Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/11/2017

“Queridos filhos, olhando vocês em torno de Mim, em torno da sua Mãe, Eu estou vendo muitas almas puras, vejo muitos dos Meus filhos que estão procurando amor e consolação, mas ninguém está oferecendo isso a eles.

Também vejo aqueles que fazem o mal, porque não têm bons exemplos, não conheceram Meu Filho, aquele bem que é silencioso, que se difunde através das almas puras, que é a força que reforça o mundo.

Existem muitos pecados, mas também muito amor. o Meu Filho Me envia, como Mãe, a mesma igual para todos, para que Eu vos ensine o Amor, para que vocês compreendam que são irmãos.

Ele deseja vos ajudar. Apóstolos do Meu Amor, é suficiente o desejo vivo da fé e do Amor, o Meu Filho o aceitará.

Mas vocês têm que ser dignos, ter boa vontade e um coração aberto. O Meu Filho entra nos corações abertos. Eu, como Mãe, desejo que vocês conheçam o melhor possível o Meu Filho, Deus, nascido de Deus, para que vocês conheçam a grandeza do Seu Amor, o qual vocês tanto precisam.

Ele aceitou os seus pecados, conseguiu a Redenção para vocês, mas em troca procura que vocês amem-se uns aos outros. O Meu Filho é Amor. Ele ama todo ser humano, sem diferença, todas as pessoas de todos os povos e nações.

Se vocês, Meus Filhos, vivessem o Amor do Meu Filho, o Seu Reinado já estaria na Terra. Por isso, Apóstolos do Meu Amor, rezem, rezem para que o Meu Filho e Seu Amor estejam mais próximos de vocês, para que vocês sejam exemplos de Amor e possam ajudar àqueles que ainda não conhecem o Meu Filho.

Nunca esqueçam que o Meu Filho, Uno e Trino, Ama. Amem e rezem pelos seus sacerdotes. Obrigada.”

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Pão para meu irmão: iniciativa promove solidariedade no Rio de Janeiro

Uma iniciativa que já foi realizada com êxito no Peru, Chile e Equador vem dando frutos também no Brasil. Trata-se do projeto Pão para meu irmão, que leva café da manhã a moradores de rua na Zona Norte do Rio de Janeiro.  

No dia 24 de dezembro de 2013, véspera de Natal, o casal católico Rita de Cássia Lessa e o marido, Celino Pereira da Silva, por iniciativa própria, colocaram no porta-malas do carro deles tudo o que seria necessário para um bom café da manhã e saíram pelas ruas do bairro Lins de Vasconcelos praticando solidariedade. Hoje, quase um ano depois, a iniciativa “Pão para o meu irmão” é realizada de 15 em 15 dias e recebe o apoio dos paroquianos da Igreja Nossa Senhora da Guia, em Lins de Vasconcelos, e de comerciantes do bairro.

Para Rita, apesar de ser cansativa, sua tarefa é muito gratificante. Ela afirma que seu ato de solidariedade vai muito além de apenas fornecer uma refeição: “Não é só pelo café, é pela Palavra de Deus que a gente leva”, afirmou em entrevista ao site oficial da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro. A mensagem compartilhada em cada encontro é a de que aqueles que passam por necessidade precisam sair das ruas, deixar vícios, buscar a ajuda de Deus.

“Tenho sempre esperança de que essa atitude possa tocar o coração de cada um deles”.

A escolha por fornecer café da manhã surgiu, segundo Rita, porque a primeira refeição do dia é a que mais falta para aqueles que vivem nas ruas: “Eles acordam com fome. É mais fácil conseguirem almoço, por exemplo, do que o café da manhã”. Todos os meses a missão é realizada em dois sábados, e o trabalho começa às 6h. “Acordamos aqueles que estão nas redondezas, juntamos todos perto do carro, fazemos uma oração, partilhamos o café e depois trocamos algumas palavras com eles”.

Boa parte das doações recebidas pelo “Pão para o meu irmão” deve-se ao apoio do padre Jorge Lutz, pároco da Igreja Nossa Senhora da Guia. Segundo o sacerdote, membro da sociedade apostólica Sodalicio de Vida Cristã no Brasil, esta “está sendo uma experiência muito boa dentro desse Ano da Caridade. O trabalho assistencial é apenas o primeiro passo para a promoção humana. É uma experiência de solidariedade, de sair para a rua, como o Papa nos pediu. Sair do templo para atender aqueles que estão precisando de alguma ajuda. Ser generoso, caridoso, e viver a experiência da fé”.

“Esse trabalho é um grãozinho de areia diante de tantos problemas que enfrentamos, mas estou exercendo a minha parte e espero realmente que eu possa fazer a diferença na vida dessas pessoas”, comentou Rita. A iniciativa chegou ao Brasil através do Movimento de Vida Cristã, uma associação internacional de fiéis aprovada pela Santa Sé, fundada no Peru e que hoje, além do Brasil encontra-se presente em países dos cinco continentes.


Quarta, 26/11/2014 - ACI / Paulo Alves
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...