Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/11/2017

“Queridos filhos, olhando vocês em torno de Mim, em torno da sua Mãe, Eu estou vendo muitas almas puras, vejo muitos dos Meus filhos que estão procurando amor e consolação, mas ninguém está oferecendo isso a eles.

Também vejo aqueles que fazem o mal, porque não têm bons exemplos, não conheceram Meu Filho, aquele bem que é silencioso, que se difunde através das almas puras, que é a força que reforça o mundo.

Existem muitos pecados, mas também muito amor. o Meu Filho Me envia, como Mãe, a mesma igual para todos, para que Eu vos ensine o Amor, para que vocês compreendam que são irmãos.

Ele deseja vos ajudar. Apóstolos do Meu Amor, é suficiente o desejo vivo da fé e do Amor, o Meu Filho o aceitará.

Mas vocês têm que ser dignos, ter boa vontade e um coração aberto. O Meu Filho entra nos corações abertos. Eu, como Mãe, desejo que vocês conheçam o melhor possível o Meu Filho, Deus, nascido de Deus, para que vocês conheçam a grandeza do Seu Amor, o qual vocês tanto precisam.

Ele aceitou os seus pecados, conseguiu a Redenção para vocês, mas em troca procura que vocês amem-se uns aos outros. O Meu Filho é Amor. Ele ama todo ser humano, sem diferença, todas as pessoas de todos os povos e nações.

Se vocês, Meus Filhos, vivessem o Amor do Meu Filho, o Seu Reinado já estaria na Terra. Por isso, Apóstolos do Meu Amor, rezem, rezem para que o Meu Filho e Seu Amor estejam mais próximos de vocês, para que vocês sejam exemplos de Amor e possam ajudar àqueles que ainda não conhecem o Meu Filho.

Nunca esqueçam que o Meu Filho, Uno e Trino, Ama. Amem e rezem pelos seus sacerdotes. Obrigada.”

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

O Reino de Deus é uma festa, mas não um espetáculo

Na homilia da Missa desta quinta-feira na capela da Casa Santa Marta, o Papa Francisco quis explicar como é o Reino de Deus ao qual todo cristão está chamado.

O Santo Padre disse que o Reino de Deus “cresce a cada dia graças a quem o testemunha sem fazer ‘barulho’, rezando e vivendo com fé os seus compromissos na família, no trabalho e na comunidade”.

“No silêncio, talvez numa casa onde se chega ao final do mês somente com meio euro, mas mesmo assim não se deixa de rezar e de cuidar dos próprios filhos e dos avós”. Justamente “lá é onde se encontra o Reino de Deus, longe do clamor, porque o Reino de Deus ‘não chama atenção’, exatamente como acontece com a semente que cresce debaixo da terra”, destacou o Papa.

A homilia que o Pontífice pronunciou sobre o Reino de Deus estava baseada na pergunta que Jesus faz aos seus discípulos e a resposta deles a respeito deste tema no Evangelho de São Lucas: “Quando chegará o Reino de Deus?”.

Jesus, nesta ocasião, responde que “não virá num dia em que lhes dirão: ‘Ei-lo ali’ ou: ‘Ei-lo aqui’; pois eis que ele está no meio de vós”. Tendo como referência este versículo do Evangelho, o Santo Padre precisou que “o Reino de Deus não é espetáculo. O espetáculo muitas vezes é a caricatura do Reino”.

“O Senhor nunca diz que o Reino de Deus é um espetáculo. É uma festa, mas é diferente. É festa, é bela, é uma grande festa, e o Céu é uma festa, mas não um espetáculo. A nossa fraqueza humana, no entanto, prefere o espetáculo”, indicou.

Às vezes “o espetáculo é uma celebração -por exemplo, um casamento- no qual as pessoas, ao invés de receber um Sacramento vão para fazer uma exibição de moda, para se mostrar... por vaidade”. Pelo contrário, “o Reino de Deus é silencioso, cresce dentro. O Espírito Santo é quem o faz crescer com a nossa disponibilidade, na nossa terra, que nós devemos preparar”.

O dia que chegue o Reino “fará barulho”, porque “o fará como o relâmpago, iluminando, que brilha de um lado ao outro no céu. Assim fará o Filho do homem no seu dia, no dia em que fará barulho. E quando se pensa na perseverança de tantos cristãos – homens e mulheres – que levam adiante a família, que cuidam dos filhos, que cuidam dos avós, que chegam ao fim do mês com meio euro no bolso, mas rezam, ali está o Reino de Deus; escondido na santidade da vida cotidiana, na santidade de todos os dias, porque o Reino de Deus não está longe de nós, está perto! Esta é uma das suas características: proximidade, todos os dias”.

Não obstante, a chegada do Reino estará precedida de um tempo de sofrimento e dificuldade: “Antes é necessário que ele sofra muito e seja rejeitado por esta geração”. O que quer dizer, que “o sofrimento, a cruz, a cruz cotidiana da vida – a cruz do trabalho, da família, de fazer bem as coisas – esta pequena cruz cotidiana é parte do Reino de Deus”.

O Papa Francisco centrou a última parte da homilia na necessidade de pedir a graça necessária ao Senhor para “zelar pelo Reino de Deus que está dentro de nós com a oração, a adoração e o serviço da caridade, silenciosamente” e recordou que uma de suas virtudes fundamentais é que é “humilde, como a semente: humilde; mas cresce, eh? Pela força do Espírito Santo”.

Aos cristãos “cabe deixá-lo crescer em nós, sem nos vangloriar; deixar que o Espírito venha, nos transforme a alma e nos leve avante no silêncio, na paz, na serenidade, na proximidade a Deus, aos outros, na adoração a Deus, sem espetáculos”, explicou o Papa Francisco.



Quinta,13/11/2014 - ACI/EWTN Noticias / Paulo Alves
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...