Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/12/2017

“Queridos filhos, Me dirijo a vocês como sua Mãe, a Mãe dos justos, a Mãe daqueles que amam e sofrem, a Mãe dos santos.

Filhos Meus, também vocês podem ser santos: depende de vocês. Santos são aqueles que amam imensamente o Pai Celestial, aqueles que O amam acima de tudo.

Por isso, filhos Meus, procurem ser sempre melhores. Se procuraram ser bons, podem ser santos, também se não pensam isto de vocês. Se vocês pensam ser bons, não são humildes e a soberba os distancia da santidade.

Neste mundo inquieto, cheio de ameaças, as suas mãos, apóstolos do Meu amor, devem estar estendidas em oração e em misericórdia. Para mim, filhos Meus, presenteiem o Rosário, as rosas que tanto amo!

As Minhas rosas são as suas orações feitas com o coração e não somente recitadas com os lábios. As minhas rosas são as suas obras de oração, de fé e de amor.

Quando era pequeno, Meu Filho me dizia que os Meus filhos seriam numerosos e que me trariam muitas rosas.

Eu não compreendia, agora sei que vocês são aqueles filhos, que trazem rosas quando amam o Meu Filho acima de tudo, quando rezam com o coração, que ajudam os mais pobres. Estas são as Minhas rosas!

Esta é a fé, que faz que tudo na vida se faça por amor; que não conhece a soberba; que perdoa sempre prontamente, sem nunca julgar e procurando sempre compreender o próprio irmão.

Por isso, apóstolos do Meu amor, rezem por aqueles que não sabem amar, por aqueles que não os amam, por aqueles que os fizeram mal, por aqueles que não conheceram o Amor de Meu Filho. Filhos Meus, os peço isto para que lembrem que rezar significa amar e perdoar. Obrigada !”

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Santos porém humanos: Os defeitos do João Paulo II e João XXIII

Os postuladores das causas de canonização dos Pontífices, Mons. Slawomir Oder (João Paulo II) e o Padre Giovangiuseppe Califano O.F.M. (João XXIII), explicaram aos jornalistas reunidos no Escritório da Santa Sé, na manhã desta terça-feira, 23, que os novos Santos também tinham defeitos e isso “demonstra sua humanidade”. Os peritos ressaltaram os sinais de santidade mais evidentes em ambos os pontífices, mas também, responderam às perguntas dos jornalistas, e asseguraram que como seres humanos, os pontífices tinham suas próprias limitações. Mons. Oder assinalou que João Paulo II “era um homem com sangue nas veias”, que assim como “não tinha problemas em demonstrar seus sentimentos”, às vezes “se zangava, e isso demonstrava sua humanidade”. O sacerdote polonês recordou que em uma de suas viagens, recomendaram ao Papa João Paulo II usar colete antibalas. Entretanto, o Pontífice renunciou energicamente a este tipo de proteção com uma negativa. “Rechaçou-o porque confiava em outro tipo de proteção”, assinalou Mons. Oder. O Pe. Califano indicou que o Papa João XXIII, conhecido como o Papa “Bom”, também tinha defeitos e “estava acostumado a preocupar-se muito pelas coisas, mas tinha um sentido de simplicidade e sabedoria que o ajudavam a ser irônico consigo mesmo”. “Um dia, um Bispo recém nomeado lhe confessou não poder dormir pelas noites devido à ansiedade que lhe causava a responsabilidade de seu cargo. O Papa (João XXIII) disse-lhe ‘É mesmo? O mesmo me sucedia quando fui eleito Papa. Mas um dia sonhei com meu Anjo da Guarda e ele me disse que não levasse as coisas tão a sério’”. Ambos os postuladores coincidiram em que “todos temos defeitos, mas a verdadeira santidade é aquela na que o homem responde à graça de Deus corrigindo seus erros”.  


Vaticano, 23 Abr. 14 - ACI/EWTN Noticias
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...