Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/10/2017

Queridos filhos,

Falo a vocês como MÃE, com palavras simples mas cheias de amor e de preocupação, que ME foram confiados por MEU FILHO. É ELE que, do ETERNO PRESENTE, fala a vocês com palavras de vida e semeia o amor nos corações abertos, Por esta razão os peço, apóstolos do MEU AMOR, tenham os corações abertos, sempre prontos à misericórdia e ao perdão.

Pelo MEU FILHO, perdoem sempre ao próximo porque assim vocês terão a paz. Filhos MEUS, preocupem-se com a alma de vocês porque é a única coisa que pertence a vocês realmente. Vocês se esqueceram da importância da família.

A família não deveria ser lugar de sofrimento e de dor mas local de compreensão e de ternura. As famílias que vivem segundo o MEU FILHO, vivem em amor recíproco.

Quando o MEU FILHO era ainda pequeno, ELE ME dizia que todos os homens são SEUS irmãos; por isso lembrem-se, apóstolos do MEU AMOR, que todos os homens que vocês encontrarem são família, irmãos pelo MEU FILHO.

Meus filhos, não gastem seu tempo pensando sobre o futuro, se preocupando. Que sua única preocupação seja viver bem cada momento de acordo com MEU FILHO. Lá está – paz para vocês!

Filhos MEUS, não esqueçam nunca de rezar pelos seus sacerdotes. Rezem para que possam aceitar todos os homens como seus próprios filhos e segundo o MEU FILHO, sejam pais espirituais. Obrigada.


OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

O cristão morno esqueceu o entusiasmo do primeiro amor

A custódia da memória do primeiro amor e a esperança no encontro com Cristo foram os dois temas principais da homilia do Papa Francisco na Missa da Santa Marta desta última sexta-feira de janeiro, na qual alertou os fiéis sobre o perigo de converter-se em cristãos mornos.
 
O Bispo de Roma comentou a Epístola aos Hebreus da liturgia que convida a lembrar “dos primeiros dias, quando, apenas iluminados, suportastes longas e dolorosas lutas”. Para o Papa este é “o dia do encontro com Jesus” que nunca se esquece porque é o dia de “uma alegria grande”, de “um desejo de fazer coisas grandes”.
 
“A memória é tão importante para recordar a graça recebida, porque se nós largamos este entusiasmo que vem da memória do primeiro amor, vem aquele perigo tão grande para os cristãos: a tibieza. Os cristãos mornos”.
 
“E estão ali, parados, e sim, são cristãos, mas perderam a memória do primeiro amor. E perderam o entusiasmo. Também perderam a paciência, aquele tolerar as coisas da vida com o espírito do amor de Jesus; aquele levar às costas, as dificuldades… os cristãos mornos, pobrezinhos, são um grave perigo”.
 
Sobre o mesmo tema, Francisco colocou dois exemplos. Por um lado, a epístola de São Pedro onde se diz “cão que retorna ao seu vômito”, e por outro que há pessoas que na decisão de seguir o Evangelho expulsaram de si o demônio, mas quando este retorna com força, abrem-lhe a porta sem estar em guarda e assim o demônio “toma posse daquela casa”.
 
Em contrapartida, “o cristão tem estes dois parâmetros: a memória e a esperança”.
 
“Evocar a memória para não perder aquela experiência tão bela do primeiro amor, e que alimenta a esperança. Tantas vezes a esperança é obscura, mas vai em frente. Acredita e vai, porque sabe que a esperança não desilude para encontrar Jesus. Estes dois parâmetros são justamente a moldura na qual podemos preservar esta salvação dos justos, que vem do Senhor”.
 
Por último, destacou que é uma salvação que vai protegida “para que o pequeno grão de mostarda cresça e dê seu fruto”.
 

“Dão pena, fazem tanto mal tantos cristãos pela metade do caminho, tantos cristãos falidos neste caminho rumo ao encontro com Jesus, este caminho no qual perderam a memória do primeiro amor e não têm esperança. Peçamos ao Senhor a graça de proteger o presente, o dom da salvação”.


Sexta, 30/01/2015 - ACI / Paulo Alves
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...