à) queda da população.

Portanto, a palavra-chave, para dar uma resposta, e uma que a Igreja usa o tempo todo, e eu também, é a paternidade responsável. Como se faz isto? Com o diálogo. Cada pessoa, com seu pastor, busca como realizar esta paternidade responsável.

O exemplo que mencionei recentemente antes sobre a mulher que está esperando seu oitavo (filho) e já tinha sete que nasceram por cesárea. Isto é uma irresponsabilidade. (Essa mulher poderia dizer) ‘eu não, eu confio em Deus’, mas Deus te dá métodos para ser responsável. Alguns acreditam que, desculpem a palavra, né, que para ser bons católicos temos que ser como coelhos. Não. Paternidade responsável. Isto é claro e por isso na Igreja há grupos matrimoniais, há peritos nesta matéria, há pastores, e as pessoas podem procurá-los e sei que há muitas, muitas maneiras que são lícitas e que ajudaram. Você fez bem em me perguntar isso.

E outra coisa em relação a isto é que para a gente mais pobre, uma criança é um tesouro. É verdade que se deve ser prudente aqui também, mas para eles um filho é um tesouro. (Alguém diria) ‘Deus sabe como me ajudar’ e talvez algum deles não sejam prudentes, isto é certo. Paternidade responsável, mas vamos olhar também a generosidade do pai e da mãe que enxergam um tesouro em cada filho”.

Hoje na Audiência Geral na Sala Paulo VI o Papa voltou a valorizar as famílias numerosas, assinalando-as como esperança e consolo para o futuro.


O Santo Padre em ambas ocasiões condenou veementemente a posição de que taxas altas de natalidade sejam as causas da pobreza. Nas palavras do Pontífice a pobreza e a miséria são causadas pelo sistema econômico atual que deslocou a pessoa humana do centro e fez do dinheiro um deus.


Quarta, 21/01/2015 - ACI / Paulo Alves
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...