Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/08/2018

“Queridos filhos,

Com amor materno os convido a abrirem os seus corações à paz, a abrirem os seus corações ao MEU FILHO, a cantar em seus corações o amor ao MEU FILHO, porque somente através deste amor chega a paz da alma.

Filhos MEUS, EU sei que vocês tem a bondade, sei que vocês tem o amor, o amor misericordioso. Mas, muitos dos MEUS filhos ainda tem os corações fechados, pensam que podem agir sem colocar os seus pensamentos ao PAI CELESTIAL que ilumina, diante do MEU FILHO que está sempre e novamente com vocês na EUCARISTIA e que deseja ouvi-los.

Filhos Meus, porque não falam para eles ? A vida de cada um de vocês é importante e preciosa porque é um dom do PAI CELESTIAL para a ETERNIDADE, por isso nunca se esqueçam de agradecê-LO e falar com ELE.

Eu sei, filhos MEUS, que para vocês é desconhecido aquilo que virá depois, porém quando chegar o “depois” de vocês, terão todas as respostas. O MEU amor materno deseja que vocês estejam prontos.

Filhos MEUS, com a vida de vocês coloquem sentimentos bons nos corações das pessoas que vocês encontrarem, sentimentos de paz, de bondade, de amor e de perdão. Através da oração escutem o que lhes diz o MEU FILHO e assim o façam.

Novamente os convido a rezarem pelos seus sacerdotes, por aqueles a quem o MEU FILHO chamou; lembrem-se que eles tem necessidade de orações e de amor.

Obrigada.”

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Toda a autoridade me foi dada no céu e sobre a terra

Evangelho do dia 01/06/2014 - Mt 28,16-20

Naquele tempo, os onze discípulos foram para a Galiléia, ao monte que Jesus lhes tinha indicado. Quando viram Jesus, prostraram-se diante dele. Ainda assim alguns duvidaram.

Então Jesus aproximou-se e falou: “Toda a autoridade me foi dada no céu e sobre a terra. Portanto, ide e fazei discípulos meus todos os povos, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, e ensinando-os a observar tudo o que vos ordenei! Eis que estarei convosco todos os dias, até o fim do mundo”. 

- Palavra da Salvação.
- Gloria a vós Senhor.


Comentário do Evangelho

É o tipo de coisa que incomoda: alguém apelar para sua autoridade. Em geral, desperta nas pessoas uma reação de rebeldia. No caso deste Evangelho, é importante considerar dois pontos.

Primeiro, nós somos mesmo rebeldes. Rebeldes por natureza, desde a queda original. Está no DNA dos descendentes de Adão, aquele tipo que sonhava “ser como Deus” (cf. Gn 3,5) e ousou quebrar a única proibição que o Criador lhe deixara. Por isso mesmo, a noção de autoridade nos dá alergia e pipocas na pele. Dificilmente entenderemos aquela jovem de Nazaré que preferiu ser a “escrava do Senhor”...

Segundo, “autoridade” deriva de Autor. E todos sabem que não somos “autores” de nós mesmos: somos apenas criaturas. Nosso Autor e Criador é Deus. Foi Ele quem nos chamou do nada para a existência. Por isso mesmo, Ele tem direitos sobre nós.

Assim, quando Jesus – ressuscitado e vencedor da morte! – afirma que sua própria autoridade é um “dom” do Pai, também ele se coloca na posição filial: a posição de quem tudo recebe do Pai, sem condições. E só depois de manifestar que recebeu do Pai este “poder universal” é que Jesus também pode nos dar uma ordem igualmente universal: “Ensinai a TODAS as nações... Ensinai-as a observar TUDO o que vos prescrevi...” (Mt 28, 19-20.)

Como observa Urs von Balthasar, “a missão tem por objetivo ensinar a TODOS os homens a seguirem TUDO o que Jesus disse e fez”. Logo, qualquer tipo de escolha ou preferência na doutrina e na vida fica prontamente proibida. Não temos de escolher nada, temos de obedecer. O Evangelho não é um “self service” onde podemos sorrir para certos pratos e fazer caretas para outros.

No Domingo da Ascensão, a “subida” de Jesus que volta ao Pai confirma sua “autoridade” sobre os céus e a terra. Nós – ainda atolados no barro deste mundo, devemos ter o bom senso de reconhecer nossa estatura de criaturas, sem a pretensão de corrigir o Criador.


A mesma pretensão descabida se manifesta quando pretendemos corrigir a Igreja de Jesus Cristo, que recebeu dele a autoridade de Mãe e Mestra. Pretensos “iluminados” entendem que seus carismas estão acima da hierarquia. Mais uma vez, o orgulho leva ao desastre...


Antônio Carlos Santini / Com. Católica Nova Aliança


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...