Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/07/2017

“Queridos filhos, os agradeço porque responderam ao Meu chamado e porque se reuniram em torno de Mim, em torno da Sua Mãe Celestial. Eu sei que pensam em Mim com amor e esperança. Eu sinto o amor de cada um de vocês, como também a sede do Meu Amadíssimo Filho, que por meio do Seu Amor Misericordioso, sempre e novamente Me envia até vocês. Ele que era homem e Deus Uno e Trino. Ele que por causa de vocês sofreu com o corpo e com a alma. Ele que se fez pão para dar pão às suas almas, para poder salvá-las.

Meus filhos, os ensino como serem dignos do Seu Amor, para poderem dirigir os seus pensamentos a Ele, para poderem viver o Meu Filho. Apóstolos do Meu Amor, os envolvo com o Meu Manto porque como Mãe desejo salvá-los.

Os peço: rezem pelo mundo inteiro. O Meu Coração sofre. Os pecados se multiplicam, são muitos. Mas com a ajuda de vocês, vocês que são humildes, cheios de amor, escondidos e santos, o Meu Coração triunfará. Amem o Meu Filho acima de tudo, e o mundo inteiro por meio Dele.

Não esqueçam nunca que cada irmão seu leva em si algo de precioso: a alma. Por isso, Meus filhos, amem a todos aqueles que não conhecem o Meu Filho, para que por meio da oração e do amor que vem da oração, eles possam tornarem-se melhores, a fim de que a bondade neles possa vencer, para poder salvarem as almas e terem a Vida Eterna.

Meus Apóstolos, Meus filhos, o Meu Filho pediu que amassem uns aos outros; que isto esteja escrito em seus corações e com a oração comecem a viver este amor.

Obrigada.

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Autoridade vaticana afirma: No confessionário se unem a alegria de perdoar e de ser perdoados

O Penitenciário Mor da Penitenciária Apostólica da Santa Sé, Cardeal Mauro Piacenza, assegurou que o pecador não deve ter medo ao Sacramento da Reconciliação porque dentro do confessionário “a alegria de perdoar e a alegria de ser perdoados estão unidas”.

Durante o curso celebrado anualmente pela Penitenciária Apostólica da Santa Sé, há 25 anos, a autoridade vaticana concedeu uma entrevista à Rádio Vaticana na qual destaca que o Sacramento da Reconciliação é também uma graça para o sacerdote que absolve os pecados.

“É um grande dom também para os sacerdotes que, ao serem chamados a exercer este ministério, temos nossas faltas para corrigir, de modo que somos penitentes e confessores ao mesmo tempo”, indicou.

“É importante, mais que nunca, que o confessor saiba acolher o penitente”, depois “é necessário estar no confessionário em horários que vão de acordo com os horários dos fiéis e com um coração incandescente de paternidade”, acrescentou.

O curso se celebra de 24 a 28 de março no Palácio da Chancelaria de Roma, com a participação de 500 sacerdotes e seminaristas próximos à ordenação. Seu objetivo é aprofundar na celebração do Sacramento da Reconciliação.

Segundo o Cardeal Piacenza, o sacerdote confessor precisa desenvolver sua sensibilidade espiritual e pastoral com uma séria preparação teológica, moral e pedagógica, de modo que consiga compreender a vivência do penitente.

“É preciso ver onde vive o penitente, a sociedade que o circunda, o contexto familiar. Tudo isso deveria fazer parte não só da formação inicial, mas também de maneira permanente no clero”, disse.

O Cardeal Piacenza explicou que a confissão deve ser clara, simples, e íntegra, constar de um arrependimento sincero para uma verdadeira conversão. “Deste modo a nossa existência volta a se orientar no caminho do amor a Deus e ao próximo”.

Afirmou que o valor da Confissão está na graça do perdão que chega até as raízes do pecado cometido depois do Batismo e cura as imperfeições e as separações, dando ao fiel a força para a “conversão” real.

“A celebração do Sacramento da Reconciliação se insere no contexto da  vida eclesial, especialmente em relação ao mistério pascal celebrado na Eucaristia, fazendo referência ao Batismo vivido, a Crisma e as exigências do mandamento da caridade, do amor”.

“Sempre é uma celebração alegre do amor de Deus que se dá a si mesmo destruindo nosso pecado quando estamos dispostos a reconhecê-lo com humildade”.

“Não querer ter presente que o homem tem uma natureza ferida, inclinada ao mal, provoca erros bem grandes no campo educativo, político… o caminho da penitência é hoje, como sempre o foi, de extrema importância como fundamento para construir uma sociedade que viva a comunhão”, concluiu.

Espera-se que os sacerdotes e seminaristas que participam deste evento se reúnam na próxima sexta-feira 28 de março com o Papa Francisco durante uma celebração penitencial na Basílica de São Pedro do Vaticano pelo evento “24 horas pelo Senhor”, dirigido pelo Pontifício Conselho para a promoção da Nova Evangelização.


VATICANO, 27 Mar. 14 - ACI/EWTN Noticias
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...