Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/11/2017

“Queridos filhos, olhando vocês em torno de Mim, em torno da sua Mãe, Eu estou vendo muitas almas puras, vejo muitos dos Meus filhos que estão procurando amor e consolação, mas ninguém está oferecendo isso a eles.

Também vejo aqueles que fazem o mal, porque não têm bons exemplos, não conheceram Meu Filho, aquele bem que é silencioso, que se difunde através das almas puras, que é a força que reforça o mundo.

Existem muitos pecados, mas também muito amor. o Meu Filho Me envia, como Mãe, a mesma igual para todos, para que Eu vos ensine o Amor, para que vocês compreendam que são irmãos.

Ele deseja vos ajudar. Apóstolos do Meu Amor, é suficiente o desejo vivo da fé e do Amor, o Meu Filho o aceitará.

Mas vocês têm que ser dignos, ter boa vontade e um coração aberto. O Meu Filho entra nos corações abertos. Eu, como Mãe, desejo que vocês conheçam o melhor possível o Meu Filho, Deus, nascido de Deus, para que vocês conheçam a grandeza do Seu Amor, o qual vocês tanto precisam.

Ele aceitou os seus pecados, conseguiu a Redenção para vocês, mas em troca procura que vocês amem-se uns aos outros. O Meu Filho é Amor. Ele ama todo ser humano, sem diferença, todas as pessoas de todos os povos e nações.

Se vocês, Meus Filhos, vivessem o Amor do Meu Filho, o Seu Reinado já estaria na Terra. Por isso, Apóstolos do Meu Amor, rezem, rezem para que o Meu Filho e Seu Amor estejam mais próximos de vocês, para que vocês sejam exemplos de Amor e possam ajudar àqueles que ainda não conhecem o Meu Filho.

Nunca esqueçam que o Meu Filho, Uno e Trino, Ama. Amem e rezem pelos seus sacerdotes. Obrigada.”

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Papa Francisco falou aos jornalistas no avião regressando da Terra Santa

 Como prometido pelo Papa Francisco na partida para a Terra Santa, no voo de regresso a Roma o Santo Padre disponibilizou-se para conversar com os jornalistas. O Pe. Federico Lombardi organizou a sequência das perguntas e o Papa Francisco respondeu de maneira simples e direta.
Das muitas questões colocadas ao Papa Francisco realce para aquela que apresentava maior atualidade e necessidade de esclarecimento: o convite aos presidentes Peres e Abbas para uma oração no Vaticano. O Santo Padre deixou claro que não se trata de uma mediação mas um momento de oração:

“Eu rezo tanto ao Senhor para que estes dois dirigentes, estes dois governos tenham a coragem de andar para a frente. Este é o único caminho para a paz.” – afirmou o Papa Francisco.

Do seu encontro com o Patriarca Bartolomeu, o Santo Padre referiu terem abordado o tema da unidade, uma unidade que se faz caminhando, rezando e trabalhando juntos. Um dos pontos de que falaram foi a Páscoa que católicos e ortodoxos ainda celebram em datas diferentes:

“Porque é um pouco ridículo: ‘O teu Cristo quando ressuscita? Na próxima semana. Eh, o meu ressuscitou na semana passada’... a data da Páscoa é um sinal de unidade.”

Sobre a sua relação com o Patriarca Bartolomeu o Papa disse o seguinte:

“Com Bartolomeu falamos como irmãos! Queremo-nos bem, e falamos sobre as dificuldades do nosso governo. E uma coisa de que falamos bastante foi o problema da ecologia. Ele está muito preocupado e eu também. Falamos bastante em fazer um trabalho conjunto sobre este problema.”

Durante esta conferência de imprensa aérea, o Santo Padre procurou responder sempre com os pés bem assentes na realidade da Igreja. Assim, considerou que a reforma da Curia pretende, sobretudo, aligeirar a estrutura, por exemplo com fusões entre os dicastérios. Sobre as questões da família o Papa Francisco deixou claro que devem ser vistas na sua globalidade e que o próximo Sínodo não deve ser reduzido a uma simples casuística da comunhão ou não aos divorciados recasados. Referiu-se ainda ao celibato dos padres como sendo um grande dom para a Igreja mas que não são um dogma e, por conseguinte, a “porta está sempre aberta” – sublinhou o Papa Francisco.
A propósito de uma pergunta sobre o abuso de menores por parte de sacerdotes o Papa Francisco considerou que é como que trair o Corpo do Senhor, é como celebrar uma missa satânica. Deixou bem claro que não haverá privilegiados nas investigações. Três bispos estão a ser investigados e um já foi condenado. Anunciando que na próxima semana celebrará uma Missa em Santa Marta com a presença de algumas pessoas que sofreram abusos, o Papa Francisco, afirmou que sobre este assunto existe “tolerância zero”.

“...sobre isto tem que se ir em frente: tolerância zero”.



Cidade do Vaticano, 27/05/2014 - Radio Vaticano / Paulo Alves
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...