Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/09/2017

Queridos filhos !

Quem melhor do que EU poderia falar para vocês do Amor e da existência do MEU FILHO ?

Vivi com ELE, EU sofri com ele, vivendo a vida terrena, EU provei da dor porque era MÃE.

MEU FILHO amou com pensamentos e obras o PAI CELESTIAL, o DEUS VERDADEIRO, e como ME dizia veio para redimi-los. EU escondi a minha dor com o amor. Vocês, filhos MEUS, tem numerosas perguntas, não compreendem a dor, não compreendem que através do Amor de Deus devem aceitar a dor e suportá-la. Todas as pessoas provam-na em maior ou menor medida, mas com a paz na alma e em estado de graça a esperança existe.

Este é o MEU FILHO, DEUS, nascido de DEUS. As SUAS PALAVRAS são sementes de Vida Eterna e semeadas nas boas almas produzem muitos frutos.

MEU FILHO suportou a dor porque tomou para si os pecados de vocês.

Por isso vocês, filhos MEUS, Apóstolos do MEU Amor, vocês que sofrem, saibam que as suas dores se tornarão luz e glória.

Filhos MEUS, enquanto vocês suportam a dor o CÉU entra em vocês, e em todos em torno de vocês é dado um pouco de Céu e muita esperança !

Obrigada !

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Entre o céu e o inferno

Um homem, conhecido pela sua índole violenta foi procurar um Padre em busca de respostas para suas dúvidas.
   
    - Padre, disse o homem com desejo sincero de aprender,
    - ensina-me sobre o céu e o inferno!

O Padre, de pequena estatura e franzino, olhou para o homem e simulando desprezo disse:
    - Eu não poderia ensinar-lhe coisa alguma. Você está imundo. Seu mau cheiro é insuportável!

    - Ademais, você esta armado.
    - Você é uma vergonha para a sua classe!

O homem  ficou enfurecido.

O sangue lhe subiu ao rosto e ele não conseguiu dizer nenhuma palavra, tamanha era sua raiva.

    - Pegou sua arma, apontou para a cabeça do Padre e se preparou para mata-lo.
    - Aí começa o inferno! - disse o Padre mansamente.

O homem ficou imóvel. A sabedoria daquele pequeno padre o impressionara. Afinal, arriscou a própria vida para lhe ensinar sobre o inferno. O bravo homem abaixou lentamente sua arma e agradeceu ao padre pelo valioso ensinamento.   O Padre continuou em silêncio. Passado algum tempo o homem, já mais calmo, pediu humildemente ao padre que lhe perdoasse o gesto infeliz. Percebendo que o pedido era honesto, o Padre lhe falou:

   - Aí começa o céu!.   

A cada instante somos convidados a tomar decisões que definirão o início do céu ou o começo do inferno.   É como se todos fôssemos portadores de uma caixa invisível, onde houvesse também ferramentas e materiais de primeiros-socorros. Diante de uma situação inesperada, podemos abri-la e lançar mão de qualquer objeto do seu interior. Assim, quando alguém nos ofende ou atinge, podemos erguer o martelo da ira ou usar o bálsamo da tolerância.

Visitados pela calúnia, podemos usar o machado do revide ou a gaze da autoconfiança. Quando injúria bater em nossa porta, podemos usar o facão da vingança ou o óleo da compreensão e do perdão. Diante da enfermidade inesperada, podemos lançar mão do ácido dissolvente da revolta ou empunhar o escudo da fé. Ante a morte de um ente querido, podemos optar pelo punhal do desespero ou pela chave da aceitação.

Enfim, surpreendidos pelas mais diversas situações, poderemos sempre optar por abrir abismos de incompreensão ou estender a ponte do diálogo que nos possibilita uma solução feliz.

    A decisão depende sempre de nós.


Sua vida é um santuário do qual só você possui a chave.   Preservá-la das investidas das sombras ou abri-la para que o sol possa iluminá-la só depende de você. 


Domingo, 07/09/2014 - Paulo Alves
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...