Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/09/2017

Queridos filhos !

Quem melhor do que EU poderia falar para vocês do Amor e da existência do MEU FILHO ?

Vivi com ELE, EU sofri com ele, vivendo a vida terrena, EU provei da dor porque era MÃE.

MEU FILHO amou com pensamentos e obras o PAI CELESTIAL, o DEUS VERDADEIRO, e como ME dizia veio para redimi-los. EU escondi a minha dor com o amor. Vocês, filhos MEUS, tem numerosas perguntas, não compreendem a dor, não compreendem que através do Amor de Deus devem aceitar a dor e suportá-la. Todas as pessoas provam-na em maior ou menor medida, mas com a paz na alma e em estado de graça a esperança existe.

Este é o MEU FILHO, DEUS, nascido de DEUS. As SUAS PALAVRAS são sementes de Vida Eterna e semeadas nas boas almas produzem muitos frutos.

MEU FILHO suportou a dor porque tomou para si os pecados de vocês.

Por isso vocês, filhos MEUS, Apóstolos do MEU Amor, vocês que sofrem, saibam que as suas dores se tornarão luz e glória.

Filhos MEUS, enquanto vocês suportam a dor o CÉU entra em vocês, e em todos em torno de vocês é dado um pouco de Céu e muita esperança !

Obrigada !

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Idosa mãe de três sacerdotes, um deles no Iraque, torna-se religiosa católica

O Pe. Luis Montes, missionário argentino do Instituto do Verbo Encarnado (IVE) no Iraque, compartilhou recentemente que a sua mãe, que ficou viúva há oito anos, converteu-se aos 82 anos de idade em religiosa que atende crianças no Lar Nossa Senhora da Divina Providência, de Rama Caída.

Em diálogo com o programa Sem Medo, do site Mediamza.com, o Pe. Luis Montes recordou que “somos sete irmãos, um já faleceu, três somos sacerdotes. Meu pai faleceu há oito anos e faz pouco tempo minha mãe, sendo viúva, entrou no convento das irmãs, assim, agora é religiosa”.

Outro de seus irmãos, assinalou, é leigo consagrado.

O sacerdote recordou como foi que chegou a ser pároco em Bagdá, no Iraque, um país que sofre com a violência, onde os cristãos, entre outras minorias religiosas, sofrem a perseguição do grupo extremista Estado Islâmico.

“Eu estava no Oriente Médio desde 96, já são quase 20 anos. A última missão que tive no Oriente Médio, depois da Terra Santa e Jordânia, foi o Egito. Estive lá por sete anos, fui o superior provincial da região para o meu Instituto”.

O Pe. Montes recordou que “terminado o meu mandato, perguntaram-me concretamente se queria ir para o Iraque. Eles sabiam o carinho que eu tinha pelo Iraque, o amor que sempre tive a essa fundação, que pude concretizar como provincial. Então me perguntaram e eu adorei”.

“Se eu tivesse que escolher entre todos os lugares do mundo, escolheria o Iraque”, assegurou.

O sacerdote argentino recordou que chegou ao Iraque “em 2010, isso foi em dezembro”, pouco tempo depois “do grande atentado que houve contra a Igreja Nossa Senhora da Salvação, no qual morreram cerca de 50 cristãos que estavam participando da Missa”.

Esse evento, assinalou, “marcou muito a comunidade de Bagdá, porque desde esse dia aumentou o êxodo de cristãos fugindo do país”.

O Pe. Montes assinalou que “missionar no Iraque é uma coisa maravilhosa, porque no coração do homem sempre se dá uma luta entre o bem e o mal. Deus quer levar-nos para si, quer dar-nos a vida eterna, e o diabo, inimigo de Deus, quer afastar-nos de Deus”.

“É realmente uma batalha, é algo que ocorre sempre nos nossos corações, portanto nós temos que estar pensando o tempo todo em fazer melhor as coisas”.

“E em um país como o Iraque, onde está o terrorismo, um terrorismo tão satânico, isso fica mais patente. Aí se vê ao que chega o homem que se separa de Deus”.

Por outra parte, assinalou, está “a força que Deus dá aos seus filhos, e temos assim casos de heroísmo, gente que dá a sua vida por Cristo, que dá a sua vida pelos seus irmãos. E isso faz que seja realmente ao mesmo tempo um espetáculo muito triste e algo muito edificante. Nós estamos aprendendo com os cristãos no Oriente Médio, com os cristãos iraquianos”.

O sacerdote assegurou que “Deus triunfa em seus santos, e faz que seus filhos deem um testemunho que é irrefutável”.

“No futuro, o Estado Islâmico vai desaparecer, assim como Nero desapareceu, assim como desapareceram os imperadores que perseguiram a Igreja. Eles morrem e a coisa acaba. Os santos viverão para sempre”.

“Assim como nós falamos agora dos santos perseguidos nos primeiros séculos, assim vai se falar dos santos iraquianos no futuro”, assegurou.


Para ajudar os cristãos do Iraque ingresse em: http://amigosdeiraque.verboencarnado.net/como-nos-ajudar/


Sexta, 24/10/2014 - ACI / Paulo Alves
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...