Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/09/2017

Queridos filhos !

Quem melhor do que EU poderia falar para vocês do Amor e da existência do MEU FILHO ?

Vivi com ELE, EU sofri com ele, vivendo a vida terrena, EU provei da dor porque era MÃE.

MEU FILHO amou com pensamentos e obras o PAI CELESTIAL, o DEUS VERDADEIRO, e como ME dizia veio para redimi-los. EU escondi a minha dor com o amor. Vocês, filhos MEUS, tem numerosas perguntas, não compreendem a dor, não compreendem que através do Amor de Deus devem aceitar a dor e suportá-la. Todas as pessoas provam-na em maior ou menor medida, mas com a paz na alma e em estado de graça a esperança existe.

Este é o MEU FILHO, DEUS, nascido de DEUS. As SUAS PALAVRAS são sementes de Vida Eterna e semeadas nas boas almas produzem muitos frutos.

MEU FILHO suportou a dor porque tomou para si os pecados de vocês.

Por isso vocês, filhos MEUS, Apóstolos do MEU Amor, vocês que sofrem, saibam que as suas dores se tornarão luz e glória.

Filhos MEUS, enquanto vocês suportam a dor o CÉU entra em vocês, e em todos em torno de vocês é dado um pouco de Céu e muita esperança !

Obrigada !

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Cardeais brasileiros comentam o andamento dos trabalhos do Sínodo

Para cardeais brasileiros, a 3ª Assembleia Extraordinária do Sínodo dos Bispos prossegue em um clima fraterno e de diálogo. No quarto dia do evento, 8, os padres sinodais refletiram sobre temas como casais de segunda união e a união de pessoas do mesmo sexo.

Em seu discurso, dom Damasceno, que é também presidente delegado do Sínodo, pediu para que a Igreja ampare  as “situações familiares difíceis”. “A Igreja tem de ter um olhar de compreensão para todos os dramas que vivem, hoje, muitos casais e  famílias. É preciso atitudes de misericórdia,  aproximação e compreensão para com essas pessoas”, afirmou. Sobre os casais de segunda união, o cardeal  disse ser importante avaliar cada caso e encontrar um caminho que possa levar a paz, também, a esses casais.

Diálogo e clareza

Sobre os andamentos do trabalho da Assembleia do Sínodo, o prefeito da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e Sociedades de Vida Apostólica, cardeal João Braz de Avis, recorda que o papa Francisco tem incentivado o diálogo aberto nas sessões. “Ficamos admirados com a liberdade com que o papa Francisco nos colocou. Percebemos nos trabalhos dos Sínodo um equilíbrio nas várias posições que cada um tem. O que o papa deseja é que se fale com transparência, que escute com humildade e que se fale com clareza”, acrescentou.

O Instrumento de Trabalho, que trata dos “Desafios pastorais da família no contexto da evangelização”, tem norteado as reflexões. Na avaliação do arcebispo de São Paulo (SP), cardeal Odilo Pedro Scherer, o método de trabalho nesta Assembleia Sinodal está evitando a repetição dos mesmos temas. “O Santo Padre convocou o Sínodo para ouvir. Ele, o tempo todo, ouve e pediu aos padres sinodais para que sejam livres em suas intervenções e falem abertamente. O clima do Sínodo está muito fraterno”.

A reunião conta com a presença de 191 padres sinodais e 62 participantes entre especialistas, auditores e delegados fraternos. Na opinião do arcebispo do Rio de Janeiro (RJ), cardeal Orani João Tempesta, o Sínodo tem proporcionado uma discussão valiosa sobre a importância da família, levando em consideração as mudanças culturais.

“Cardeais, bispos, padres, leigos e casais juntos com o papa Francisco estão buscando encontrar o melhor para incentivar as famílias a contrair o matrimônio. Ao mesmo tempo, também, pensam em possibilidades para ir ao encontro daqueles que estão na Igreja e querem participar mais”, disse dom Orani.


O Sínodo tem duas sessões diárias, em que são tratados os temas indicados pelo Instrumento de Trabalho. A reunião prosseguirá até o dia 19 de outubro.


Quinta, 09/10/2014 - CNBB / Paulo Alves
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...