Mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje no dia 02/12/2017

“Queridos filhos, Me dirijo a vocês como sua Mãe, a Mãe dos justos, a Mãe daqueles que amam e sofrem, a Mãe dos santos.

Filhos Meus, também vocês podem ser santos: depende de vocês. Santos são aqueles que amam imensamente o Pai Celestial, aqueles que O amam acima de tudo.

Por isso, filhos Meus, procurem ser sempre melhores. Se procuraram ser bons, podem ser santos, também se não pensam isto de vocês. Se vocês pensam ser bons, não são humildes e a soberba os distancia da santidade.

Neste mundo inquieto, cheio de ameaças, as suas mãos, apóstolos do Meu amor, devem estar estendidas em oração e em misericórdia. Para mim, filhos Meus, presenteiem o Rosário, as rosas que tanto amo!

As Minhas rosas são as suas orações feitas com o coração e não somente recitadas com os lábios. As minhas rosas são as suas obras de oração, de fé e de amor.

Quando era pequeno, Meu Filho me dizia que os Meus filhos seriam numerosos e que me trariam muitas rosas.

Eu não compreendia, agora sei que vocês são aqueles filhos, que trazem rosas quando amam o Meu Filho acima de tudo, quando rezam com o coração, que ajudam os mais pobres. Estas são as Minhas rosas!

Esta é a fé, que faz que tudo na vida se faça por amor; que não conhece a soberba; que perdoa sempre prontamente, sem nunca julgar e procurando sempre compreender o próprio irmão.

Por isso, apóstolos do Meu amor, rezem por aqueles que não sabem amar, por aqueles que não os amam, por aqueles que os fizeram mal, por aqueles que não conheceram o Amor de Meu Filho. Filhos Meus, os peço isto para que lembrem que rezar significa amar e perdoar. Obrigada !”

OBS: Esta mensagem é um carinho de Nossa Senhora para você... As matérias do blog seguem abaixo, aproveite!

Religiosa de 107 anos: O Papa Francisco é o impulso que a Igreja necessitava

No dia 20 de fevereiro, a Irmã Cândida Bellotti celebrou seus 107 anos na habitual Missa que o Papa Francisco celebra na capela da Casa Santa Marta do Vaticano. Ela é a religiosa mais idosa do mundo e assegura que o Santo Padre é o impulso que a Igreja necessitava.

Em declarações, a Irmã Cândida disse que “se Deus quis que tivéssemos o Papa Francisco, é porque em sua mente eterna já o havia pensado. Ele é o idôneo para nossos dias e deve-se respeitá-lo porque é a vontade de Deus, não porque seja branco, negro, verde ou amarelo, mas sim porque ele é o Papa”.

Embora depois da Missa Irmã Cândida não pôde falar com o Pontífice por causa da emoção, a religiosa estava especialmente contente e continuou os festejos junto a sua família, a Ordem dos Camilos, na Casa Generalícia de Roma, onde suas irmãs preparam um grande bolo para a ocasião.

Lúcida e com simpatia, a religiosa assinalou que “a verdadeira felicidade é apreciar o momento tal qual Deus nos dá. O que realmente é necessário na vida é dar graças a Deus pelo que Ele nos dá. Porque é o único que fará homem feliz. O homem deve aceitar cada momento que tem e dizer ‘obrigado’”.

“É precisa aceitar o bem que se encontra. Há vezes que procuramos as coisas boas e não as encontramos, mas isso mesmo é o segredo, procurar o bom e evitar a maldade. Temos que ter a graça, a inteligência de saber escolher entre o bem e o mal”, afirmou.

Irmã Cândida sentiu a chamada de Deus à idade de 16 anos e ingressou em um convento quando tinha 22. Sempre esteve convencida de que Cristo a chamou desde a eternidade.

“Em toda minha vida não tive nem um minuto em que disse a mim mesma ‘possivelmente tenha me equivocado’. Nunca! Estou contente, segura e comprometida melhorando em minha vida graças a Deus”, disse.

“Para mim –continuou a religiosa–, toda minha vida foi bela. A lembrança mais dolorosa de minha vida e mais bonita ao mesmo tempo foi deixar a família para ingressar no convento”.

A religiosa viveu duas guerras mundiais e conviveu com o advento de centenas de avanços que mudaram a história do homem até nossos diase assegura que todos os avanços da humanidade se devem à graça de Deus, porque, conforme ele diz “o mundo até que dure, mudará sempre, porque Deus nunca se detém, e não podemos saber quais serão seus projetos”.

Irmã Cândida pertence à Congregação das Ministras dos Doentes de São Camilo de Lellis, nasceu em 1907 em Quinzano, na província de Verona (Itália), durante o pontificado de São Pio X. Passou toda sua vida servindo os doentes nos hospitais de diversas cidades da Itália e atualmente vive em Luza (província da Toscana, Itália) onde agora se dedica à oração.


Roma, 24 Fev. 14 - ACI/EWTN Notícias
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...