Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/09/2018

Queridos filhos,

As Minhas palavras são simples, mas repletas de amor materno e de preocupação. Filhos MEUS, sobre vocês se alargam sempre mais as sombras das trevas e do engano, Eu os chamo em direção a luz e a verdade, Eu os chamo na direção de Meu Filho. Somente Ele pode converter o desespero e a dor em paz e serenidade, somente ELE pode dar esperança nas dores mais profundas. O MEU FILHO é a VIDA do mundo, e quanto mais O conhecerem, mais se aproximarão DELE e mais O amarão porque o MEU FILHO é AMOR e o AMOR muda tudo.

ELE torna maravilhoso também aquilo que sem amor pareça para vocês insignificante. Por isso novamente os digo que vocês devem amar muito se desejarem crescer espiritualmente. EU sei, apóstolos do MEU AMOR, que não sempre fácil, porém, filhos MEUS, também as estradas dolorosas são caminhos que levam ao crescimento espiritual, à fé e ao MEU FILHO.

Filhos MEUS, rezem, pensem em MEU FILHO durante todos os momentos do dia, elevem as suas almas até ELE e EU recolherei as suas orações como flores do jardim mais belo e as darei de presente ao MEU FILHO.

Sejam realmente apóstolos do MEU AMOR, deem a todos o AMOR de MEU FILHO, sejam jardins com as flores mais belas.

Com a oração ajudem os seu sacerdotes para que possam ser pais espirituais cheios de amor para todos os homens.

Obrigada.

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Campanha da Fraternidade 2015 e Mensagem do Papa motivam o serviço aos irmãos no tempo de Quaresma

O verdadeiro amor a Deus motiva os fiéis a servir os irmãos. Essa é a reflexão proposta para a Quaresma 2015 na Mensagem do Papa Francisco, apresentada na Sala de Imprensa da Santa Sé, na manhã desta terça-feira, dia 27 de janeiro, e na Campanha da Fraternidade proposta pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), cujo tema será: “Fraternidade: Igreja e Sociedade” e o lema “Eu vim para servir” (cf. Mc 10, 45).

Em sua mensagem “Fortalecei os vossos corações” (Tg 5,8) o Santo Padre recorda que é preciso combater de forma urgente a “globalização da indiferença”. Francisco reforçou que a Quaresma é um tempo propício para deixar-se servir por Cristo, como Pedro deixou Jesus lavar seus pés (Jo 13,8), para desse modo tornar-se como Ele.

O Papa destacou que a Igreja é, por sua natureza, missionária, não fechada em si mesma, mas enviada a todos os homens. “Como desejo que os lugares onde a Igreja se manifesta, particularmente as nossas paróquias e as nossas comunidades, se tornem ilhas de misericórdia no meio do mar da indiferença!”, pediu.

Francisco destacou a iniciativa “24 horas para o Senhor”, que acontecerá nos dias 13 e 14 de Março para dar expressão à necessidade da oração. “Espero que se celebre em toda a Igreja, mesmo a nível diocesano. Não subestimemos a força da oração de muitos”, motivou o Papa.

Na mesma sintonia, a Campanha da Fraternidade (CF) 2015 buscará recordar a vocação e missão de todo o cristão e das comunidades de fé, a partir do diálogo e colaboração entre Igreja e Sociedade, propostos pelo Concílio Ecumênico Vaticano II.

O texto base utilizado para auxiliar nas atividades da CF 2015, que já está disponível nas Edições CNBB, reflete a dimensão da vida em sociedade que se baseia na convivência coletiva, com leis e normas de condutas, organizada por critérios e, principalmente, com entidades que “cuidam do bem-estar daqueles que convivem”.

“Será uma oportunidade de retomarmos os ensinamentos do Concílio Vaticano II. Ensinamentos que nos levam a ser uma Igreja atuante, participativa, consoladora, misericordiosa, samaritana. Sabemos que todas as pessoas que formam a sociedade são filhos e filhas de Deus. Por isso, os cristãos trabalham para que as estruturas, as normas, a organização da sociedade estejam a serviço de todos”, disse o bispo auxiliar de Brasília (DF) e secretário geral da CNBB, Dom Leonardo Ulrich Steiner, na apresentação da CF 2015.

Entre as diversas abordagens, o texto base apresenta uma visão social a partir do serviço, diálogo e cooperação entre Igreja e sociedade, além de refletir sobre “Dignidade humana, bem comum e justiça social” e “O serviço da Igreja à sociedade”. Nesta parte, o texto aponta sugestões pastorais para a vivência da Campanha da Fraternidade nas dioceses, paróquias e comunidades, seguindo o princípio: “Todas as vezes que fizestes (o bem) a um destes meus irmãos mais pequeninos, foi a mim mesmo que o fizestes” (cf. Mt 25,34-40).

Para acessar o conteúdo completo da CF 2015 no site da CNBB, confira:


http://cnbb.org.br/campanhas-1/fraternidade/15526-comissao-disponibiliza-materiais-para-a-cf-2015


Terça, 27/01/2015 - ACI / Cláudia Brito de Albuquerque e Sá / Paulo Alves
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...