Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/08/2018

“Queridos filhos,

Com amor materno os convido a abrirem os seus corações à paz, a abrirem os seus corações ao MEU FILHO, a cantar em seus corações o amor ao MEU FILHO, porque somente através deste amor chega a paz da alma.

Filhos MEUS, EU sei que vocês tem a bondade, sei que vocês tem o amor, o amor misericordioso. Mas, muitos dos MEUS filhos ainda tem os corações fechados, pensam que podem agir sem colocar os seus pensamentos ao PAI CELESTIAL que ilumina, diante do MEU FILHO que está sempre e novamente com vocês na EUCARISTIA e que deseja ouvi-los.

Filhos Meus, porque não falam para eles ? A vida de cada um de vocês é importante e preciosa porque é um dom do PAI CELESTIAL para a ETERNIDADE, por isso nunca se esqueçam de agradecê-LO e falar com ELE.

Eu sei, filhos MEUS, que para vocês é desconhecido aquilo que virá depois, porém quando chegar o “depois” de vocês, terão todas as respostas. O MEU amor materno deseja que vocês estejam prontos.

Filhos MEUS, com a vida de vocês coloquem sentimentos bons nos corações das pessoas que vocês encontrarem, sentimentos de paz, de bondade, de amor e de perdão. Através da oração escutem o que lhes diz o MEU FILHO e assim o façam.

Novamente os convido a rezarem pelos seus sacerdotes, por aqueles a quem o MEU FILHO chamou; lembrem-se que eles tem necessidade de orações e de amor.

Obrigada.”

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

O cristão morno esqueceu o entusiasmo do primeiro amor

A custódia da memória do primeiro amor e a esperança no encontro com Cristo foram os dois temas principais da homilia do Papa Francisco na Missa da Santa Marta desta última sexta-feira de janeiro, na qual alertou os fiéis sobre o perigo de converter-se em cristãos mornos.
 
O Bispo de Roma comentou a Epístola aos Hebreus da liturgia que convida a lembrar “dos primeiros dias, quando, apenas iluminados, suportastes longas e dolorosas lutas”. Para o Papa este é “o dia do encontro com Jesus” que nunca se esquece porque é o dia de “uma alegria grande”, de “um desejo de fazer coisas grandes”.
 
“A memória é tão importante para recordar a graça recebida, porque se nós largamos este entusiasmo que vem da memória do primeiro amor, vem aquele perigo tão grande para os cristãos: a tibieza. Os cristãos mornos”.
 
“E estão ali, parados, e sim, são cristãos, mas perderam a memória do primeiro amor. E perderam o entusiasmo. Também perderam a paciência, aquele tolerar as coisas da vida com o espírito do amor de Jesus; aquele levar às costas, as dificuldades… os cristãos mornos, pobrezinhos, são um grave perigo”.
 
Sobre o mesmo tema, Francisco colocou dois exemplos. Por um lado, a epístola de São Pedro onde se diz “cão que retorna ao seu vômito”, e por outro que há pessoas que na decisão de seguir o Evangelho expulsaram de si o demônio, mas quando este retorna com força, abrem-lhe a porta sem estar em guarda e assim o demônio “toma posse daquela casa”.
 
Em contrapartida, “o cristão tem estes dois parâmetros: a memória e a esperança”.
 
“Evocar a memória para não perder aquela experiência tão bela do primeiro amor, e que alimenta a esperança. Tantas vezes a esperança é obscura, mas vai em frente. Acredita e vai, porque sabe que a esperança não desilude para encontrar Jesus. Estes dois parâmetros são justamente a moldura na qual podemos preservar esta salvação dos justos, que vem do Senhor”.
 
Por último, destacou que é uma salvação que vai protegida “para que o pequeno grão de mostarda cresça e dê seu fruto”.
 

“Dão pena, fazem tanto mal tantos cristãos pela metade do caminho, tantos cristãos falidos neste caminho rumo ao encontro com Jesus, este caminho no qual perderam a memória do primeiro amor e não têm esperança. Peçamos ao Senhor a graça de proteger o presente, o dom da salvação”.


Sexta, 30/01/2015 - ACI / Paulo Alves
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...