Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/12/2017

“Queridos filhos, Me dirijo a vocês como sua Mãe, a Mãe dos justos, a Mãe daqueles que amam e sofrem, a Mãe dos santos.

Filhos Meus, também vocês podem ser santos: depende de vocês. Santos são aqueles que amam imensamente o Pai Celestial, aqueles que O amam acima de tudo.

Por isso, filhos Meus, procurem ser sempre melhores. Se procuraram ser bons, podem ser santos, também se não pensam isto de vocês. Se vocês pensam ser bons, não são humildes e a soberba os distancia da santidade.

Neste mundo inquieto, cheio de ameaças, as suas mãos, apóstolos do Meu amor, devem estar estendidas em oração e em misericórdia. Para mim, filhos Meus, presenteiem o Rosário, as rosas que tanto amo!

As Minhas rosas são as suas orações feitas com o coração e não somente recitadas com os lábios. As minhas rosas são as suas obras de oração, de fé e de amor.

Quando era pequeno, Meu Filho me dizia que os Meus filhos seriam numerosos e que me trariam muitas rosas.

Eu não compreendia, agora sei que vocês são aqueles filhos, que trazem rosas quando amam o Meu Filho acima de tudo, quando rezam com o coração, que ajudam os mais pobres. Estas são as Minhas rosas!

Esta é a fé, que faz que tudo na vida se faça por amor; que não conhece a soberba; que perdoa sempre prontamente, sem nunca julgar e procurando sempre compreender o próprio irmão.

Por isso, apóstolos do Meu amor, rezem por aqueles que não sabem amar, por aqueles que não os amam, por aqueles que os fizeram mal, por aqueles que não conheceram o Amor de Meu Filho. Filhos Meus, os peço isto para que lembrem que rezar significa amar e perdoar. Obrigada !”

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Nordestão de Liturgia recorda Concílio Vaticano II

 A diocese de Crato (CE) sedia, de 12 a 22 de janeiro, o Nordestão de Liturgia, um encontro regional de formação litúrgica para leigos, religiosos, diáconos, seminaristas e presbíteros com o objetivo de construir “como discípulos missionários de Jesus Cristo, um saber teológico-litúrgico, a partir das práticas celebrativas, à luz da Tradição e da renovação do Vaticano II, priorizando o rito que é fonte de uma liturgia orante e inculturada, no chão nordestino”.

Na abertura do evento, na segunda-feira, dia 12, o bispo de Crato (CE), dom Fernando Panico, afirmou que a formação pode motivar as comunidades a terem um encontro com Jesus Cristo. “O que celebramos? Por que celebramos? O Nordestão de Liturgia deve implantar em nós o desejo de, ao colocarmos as comunidades diante da palavra de Deus, o povo não só queira ouvi-la, mas tenham a vontade de buscar o encontro pessoal e comunitário com Cristo, que dá os rumos de nossa Igreja”, sugeriu.

A formação tem a presença de participantes de cinco estados nordestinos - Piaui, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba e Pernambuco -, além de representantes do Amazonas, do Pará, do Espírito Santo e de São Paulo. “Rostos com traços nordestinos, traços que faz comungar com a missão do povo de Deus”, cumprimentou o bispo.

A mistagogia a partir do rito celebrado foi a metodologia escolhida para o Nordestão. A dinâmica terá a participação na construção do conhecimento “em mutirão, onde todos partilham suas experiências e descobertas, na celebração do Mistério Pascal acontecendo na história”, descrevem os organizadores.

 Dividido em três etapas, o curso válido como extensão universitária pretende proporcionar conhecimento mais aprofundado sobre a celebração do mistério pascal de Cristo. Cada etapa é cursada em uma edição do Nordestão. A organização pretende, em 2016, oferecer a formação como especialização. A programação propõe aulas teóricas e práticas sobre Liturgia, vivencia dos sacramentos, laboratório litúrgico, celebrações e, de maneira especial, o Oficio Divino das Comunidades.

Assessoria

Dom Fernando Panico, que é referencial para a Liturgia no regional Nordeste 1 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), coordena a formação e o grupo de assessores, formado por especialistas que atuam na área, como o professor de Liturgia e diretor do Instituto Teológico do Piauí, padre Jonilson Torres Resende; o coordenador da Pastoral Litúrgica do regional Nordeste 1 da CNBB, padre Francisco Ivan de Souza; o especialista em Música Litúrgica, padre Josenildo Nunes; e o responsável pela Liturgia na diocese de Crato, padre Aureliano Gondim. Os padres Marcelino Sivinski, Hernaldo Pinto Farias e Gustavo Haas, ex-assessores da Comissão Episcopal Pastoral para a Liturgia da CNBB, também compõem o grupo. O bispo de Livramento de Nossa Senhora (BA) e presidente da Comissão Episcopal para a Liturgia da CNBB, dom Armando Bucciol, conduzirá um momento de formação na segunda-feira, dia 19.
Com informações da diocese de Crato (CE)
Quarta, 14/01/2015 - cnbb / Paulo Alves
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...