Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/09/2017

Queridos filhos !

Quem melhor do que EU poderia falar para vocês do Amor e da existência do MEU FILHO ?

Vivi com ELE, EU sofri com ele, vivendo a vida terrena, EU provei da dor porque era MÃE.

MEU FILHO amou com pensamentos e obras o PAI CELESTIAL, o DEUS VERDADEIRO, e como ME dizia veio para redimi-los. EU escondi a minha dor com o amor. Vocês, filhos MEUS, tem numerosas perguntas, não compreendem a dor, não compreendem que através do Amor de Deus devem aceitar a dor e suportá-la. Todas as pessoas provam-na em maior ou menor medida, mas com a paz na alma e em estado de graça a esperança existe.

Este é o MEU FILHO, DEUS, nascido de DEUS. As SUAS PALAVRAS são sementes de Vida Eterna e semeadas nas boas almas produzem muitos frutos.

MEU FILHO suportou a dor porque tomou para si os pecados de vocês.

Por isso vocês, filhos MEUS, Apóstolos do MEU Amor, vocês que sofrem, saibam que as suas dores se tornarão luz e glória.

Filhos MEUS, enquanto vocês suportam a dor o CÉU entra em vocês, e em todos em torno de vocês é dado um pouco de Céu e muita esperança !

Obrigada !

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Natividade da Virgem Maria: Deus caminha com justos e pecadores, afirma o Papa Francisco

Durante a Missa matutina na Casa Santa Marta, o Papa Francisco assegurou aos fiéis que Deus “caminha com justos e pecadores”, cumprindo a promessa que fez ao homem quando saiu do paraíso, ir ao encontro definitivo de seus filhos.

Em sua homilia, o Santo Padre meditou sobre a Criação e o caminho que Deus faz com os homens na história. Quando lemos o livro do Gênesis – observou – “corremos o risco de pensar que Deus tenha sido um mago” que fazia as coisas “com a varinha mágica”. Mas advertiu que “não foi assim”, porque Deus fez as coisas e as permitiu caminhar com as leis internas, interiores, que Ele deu a cada uma, para que se desenvolvessem, para que chegassem à plenitude. E acrescentou que o Senhor “deu autonomia às coisas do universo, mas não independência”.

“Porque Deus não é mago, é Criador! E quando no sexto dia, daquele relato, chega a criação do homem dá outra autonomia, um tanto diferente, mas não independente: uma autonomia que é a liberdade. E diz ao homem que vá adiante na história, torna-o responsável pela criação, também para que domine a criação, para que a leve adiante e para chegar assim à plenitude dos tempos”.

“E qual era a plenitude dos tempos? O que Ele tinha no coração: a chegada de seu Filho. Porque Deus – ouvimos São Paulo – nos predestinou, a todos, a ser conformes à imagem do Filho”, afirmou o Papa.

Francisco disse que este “é o caminho da humanidade, é o caminho do homem. Deus queria que nós fôssemos como seu Filho e que seu Filho fosse como nós”.

Nesse sentido, O Pontífice recordou que na genealogia do Jesus “estão os Santos e também os pecadores, mas a história segue adiante porque Deus quis que os homens fossem livres”.

É verdade que quando o homem “usou mal sua liberdade, Deus o expulsou do Paraíso”, mas também é verdade que “fez uma promessa e o homem saiu do Paraíso com esperança. Pecador, mas com esperanças!”.

O Papa reafirmou que “os homens não percorrem seu caminho sozinhos, mas Deus caminha conosco. Porque Deus fez uma opção: optou pelo tempo, não no momento. É o Deus do tempo, é o Deus da história, é o Deus que caminha com seus filhos”. E isto até a “plenitude dos tempos” quando seu Filho se faz homem.

Assim, assegurou que Deus “caminha com justos e pecadores”. Caminha “com todos, para chegar ao encontro, ao encontro definitivo do homem com Ele”. Francisco recordou ainda que a plenitude dos tempos se dá “em uma casa pequena, em uma localidade pequena” com José e Maria. “O Deus da grande historia e também da pequena história, está ali, porque quer caminhar com cada um”, afirmou.

Francisco citou deste modo Santo Tomás de Aquino, quando afirma: “Não se assombrem das coisas grandes, mas tenham também em conta as pequenas, porque isto é divino”. “E assim é Deus – disse o Papa – está nas coisas grandes”, mas também nas pequenas:

“O Senhor que caminha com Deus é também o Senhor da paciência. A paciência de Deus. A paciência que teve com todas estas gerações. Com todas estas pessoas que viveram sua história de graça e de pecado. Deus é paciente. Deus caminha conosco, porque Ele quer que todos nós cheguemos a ser conforme à imagem de seu Filho. E desde o momento em que nos deu a liberdade na criação – não a independência – até hoje segue caminhando”, assinalou.

Deste modo, assinalou o Papa, “chegamos a Maria”. Hoje “estamos no hall desta história: o nascimento da Virgem”. E “pedimos na oração que o Senhor nos dê unidade para caminhar juntos e paz no coração. É a graça de hoje”:


“Hoje podemos ver a Virgem, pequenina, Santa, sem pecado, pura, escolhida para converter-se na Mãe de Deus’”, concluiu.


Segunda, 08/09/2014 - ACI/EWTN Noticias / Paulo Alves
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...