Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/09/2017

Queridos filhos !

Quem melhor do que EU poderia falar para vocês do Amor e da existência do MEU FILHO ?

Vivi com ELE, EU sofri com ele, vivendo a vida terrena, EU provei da dor porque era MÃE.

MEU FILHO amou com pensamentos e obras o PAI CELESTIAL, o DEUS VERDADEIRO, e como ME dizia veio para redimi-los. EU escondi a minha dor com o amor. Vocês, filhos MEUS, tem numerosas perguntas, não compreendem a dor, não compreendem que através do Amor de Deus devem aceitar a dor e suportá-la. Todas as pessoas provam-na em maior ou menor medida, mas com a paz na alma e em estado de graça a esperança existe.

Este é o MEU FILHO, DEUS, nascido de DEUS. As SUAS PALAVRAS são sementes de Vida Eterna e semeadas nas boas almas produzem muitos frutos.

MEU FILHO suportou a dor porque tomou para si os pecados de vocês.

Por isso vocês, filhos MEUS, Apóstolos do MEU Amor, vocês que sofrem, saibam que as suas dores se tornarão luz e glória.

Filhos MEUS, enquanto vocês suportam a dor o CÉU entra em vocês, e em todos em torno de vocês é dado um pouco de Céu e muita esperança !

Obrigada !

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Jesus chama aqueles que têm o coração vazio e sem Deus, diz o Papa

Nas palavras pronunciadas antes da oração do Ângelus, o Papa Francisco assegurou hoje que Jesus convida todos a ir para Ele, especialmente aqueles que sofrem mais e aqueles que têm o “coração vazio e sem Deus”.

O Santo Padre também assinalou que uma vez que recebemos o alívio e consolo de Cristo, “somos chamados, por nossa vez, a tornarmo-nos restauração e conforto para os irmãos, com atitude mansa e humilde, imitando o Mestre”.

A seguir a tradução na íntegra das palavras do Papa Francisco pronunciadas antes da oração do Ângelus, por cortesia da Rádio Vaticano:

Queridos irmãos e irmãs, bom dia:

No Evangelho deste domingo encontramos o convite de Jesus que diz: “Vinde a mim todos os que estais cansados sob o peso do vosso fardo e eu vos darei descanso” (Mt 11,28). Quando Jesus diz isto, tem diante dos olhos as pessoas que encontra todos os dias pelos caminhos da Galileia: pessoas simples, pobres, doentes, pecadores, marginalizados... Estas pessoas sempre foram atrás d'Ele para ouvir a sua palavra – uma palavra que dava esperança!

As palavras de Jesus sempre dão esperança! – e também para tocar mesmo que somente a orla de sua veste. Jesus mesmo buscava essas multidões enfraquecidas como ovelhas sem pastor (cfr Mt 9,35-36): assim diz Ele, e as buscava para anunciar-lhes o Reino de Deus e para curar muitos no corpo e no espírito. Chama todos a si: “Vinde a mim”, e lhes promete alívio e restabelecimento.

Este convite de Jesus se estende até os nossos dias, para alcançar tantos irmãos e irmãs oprimidos por condições de vida precárias, por situações existenciais difíceis e, por vezes, desprovidas de válidos pontos de referência.

Nos países mais pobres, mas também nas periferias dos países mais ricos, encontram-se muitas pessoas cansadas e enfraquecidas sob o peso insuportável do abandono e da indiferença. A indiferença: quanto mal a indiferença humana faz aos necessitados! E pior, a dos cristãos.

Encontram-se às margens da sociedade tantos homens e mulheres provados pela indigência, mas também pela insatisfação da vida e pela frustração. Muitos são obrigados a emigrar de sua pátria, colocando em risco a própria vida.

Muitos mais carregam todos os dias o peso de um sistema econômico que explora o homem, impõe-lhe um “jugo” insuportável, que os poucos privilegiados não querem carregar. Jesus repete a cada um destes filhos do Pai que está nos céus: “Vinde a mim, vós todos”. Mas também o diz àqueles que têm tudo, mas seu coração é vazio. Está vazio. Coração vazio e sem Deus. Também a eles, Jesus dirige este convite: “Vinde a mim”. O convite de Jesus é para todos. Mas de modo especial para aqueles que sofrem mais.

Jesus promete reconfortar a todos, mas também nos faz um convite, que é como um mandamento: “Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração” (Mt 11,29).

No que consiste o “jugo” do Senhor? Consiste em carregar o peso dos outros com amor fraterno. Uma vez recebido o restabelecimento e o conforto de Cristo, somos chamados, por nossa vez, a tornarmo-nos restauração e conforto para os irmãos, com atitude mansa e humilde, imitando o Mestre.

A mansidão e a humildade do coração ajudam-nos não somente a assumirmos o peso dos outros, mas também a não sermos peso sobre eles com nossos pontos de vista pessoais, nossos julgamentos ou nossas críticas ou nossa indiferença.

Invoquemos à Santíssima Virgem Maria, que acolhe todos os aflitos e desamparados, para que, através de uma fé iluminada, testemunhada com a vida, os cristãos possam ser alívio aos que precisam de ajuda, carinho e esperança.



Segunda, 07/07/2014 - ACI / Paulo Alves
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...