Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/02/2018

Queridos filhos !

Vocês a quem o MEU FILHO ama, vocês a quem EU amo imensamente com o MEU AMOR MATERNO, não permitam que o egoísmo e o amar muito a si mesmo reinem no mundo. Não permitam que o amor e a bondade fiquem escondidos. Vocês que são amados, vocês que conheceram o AMOR do MEU FILHO, lembrem-se que ser amado significa amar. Filhos MEUS, tenham fé: quando vocês tem fé, vocês são felizes e difundem a paz. As suas almas exultam de alegria. Nestas almas está o MEU FILHO: quando se doam pela fé, quando se doam pelo amor, quando fazem o bem ao próximo, o MEU FILHO sorri em suas almas. Apóstolos do MEU AMOR, ME dirijo a vocês como MÃE, os reúno em torno de MIM porque desejo conduzí-los no caminho do AMOR e da FÉ, no caminho que leva até a LUZ DO MUNDO. EU estou aqui pelo AMOR e pela FÈ; porque desejo abençoá-los, porque EU desejo, com a MINHA BENÇÂO MATERNA, dar a vocês força e esperança no seu caminho. Porque a estrada que conduz ao MEU FILHO não é fácil, é cheia de renúncias, de dar-se, do sacrifício, do perdão e muito, muito amor mas este caminho conduz à paz e à alegria. Filhos MEUS, não acreditem nas vozes falsas que falam de coisas falsas e de luzes falsas: vocês, filhos MEUS, voltem para a SAGRADA ESCRITURA. Com imenso amor EU os vejo e, PELA GRAÇA DE DEUS, EU ME MANIFESTO A VOCÊS. Filhos Meus, caminham COMIGO. Que as almas de vocês exultem de alegria.

Obrigada.

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Toda a autoridade me foi dada no céu e sobre a terra

Evangelho do dia 01/06/2014 - Mt 28,16-20

Naquele tempo, os onze discípulos foram para a Galiléia, ao monte que Jesus lhes tinha indicado. Quando viram Jesus, prostraram-se diante dele. Ainda assim alguns duvidaram.

Então Jesus aproximou-se e falou: “Toda a autoridade me foi dada no céu e sobre a terra. Portanto, ide e fazei discípulos meus todos os povos, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, e ensinando-os a observar tudo o que vos ordenei! Eis que estarei convosco todos os dias, até o fim do mundo”. 

- Palavra da Salvação.
- Gloria a vós Senhor.


Comentário do Evangelho

É o tipo de coisa que incomoda: alguém apelar para sua autoridade. Em geral, desperta nas pessoas uma reação de rebeldia. No caso deste Evangelho, é importante considerar dois pontos.

Primeiro, nós somos mesmo rebeldes. Rebeldes por natureza, desde a queda original. Está no DNA dos descendentes de Adão, aquele tipo que sonhava “ser como Deus” (cf. Gn 3,5) e ousou quebrar a única proibição que o Criador lhe deixara. Por isso mesmo, a noção de autoridade nos dá alergia e pipocas na pele. Dificilmente entenderemos aquela jovem de Nazaré que preferiu ser a “escrava do Senhor”...

Segundo, “autoridade” deriva de Autor. E todos sabem que não somos “autores” de nós mesmos: somos apenas criaturas. Nosso Autor e Criador é Deus. Foi Ele quem nos chamou do nada para a existência. Por isso mesmo, Ele tem direitos sobre nós.

Assim, quando Jesus – ressuscitado e vencedor da morte! – afirma que sua própria autoridade é um “dom” do Pai, também ele se coloca na posição filial: a posição de quem tudo recebe do Pai, sem condições. E só depois de manifestar que recebeu do Pai este “poder universal” é que Jesus também pode nos dar uma ordem igualmente universal: “Ensinai a TODAS as nações... Ensinai-as a observar TUDO o que vos prescrevi...” (Mt 28, 19-20.)

Como observa Urs von Balthasar, “a missão tem por objetivo ensinar a TODOS os homens a seguirem TUDO o que Jesus disse e fez”. Logo, qualquer tipo de escolha ou preferência na doutrina e na vida fica prontamente proibida. Não temos de escolher nada, temos de obedecer. O Evangelho não é um “self service” onde podemos sorrir para certos pratos e fazer caretas para outros.

No Domingo da Ascensão, a “subida” de Jesus que volta ao Pai confirma sua “autoridade” sobre os céus e a terra. Nós – ainda atolados no barro deste mundo, devemos ter o bom senso de reconhecer nossa estatura de criaturas, sem a pretensão de corrigir o Criador.


A mesma pretensão descabida se manifesta quando pretendemos corrigir a Igreja de Jesus Cristo, que recebeu dele a autoridade de Mãe e Mestra. Pretensos “iluminados” entendem que seus carismas estão acima da hierarquia. Mais uma vez, o orgulho leva ao desastre...


Antônio Carlos Santini / Com. Católica Nova Aliança


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...