Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/11/2017

“Queridos filhos, olhando vocês em torno de Mim, em torno da sua Mãe, Eu estou vendo muitas almas puras, vejo muitos dos Meus filhos que estão procurando amor e consolação, mas ninguém está oferecendo isso a eles.

Também vejo aqueles que fazem o mal, porque não têm bons exemplos, não conheceram Meu Filho, aquele bem que é silencioso, que se difunde através das almas puras, que é a força que reforça o mundo.

Existem muitos pecados, mas também muito amor. o Meu Filho Me envia, como Mãe, a mesma igual para todos, para que Eu vos ensine o Amor, para que vocês compreendam que são irmãos.

Ele deseja vos ajudar. Apóstolos do Meu Amor, é suficiente o desejo vivo da fé e do Amor, o Meu Filho o aceitará.

Mas vocês têm que ser dignos, ter boa vontade e um coração aberto. O Meu Filho entra nos corações abertos. Eu, como Mãe, desejo que vocês conheçam o melhor possível o Meu Filho, Deus, nascido de Deus, para que vocês conheçam a grandeza do Seu Amor, o qual vocês tanto precisam.

Ele aceitou os seus pecados, conseguiu a Redenção para vocês, mas em troca procura que vocês amem-se uns aos outros. O Meu Filho é Amor. Ele ama todo ser humano, sem diferença, todas as pessoas de todos os povos e nações.

Se vocês, Meus Filhos, vivessem o Amor do Meu Filho, o Seu Reinado já estaria na Terra. Por isso, Apóstolos do Meu Amor, rezem, rezem para que o Meu Filho e Seu Amor estejam mais próximos de vocês, para que vocês sejam exemplos de Amor e possam ajudar àqueles que ainda não conhecem o Meu Filho.

Nunca esqueçam que o Meu Filho, Uno e Trino, Ama. Amem e rezem pelos seus sacerdotes. Obrigada.”

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Com o Papa Francisco nós leigos não podemos seguir como se nada tivesse acontecido, assegura autoridade vaticana

 “A eleição de Francisco é um fato que tem uma carga interpelante para nós, porque o fato de que o Papa venha da América Latina não é só motivo de legítimo orgulho”, assinalou o Secretário da Pontifícia Comissão para a América Latina (CAL), Guzmán Carriquiry Lecour, e destacou que “não podemos seguir vivendo como se nada tivesse acontecido”.

Carriquiry destacou que a eleição do Santo Padre “também recarrega os pastores e os leigos de novas exigências e novas responsabilidades! A providência de Deus põe a Igreja na América Latina e os povos destas latitudes em uma nova prova, e temos que estar ao nível das exigências”, além disso, o “papel dos leigos é insubstituível lá onde é necessário transformar as estruturas e ordena-las segundo o Evangelho”.

A autoridade vaticana que visita a cidade de Buenos Aires (Argentina) para falar da exortação apostólica Evangelii Gaudium e os desafios que o continente enfrenta, sustentou em uma entrevista à Agência AICA que segundo a sua análise, o Pontífice pede aos católicos “levar a sério a verdade e a beleza da experiência cristã”.

Ao enfatizar o desejo do Papa com os leigos, disse que “quer que eles sejam muito mais coparticipantes de toda a vida e a missão da Igreja; quer que cresçam como discípulos e deem seu testemunho e anúncio como discípulos missionários, que são o sujeito fundamental que os bispos tiveram presente em Aparecida, e a quem o Papa dirige as grandes diretivas da exortação apostólica Evangelii Gaudium”.

Explicou que o Santo Padre deseja também que os leigos tenham participação nos conselhos pastorais paroquiais e diocesanos, mas, sobretudo, “quer que sejam protagonistas naqueles lugares onde está a vida e o destino das pessoas, das famílias e dos povos. Quer que saiamos ao encontro das periferias da sociedade e da existência”.

Refletiu que o Santo Padre está mostrando o que quer em concreto para os latino-americanos, e é “um salto de qualidade na nossa fé, que tem que ser anunciada a partir de uma muito maior proximidade, familiaridade e compenetração afetiva, que apenas o amor à vida do próprio povo, a escuta de seus clamores, de suas necessidades, de seus problemas pode dar”, e enfatizou “isso é o que está pedindo especialmente aos pastores”.

Afirmou que o Pontífice sempre pede a conversão pessoal e depois pede conversão pastoral, quer dizer, “superar toda autorreferencialidade, todo fechamento em nós mesmos e sair de nossas capelas reluzentes para compartilhar o Evangelho com nosso povo. Quer uma conversão de nossas estruturas que, se não, se tornarão caducas”.

“Finalmente, pede-nos uma conversão missionária: o Papa nos chama à conversão e ao anúncio nas periferias da sociedade e existenciais”, concluiu.

BUENOS AIRES, 15 Mar. 14 - ACI/EWTN Noticia
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...