Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/09/2017

Queridos filhos !

Quem melhor do que EU poderia falar para vocês do Amor e da existência do MEU FILHO ?

Vivi com ELE, EU sofri com ele, vivendo a vida terrena, EU provei da dor porque era MÃE.

MEU FILHO amou com pensamentos e obras o PAI CELESTIAL, o DEUS VERDADEIRO, e como ME dizia veio para redimi-los. EU escondi a minha dor com o amor. Vocês, filhos MEUS, tem numerosas perguntas, não compreendem a dor, não compreendem que através do Amor de Deus devem aceitar a dor e suportá-la. Todas as pessoas provam-na em maior ou menor medida, mas com a paz na alma e em estado de graça a esperança existe.

Este é o MEU FILHO, DEUS, nascido de DEUS. As SUAS PALAVRAS são sementes de Vida Eterna e semeadas nas boas almas produzem muitos frutos.

MEU FILHO suportou a dor porque tomou para si os pecados de vocês.

Por isso vocês, filhos MEUS, Apóstolos do MEU Amor, vocês que sofrem, saibam que as suas dores se tornarão luz e glória.

Filhos MEUS, enquanto vocês suportam a dor o CÉU entra em vocês, e em todos em torno de vocês é dado um pouco de Céu e muita esperança !

Obrigada !

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Papa Francisco participa da última Audiência Geral antes das férias

“Não podemos amar a Deus sem amar os irmãos”, disse o papa Francisco durante Audiência Geral realizada na quarta-feira, 25, na Praça de São Pedro, no Vaticano. Mais de 40 mil peregrinos acompanharam a última Audiência Geral deste mês de junho. O encontro semanal do papa com os fiéis será retomado em agosto, após tradicional repouso de verão dos papas.

Em diálogo com os fiéis, Francisco prosseguiu o ciclo de catequeses sobre a Igreja, onde tratou da pertença do cristão ao corpo eclesial. Ele recordou que ser cristão não é estar isolado, viver sua identidade por conta própria. “Se o nome é ‘sou cristão’, o sobrenome é ‘pertenço à Igreja’. A nossa identidade é pertença”, disse.

Explicou, também, a importância da comunhão dos fiéis com seus párocos, àqueles que ensinam a base da fé, a iniciação à vida cristã. O papa contou que se lembra sempre de uma freira que lhe ensinou o catecismo.
“Ninguém se torna cristão sozinho. Não é criado em laboratório. É parte de um povo que vem de longe. Se cremos, é porque outros, antes de nós, viveram a fé e a transmitiram”.

Comunhão com a Igreja

Francisco destacou que não é possível viver isoladamente, fora da comunhão com a Igreja e com os irmãos. “Na Igreja, não existe o ‘agir por si’, não existem jogadores na função de ‘líbero’. Quantas vezes o Papa Bento descreveu a Igreja como um ‘nós’ eclesial! Às vezes, alguém diz que acredita em Deus, em Jesus, mas não na Igreja; que considera possível ter uma relação pessoal, direta, imediata com Cristo fora da comunhão e da mediação da Igreja”.

“Mas o Senhor confiou a sua mensagem de salvação a pessoas humanas; e é nos nossos irmãos e irmãs, com seus dons e limites, que Ele nos vem ao encontro e se faz reconhecer. E isso significa pertença à Igreja”.

O papa concluiu pedindo a Nossa Senhora a graça de “jamais cair na tentação de pensar que podemos prescindir dos outros e da Igreja, salvando-nos sozinhos”.

“Pelo contrário, não podemos amar a Deus sem amar os irmãos, fora da Igreja; não se pode estar em comunhão com Ele sem estar em comunhão com a Igreja, e só podemos ser bons cristãos com todos aqueles que tentam seguir o Senhor Jesus, como um só povo, um único corpo”.

Após a catequese, o papa saudou os grupos de peregrinos de vários países, e dirigiu agradecimento especial ao grupo brasileiro de Nossa Senhora da Consolata, em São Manoel, que participaram da Audiência Geral.


Quinta, 26 Junho 2014 - CNBB / Paulo Alves
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...